NotŪcias - Alpha Tr‚nsito

CassaÁ„o de cnh Sorocaba suspens„o de cnh sorocaba



habilitaÁ„o suspensa sorocaba multa por embriaguez sorocaba



CassaÁ„o de cnh Sorocaba suspens„o de cnh sorocaba



habilitaÁ„o suspensa sorocaba multa por embriaguez sorocaba



Website
Notícias

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


04/10 - Polo, Onix e HB20: veja os carros mais vendidos no país em setembro
O Polo, da Volkswagen, lidera o ranking, com mais de 9 mil emplacamentos no m√™s, segundo dados da Fenabrave Fenabrave tamb√©m revisou suas proje√ß√Ķes para vendas de autom√≥veis e comerciais leves neste ano Jornal Nacional/ Reprodu√ß√£o O Polo, da Volkswagen, foi o ve√≠culo novo mais vendido no Brasil em setembro, segundo a Federa√ß√£o Nacional da Distribui√ß√£o de Ve√≠culos Automotores (Fenabrave). Ao total, foram comercializadas 9.515 unidades no m√™s. Em seguida, vieram o Chevrolet Onix, com 8.033 ve√≠culos vendidos, e o Hyundai HB20, com 7.622 unidades. Veja o ranking dos 10 ve√≠culos mais vendidos em setembro abaixo: Os tr√™s ve√≠culos tamb√©m lideram a lista dos mais vendidos entre janeiro e setembro deste ano. No per√≠odo, o Polo registrou a marca de 71.927 unidades comercializadas, seguido pelo Chevrolet Onix, com 70.746; e pelo HB20, com 61.802. Veja abaixo: Queda em setembro Segundo informa√ß√Ķes divulgadas pela Fenabrave na ter√ßa-feira (3), os emplacamentos de ve√≠culos tiveram uma queda de 5,4% em setembro em rela√ß√£o a agosto. J√° na compara√ß√£o com o mesmo m√™s de 2022, houve uma alta de 4,8%. Segundo o presidente da federa√ßao, Andreta Jr., o recuo dos emplacamentos √© justificado pelo menor n√ļmero de dias √ļteis e, de maneira geral, "[visto que] o mercado demonstrou recupera√ß√£o nas vendas di√°rias em rela√ß√£o a agosto". "No entanto, os desafios do setor automotivo permanecem, com o cr√©dito restrito e a diminui√ß√£o do poder de compra da popula√ß√£o ainda dificultando o acesso das pessoas a ve√≠culos novos‚ÄĚ, afirmou em nota. Ainda de acordo com a entidade, a m√©dia de emplacamentos di√°rios de autom√≥veis e comerciais leves foi de 9.372 unidades em setembro, contra 8.560 unidades, em agosto ‚ÄĒ um aumento de quase 9,5% de um m√™s para o outro. ‚ÄúIsso mostra que o mercado est√° se reerguendo, em boa parte gra√ßas √†s vendas corporativas, mas ainda num ritmo abaixo do esperado para a escala necess√°ria, principalmente, no varejo‚ÄĚ, acrescentou Andreta Jr. Carro zero com desconto Na ter√ßa-feira (3), a Fenabrave tamb√©m revisou suas proje√ß√Ķes para vendas de autom√≥veis e comerciais leves neste ano. De acordo com a federa√ß√£o, a estimativa passou de um crescimento de 3,3% para 11,2%. O movimento vem ap√≥s os resultados positivos do programa do governo lan√ßado em junho para baratear carros zero. Ao todo, foram liberados incentivos de R$ 1,8 bilh√£o para que as montadoras dessem descontos em ve√≠culos novos. Com isso, a Fenabrave passou a prever um crescimento de 7,3% nas vendas de autom√≥veis e comerciais leves em 2023, ante a estimativa inicial de estabilidade. Vale destacar que o programa terminou um m√™s ap√≥s ser lan√ßado. Inicialmente, o prazo previsto era de quatro meses. As proje√ß√Ķes para os segmentos de √īnibus, motocicletas e implementos rodovi√°rios tamb√©m foram revisadas para cima.
Veja Mais

03/10 - Carregamento em casa, valores entre R$ 136 mil e R$ 1,3 milhão, autonomia e mais: entenda como funcionam os carros elétricos no Brasil
A tend√™ncia √© que, nos pr√≥ximos anos, montadoras dividam cada vez mais seus portf√≥lios entre ve√≠culos el√©tricos, h√≠bridos e a combust√£o. Como funcionam os carros el√©tricos O que parecia um futuro distante, agora √© realidade. Ou pelo menos uma realidade que, apesar de cara, est√° um pouco mais palp√°vel: carros 100% el√©tricos. A tend√™ncia √© que, nos pr√≥ximos anos, montadoras dividam cada vez mais seus portf√≥lios entre ve√≠culos el√©tricos, h√≠bridos e a combust√£o, para al√©m daquelas focadas exclusivamente nos recarreg√°veis (e que j√° chegaram ao Brasil). Al√©m da promessa de economia por n√£o dependerem do pre√ßo dos combust√≠veis f√≥sseis, bem mais caros do que uma carga de luz no Brasil, os el√©tricos s√£o vendidos como ve√≠culos mais modernos e que demandam menos manuten√ß√£o. Mas ainda √© uma realidade distante para a maioria dos brasileiros. No momento da publica√ß√£o desta reportagem, o carro 100% el√©trico mais barato vendido no Brasil custava R$ 136 mil. Nesta reportagem, voc√™ vai entender: ‚ö°Como se carrega um carro el√©trico? ‚ö°Quanto demora? ‚ö°Qual a autonomia m√©dia? ‚ö°Quanto custa a carga? ‚ö°Pode ficar no carro enquanto carrega? ‚ö°Precisa trocar de bateria? ‚ö°E se a bateria acabar? ‚ö°Onde fica a bateria? ‚ö°Como √© feita a manuten√ß√£o? ‚ö°Faz barulho? ‚ö°Quanto custa um el√©trico 0km? ‚ö°E o IPVA? ‚ö†ÔłŹ√Č importante ler com aten√ß√£o o manual de cada ve√≠culo e seguir as recomenda√ß√Ķes espec√≠ficas para o modelo determinadas pela marca. Como √© carregado? Esta√ß√£o de carregamento de um carro el√©trico. Divulga√ß√£o Os carros precisam ser carregados em uma tomada aterrada, em casa mesmo. Apesar de funcionarem com tomadas comuns, como a que se usa para ligar uma cafeteira ou air fryer, o ideal √© sempre usar a chamada semi-industrial e ter em casa uma esta√ß√£o de carregamento do tipo wallbox (valores a partir de R$ 3,5 mil). Tamb√©m √© recomendado carregar o ve√≠culo durante a noite. Mas, assim como n√£o √© qualquer resid√™ncia, principalmente em pr√©dios, que suporta a instala√ß√£o de um ar-condicionado, por exemplo, o mesmo vale para o carregamento de um ve√≠culo. Antes de comprar um ou colocar na tomado, certifique-se sobre a situa√ß√£o el√©trica da sua resid√™ncia junto √† companhia de que atende √† sua regi√£o e tamb√©m, se for o caso, junto √† administra√ß√£o do condom√≠nio Em alguns lugares, principalmente nas grandes cidades, tamb√©m h√° esta√ß√Ķes espec√≠ficas de carregamento, vistas mais comumente em estacionamentos de shoppings e supermercados, por exemplo. Em pr√©dios, √© poss√≠vel contratar uma empresa para instalar uma esta√ß√£o de carregamento, se o condom√≠nio permitir. Para os pr√≥ximos anos, a tend√™ncia √© que os novos empreendimentos (pelo menos os de alto padr√£o) sejam entregues com esta√ß√Ķes de carregamento nos estacionamentos. N√£o se deve usar extens√Ķes nas tomadas comuns. O carregamento deve ser feito longe de l√≠quidos inflam√°veis e de outras fontes de calor. E √© preciso sempre usar cabos e conectores originais, certificados e em boas condi√ß√Ķes f√≠sicas. Voltar ao in√≠cio da reportagem. Por que o carro colorido sumiu? 67% dos ve√≠culos no Brasil s√£o brancos, pretos ou cinzas Quanto tempo demora? A carga total em tomada semi-industrial leva 9 horas, em m√©dia. Voltar ao in√≠cio da reportagem. Qual a autonomia m√©dia? Para carros el√©tricos, autonomia quer dizer quantos quil√īmetros o carro consegue rodar com a bateria cheia. Um ve√≠culo el√©trico com carga cheia consegue rodar de 300 a 500 km, dependendo do modelo. Voltar ao in√≠cio da reportagem. Quanto custa a carga? A√≠ depende do valor da luz na sua cidade e estado, do modelo do ve√≠culo e da autonomia que a bateria dele tem. Uma carga inteira (em um ve√≠culo com autonomia de 300km) em S√£o Paulo, por exemplo, custa R$ 40, mais ou menos. Voltar ao in√≠cio da reportagem. Pode ficar no carro enquanto ele carrega? Sim, em tese, n√£o h√° problema. Mas as montadoras n√£o recomendam, em seus manuais, a perman√™ncia no ve√≠culo. Voltar ao in√≠cio da reportagem. Precisa trocar a bateria? Teoricamente, n√£o. "O que as montadoras dizem √© que a bateria √© feita para superar a dura√ß√£o do ve√≠culo", explica Clemente Gauer, diretor de Infraestrutura da Associa√ß√£o Brasileira do Ve√≠culo El√©trico (ABVE). "O que a gente observa aqui √© que n√£o existe praticamente precedente de falha de bateria, s√£o casos muito isolados", completa o especialista. Voltar ao in√≠cio da reportagem. E se a bateria acabar no meio da estrada? Procure uma tomada aterrada ‚ÄĒ por isso deve-se andar sempre com cabo carregador e adaptador. Mas √© importante saber que, sem a tomada semi-industrial e sem a esta√ß√£o pr√≥pria, o carregamento vai ser lento. Nessas condi√ß√Ķes, √© importante certificar-se que o terminal met√°lico da tomada n√£o esteja enferrujado, corro√≠do ou desgastado, bem como assegurar que n√£o tenha √°gua nem objetos estranhos na tomada. Voltar ao in√≠cio da reportagem. Onde a bateria fica? O padr√£o √© que ela fique no assoalho do carro. "Como a bateria geralmente tem, mais ou menos, de um quarto a um ter√ßo do peso do ve√≠culo, ela fica na parte mais baixa do ve√≠culo de forma a manter o centro de gravidade do carro mais baixo poss√≠vel", explica Gauer. √Č isso que faz com que capotamentos de ve√≠culos el√©tricos sejam raros. Voltar ao in√≠cio da reportagem. Como √© a manuten√ß√£o? Segundo Gauer, "um motor el√©trico tem uma vida √ļtil indefinida". "Ele tem uma parte m√≥vel s√≥ l√° dentro, n√£o tem partes de fric√ß√£o como voc√™ tem na parede dos cilindros do ve√≠culo a combust√£o, raspando uma contra outra. Na verdade, s√≥ tem um jogo de rolamentos lubrificado", explica. "Mas voc√™ vai ter uma manuten√ß√£o, por exemplo, nos componentes de suspens√£o, no filtro da cabine e tamb√©m em um √ļnico fluido que geralmente o carro el√©trico pede substitui√ß√£o, que √© o fluido de freio." Voltar ao in√≠cio da reportagem. Faz barulho? Um carro el√©trico √© bem mais silencioso que um ve√≠culo a combust√£o, mas, sim, faz algum barulho. Voltar ao in√≠cio da reportagem. Quanto custa um el√©trico novo? No Brasil, os modelos mais baratos custam entre R$ 135 mil (Jac ESJ1) e R$ 150 mil (BYD Dolphin). Para os mais caros, o c√©u √© o limite. O Mercedes-Benz EQS 53 AMG, lan√ßado em dezembro de 2022, curta R$ 1,35 milh√£o. Voltar ao in√≠cio da reportagem. IPVA Carros el√©tricos podem ser isentos de IPVA (Imposto sobre a propriedade de ve√≠culos automotores) em alguns estados, caso do Rio Grande do Norte, ou ter o al√≠quota reduzida, caso do Rio de Janeiro. Em outros, h√° a discuss√£o sobre implantar benef√≠cios do tipo, caso de S√£o Paulo, onde um projeto de lei foi aprovado na Alesp em agosto, e na Bahia, onde o governo anunciou, em julho, que carros el√©tricos de at√© R$ 300 mil produzidos no estado ser√£o isentos. Quando o estado n√£o possui legisla√ß√£o espec√≠fica para o imposto de el√©tricos e h√≠bridos, vale o mesmo que vale para outros tipos de ve√≠culos: a al√≠quota e o valor do ve√≠culo na tabela FIPE, se for usado, ou a al√≠quota e o valor do ve√≠culo na nota fiscal, se for novo. Voltar ao in√≠cio da reportagem.
Veja Mais

30/09 - Diesel sobe R$ 0,02 neste domingo; até janeiro, combustível terá uma alta acumulada de R$ 0,35
Alta nos pre√ßos √© decorr√™ncia do aumento nos impostos federais. Os impostos federais sobre o √≥leo diesel v√£o aumentar R$ 0,02 por litro a partir deste domingo (1¬ļ), segundo informa√ß√Ķes do Instituto Combust√≠vel Legal (ICL) e da Associa√ß√£o Brasileira dos Importadores de Combust√≠veis (Abicom). Essa √© a segunda fase de retomada dos impostos PIS e Cofins sobre o diesel, que devem atingir a al√≠quota integral de R$ 0,35 por litro em janeiro de 2024: Setembro: R$ 0,11 por litro Outubro: R$ 0,13 por litro Janeiro de 2024: R$ 0,35 por litro Esses valores s√£o para o diesel A, produzido nas refinarias. O combust√≠vel f√≥ssil tem adi√ß√£o de 12% de biodiesel, que d√° origem ao diesel B, vendido nos postos. Considerando a mistura, os impostos cobrados somam aproximadamente: Setembro: R$ 0,10 por litro Outubro: R$ 0,12 por litro Janeiro de 2024: R$ 0,33 por litro As al√≠quotas de PIS/Cofins sobre o diesel estavam zeradas desde 2021, como uma forma de reduzir o pre√ßo do combust√≠vel para o consumidor. Naquele momento, em mar√ßo de 2021, o diesel era vendido a R$ 4,33 por litro na bomba, segundo dados da Ag√™ncia Nacional de Petr√≥leo, G√°s Natural e Biocombust√≠veis (ANP). Em janeiro de 2023, o presidente Luiz In√°cio Lula da Silva (PT) havia prorrogado a isen√ß√£o de PIS/Cofins sobre o diesel at√© 31 de dezembro. Mas a cobran√ßa foi antecipada para financiar o programa de descontos para carros novos do governo federal. O programa foi lan√ßado no in√≠cio de junho e teve como fonte de recursos a reonera√ß√£o do diesel em R$ 0,11 a partir de setembro. Depois, o governo anunciou mais R$ 300 milh√Ķes para o programa com o aumento de R$ 0,02 por litro de diesel em outubro. Impostos federais voltam a ser cobrados e pre√ßos da gasolina e do etanol sobem Reonera√ß√£o de setembro Em setembro, na semana em que houve retomada dos impostos sobre o combust√≠vel, o litro do √≥leo diesel subiu R$ 0,05 nos postos, de acordo com levantamento da ANP. O pre√ßo saiu de R$ 6,13 para R$ 6,18, na m√©dia nacional. Nesta semana, de 24 a 30 de setembro, o consumidor pagou em m√©dia R$ 6,22 por litro nos postos de combust√≠veis, segundo a ag√™ncia. Em rela√ß√£o ao in√≠cio do m√™s, foi uma alta de R$ 0,09 por litro --quase o valor integral do aumento de impostos para o diesel vendido na bomba. A Petrobras, empresa que mais produz combust√≠veis no pa√≠s, n√£o aumentou os pre√ßos nesse per√≠odo. O √ļltimo reajuste foi em agosto. Em maio, a Petrobras mudou sua pol√≠tica de pre√ßos e deixou de considerar somente o valor de cota√ß√£o do petr√≥leo --sujeito √†s oscila√ß√Ķes do mercado. Contudo, mais de 20% do diesel consumido no Brasil √© importado. Al√©m disso, refinarias privadas, como Mataripe, na Bahia, praticam pre√ßos alinhados ao mercado internacional.
Veja Mais

29/09 - Preço médio do álcool permanece igual pela segunda semana seguida; gasolina cai, diz ANP
Levantamento √© referente √† semana de 24 a 30 de setembro. Calculadora do g1 te ajuda a escolher a op√ß√£o mais vantajosa na hora de abastecer. Posto de gasolina combust√≠vel Reprodu√ß√£o/EPTV Os pre√ßos m√©dios do √°lcool e do diesel permaneceram iguais pela segunda semana seguida, enquanto a Gasolina teve uma leve queda. √Č o que mostram dados da Ag√™ncia Nacional do Petr√≥leo, G√°s Natural e Biocombust√≠veis (ANP), divulgados nesta sexta-feira (29). A pesquisa √© referente √† semana de 24 a 30 de setembro. ‚úÖClique aqui para seguir o novo canal do g1 no WhatsApp. ‚ö†ÔłŹO grupo antigo ser√° desativado. Mesmo que voc√™ j√° fa√ßa parte da nossa comunidade, √© preciso se inscrever novamente. ‚Ė∂ÔłŹ Gasolina: O combust√≠vel foi comercializado, em m√©dia, a R$ 5,80. O recuo foi de 0,34% frente aos R$ 5,82 da semana anterior, segundo os dados da ANP. O pre√ßo m√°ximo do combust√≠vel encontrado nos postos foi de R$ 7,62. ‚Ė∂ÔłŹ Etanol: O pre√ßo m√©dio do etanol permaneceu em R$ 3,64. O pre√ßo mais alto identificado pela ANP foi de R$ 6,60. ‚Ė∂ÔłŹ Diesel: O litro do diesel tamb√©m ficou a R$ 6,10. O valor mais caro encontrado pela ag√™ncia na semana foi de R$ 7,96. Veja mais abaixo, na calculadora do g1, qual a op√ß√£o mais vantajosa na hora de abastecer. Calculadora do g1 Confira qual combust√≠vel vale mais a pena: Como funciona a calculadora? O c√°lculo m√©dio √© feito a partir do pre√ßo e do rendimento de cada combust√≠vel. Com a oscila√ß√£o dos valores da gasolina e do etanol nos postos, a op√ß√£o mais vantajosa pode variar. Segundo especialistas, o etanol vale mais a pena quando est√° custando at√© 70% do pre√ßo da gasolina. Entenda o c√°lculo. ICMS sobre gasolina Passou a valer em 1¬ļ de junho a altera√ß√£o no formato de cobran√ßa do ICMS (Imposto sobre Circula√ß√£o de Mercadorias e Servi√ßos) sobre a gasolina nos estados brasileiros. A mudan√ßa estabeleceu a cobran√ßa do tributo estadual com uma al√≠quota fixa (em reais) de R$ 1,22 por litro. O valor √© v√°lido para todos os estados. Mudan√ßa na pol√≠tica de pre√ßos No dia 16 de maio, a Petrobras anunciou uma mudan√ßa na sua pol√≠tica de pre√ßos. Desde ent√£o, a estatal n√£o obedece mais √† pol√≠tica de paridade internacional (PPI), que reajustava o pre√ßo dos combust√≠veis com base nas varia√ß√Ķes do d√≥lar e da cota√ß√£o do petr√≥leo no exterior. Agora, a empresa levar√° dois pontos como refer√™ncia para a determina√ß√£o dos seus pre√ßos: o custo alternativo do cliente, como valor a ser priorizado na precifica√ß√£o; o valor marginal para a Petrobras. V√ćDEOS: √ļltimas not√≠cias de Economia
Veja Mais

22/09 - Preço médio do álcool permanece igual à semana passada, gasolina cai para R$ 5,82, diz ANP
Levantamento √© referente √† semana de 17 a 23 de setembro. Calculadora do g1 te ajuda a escolher a op√ß√£o mais vantajosa na hora de abastecer. Posto de gasolina combust√≠vel Marcello Casal Jr/Ag√™ncia Brasil O pre√ßo m√©dio do √°lcool permaneceu igual nesta semana se comparado com os valores entre os dias 10 e 16 de setembro, j√° a Gasolina teve uma leve queda. √Č o que mostram dados da Ag√™ncia Nacional do Petr√≥leo, G√°s Natural e Biocombust√≠veis (ANP), divulgados nesta sexta-feira (23). A pesquisa √© referente √† semana de 17 a 23 de setembro. O Diesel, por sua vez, interrompeu a sequ√™ncia de sete altas e terminou esta semana no mesmo pre√ßo da semana passada, a R$ 6,10. ‚úÖClique aqui para seguir o novo canal do g1 no WhatsApp. ‚ö†ÔłŹO grupo antigo ser√° desativado. Mesmo que voc√™ j√° fa√ßa parte da nossa comunidade, √© preciso se inscrever novamente. ‚Ė∂ÔłŹ Gasolina: O combust√≠vel foi comercializado, em m√©dia, a R$ 5,82. O recuo foi de 0,34% frente aos R$ 5,84 da semana anterior, segundo os dados da ANP. O pre√ßo m√°ximo do combust√≠vel encontrado nos postos foi de R$ 7,62. ‚Ė∂ÔłŹ Etanol: O pre√ßo m√©dio do etanol permaneceu em R$ 3,64. O pre√ßo mais alto identificado pela ANP foi de R$ 6,60. ‚Ė∂ÔłŹ Diesel: J√° o litro do diesel tamb√©m ficou a R$ 6,10. O valor mais caro encontrado pela ag√™ncia na semana foi de R$ 7,96. Veja mais abaixo, na calculadora do g1, qual a op√ß√£o mais vantajosa na hora de abastecer. Calculadora do g1 Confira qual combust√≠vel vale mais a pena: Como funciona a calculadora? O c√°lculo m√©dio √© feito a partir do pre√ßo e do rendimento de cada combust√≠vel. Com a oscila√ß√£o dos valores da gasolina e do etanol nos postos, a op√ß√£o mais vantajosa pode variar. Segundo especialistas, o etanol vale mais a pena quando est√° custando at√© 70% do pre√ßo da gasolina. Entenda o c√°lculo. ICMS sobre gasolina Passou a valer em 1¬ļ de junho a altera√ß√£o no formato de cobran√ßa do ICMS (Imposto sobre Circula√ß√£o de Mercadorias e Servi√ßos) sobre a gasolina nos estados brasileiros. A mudan√ßa estabeleceu a cobran√ßa do tributo estadual com uma al√≠quota fixa (em reais) de R$ 1,22 por litro. O valor √© v√°lido para todos os estados. Mudan√ßa na pol√≠tica de pre√ßos No dia 16 de maio, a Petrobras anunciou uma mudan√ßa na sua pol√≠tica de pre√ßos. Desde ent√£o, a estatal n√£o obedece mais √† pol√≠tica de paridade internacional (PPI), que reajustava o pre√ßo dos combust√≠veis com base nas varia√ß√Ķes do d√≥lar e da cota√ß√£o do petr√≥leo no exterior. Agora, a empresa levar√° dois pontos como refer√™ncia para a determina√ß√£o dos seus pre√ßos: o custo alternativo do cliente, como valor a ser priorizado na precifica√ß√£o; o valor marginal para a Petrobras. V√ćDEOS: √ļltimas not√≠cias de Economia
Veja Mais

19/09 - Conheça o BYD Dolphin: o carro elétrico mais eficiente do mercado brasileiro
Com a praticidade de carregar em qualquer tomada e autonomia de 291km, modelo chegou ao Brasil em julho e j√° figura entre os mais vendidos do pa√≠s. Veja os destaques dele! BYD Dolphin EV se destaca por ser espa√ßoso e ter design moderno. Drivulga√ß√£o BYD Em apenas dois meses de estreia no mercado brasileiro, o BYD Dolphin EV, da greentech chinesa especialista em mobilidade, energia limpa e tecnologia Build Your Dreams (BYD) j√° aparece nos rankings de carros el√©tricos (BEV) mais vendidos no pa√≠s. O modelo ocupa a terceira posi√ß√£o do ranking que considera o per√≠odo de vendas entre janeiro e agosto deste ano e o BYD Dolphin EV, lan√ßado s√≥ em julho, aparece com 468 unidades emplacadas no Brasil, mais que todos os outros modelos el√©tricos somados, vendidos no mesmo per√≠odo. Diversas vantagens do quinto ve√≠culo de passeio da BYD o fizeram alcan√ßar esse sucesso. Dois deles s√£o: o valor mais acess√≠vel ‚Äď ele √© vendido por R$ 149.800, uma das op√ß√Ķes mais em conta no pa√≠s, e ser o ve√≠culo com melhor efici√™ncia energ√©tica do mercado brasileiro. Com a carga a 100%, ele roda 291km e, segundo dados do Inmetro, √© o ve√≠culo que melhor aproveita a capacidade da bateria com 0,42MJ/km*. Modernidade est√° em todos os pontos do modelo, da bateria ao design. Foto: Divulga√ß√£o BYD Equipado com a moderna bateria Blade de 44.9kWh, que revolucionou a seguran√ßa, a durabilidade e o desempenho na ind√ļstria de ve√≠culos el√©tricos, o modelo tem tamb√©m uma recarga f√°cil, que permite o abastecimento at√© mesmo com uso de um cabo (vendido como um acess√≥rio a parte) para tomadas comuns de 127 ou 220V. Em carregadores de alta pot√™ncia, como os dispon√≠veis em shoppings, postos, estacionamentos e muitas resid√™ncias, a bateria do Dolphin pode ir de 20 a 80% em apenas 25 minutos**. Design moderno, espa√ßo e alta tecnologia O modelo puramente el√©trico surpreende pelo espa√ßo interno. Sua dist√Ęncia entre eixos de 2,7m oferece muito mais conforto, especialmente para os passageiros do banco traseiro, e ainda a vantagem de ter o assoalho plano. O porta-malas de 345 litros tamb√©m entrega uma capacidade maior que os compactos do mercado. O BYD Dolphin EV possui capacidade para cinco ocupantes e bancos com revestimento de material premium sustent√°vel. Divulga√ß√£o BYD O Dolphin adota o design da linha ‚ÄúOcean‚ÄĚ, inspirada nos animais marinhos e ondas do mar. Por isso, tem detalhes que remetem a ondas, conchas e estrelas. Com fun√ß√Ķes que garantem divers√£o e conectividade, vem equipado com ICS (Inteligent Cockpit System) que possui uma tela de 12,8", rota√ß√£o el√©trica para posi√ß√£o vertical e horizontal, al√©m de seis alto-falantes. Por aplicativo de celular √© poss√≠vel abrir e trancar o carro, programar o ar-condicionado e at√© verificar o n√≠vel da bateria. A divers√£o fica por conta da possibilidade de jogar videogame com o carro parado ou cantar no Karaok√™. Com comando de voz, o motorista pode solicitar a execu√ß√£o de tarefas de forma descomplicada e √© s√≥ aproximar o cart√£o com tecnologia NFC do retrovisor para destravar a porta. Tela multim√≠dia de 12,8" tem rota√ß√£o el√©trica para posi√ß√£o vertical e horizontal. Divulga√ß√£o BYD Garantia e mais seguran√ßa Com garantia de cinco anos ou 200 mil km rodados (sistema el√©trico do PHEV + baixa tens√£o + chassis), vem equipado com a bateria Blade¬ģ, que tem garantia de oito anos ou 200 mil km. O ve√≠culo pode acelerar de 0 a 100 km/h em 10,9 segundos e atinge uma velocidade m√°xima de 150 km/h. Tr√™s modos de condu√ß√£o podem ser selecionados: Sport, ECO e Snowfield. Com Controle de Cruzeiro (piloto autom√°tico) para ajudar nas viagens, o modelo disponibiliza uma visibilidade de 360 graus para manobras seguras do ve√≠culo. Al√©m disso, controle eletr√īnico de estabilidade, controle de tra√ß√£o, controle de subida e reten√ß√£o autom√°tica do ve√≠culo est√£o inclu√≠dos. Ainda com o foco de melhorar a seguran√ßa e a autonomia, o BYD Dolphin EV utiliza a e-Platform 3.0, especialmente desenvolvida pela marca para ve√≠culos 100% el√©tricos. Ela √© respons√°vel por integrar o sistema de alta tens√£o e as baterias com o chassi do carro, garantindo uma experi√™ncia de condu√ß√£o inteligente. O BYD Dolphin EV √© vendido nas cores Cinza (Grey), Rosa (Afterglow Pink) e Amarelo (Cheese Yellow). No Brasil, a greentech tamb√©m comercializa os el√©tricos BYD Tan, BYD Han, BYD Yuan Plus e BYD Seal. A linha de motores h√≠bridos tem hoje o SUV BYD Song Plus DM-i. O BYD Dolphin EV tamb√©m √© vendido na cor Amarela (Cheese Yellow). Divulga√ß√£o BYD * O valor de autonomia e efici√™ncia energ√©tica foram obtidos em testes realizados segundo as regras do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular do INMETRO. ** O tempo de recarga varia dependendo da pot√™ncia do carregador.
Veja Mais

05/09 - Com fim dos descontos no carro zero, SUVs e picapes vendem mais e hatches, menos
Agosto foi o primeiro m√™s sem efeitos claros do programa de incentivos do governo federal. Segundo a Anfavea, foram 208 mil carros vendidos, contra 226 mil no m√™s de julho. Jeep Compass 2022 1.3 turbo Divulga√ß√£o Com o fim do programa do governo federal de descontos no carro zero, os SUVs e picapes ganharam participa√ß√£o nas vendas totais de ve√≠culos no m√™s de agosto, enquanto os hatches perderam espa√ßo na sua fatia de mercado. Os dados s√£o da Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea), divulgados nesta ter√ßa-feira (5). O programa de redu√ß√£o de pre√ßos de ve√≠culos do governo federal tinha como foco a venda de carros populares. Os descontos, portanto, foram de R$ 2 mil a R$ 8 mil para carros de pequeno porte, com valor total de at√© R$ 120 mil. Inicialmente, o prazo previsto era de quatro meses, mas os recursos terminaram depois de apenas um m√™s. A estimativa do governo √© que 125 mil ve√≠culos tenham sido vendidos, ap√≥s libera√ß√£o de R$ 650 milh√Ķes dos R$ 800 milh√Ķes previstos em descontos para a modalidade. Com pre√ßo menor em carros de entrada, a venda de hatches subiu nos √ļltimos meses, enquanto SUVs e picapes tiveram queda. No m√™s de agosto, contudo, a tend√™ncia se inverteu. Veja abaixo: Fatias de mercado por tipo de ve√≠culo Reprodu√ß√£o/Anfavea HATCHES 20,8% em maio; 25,2% em junho; 28,6% em julho; 22,7% em agosto. SUVs 42,2% em maio; 39,9% em junho; 38,1% em julho; 40% em agosto. PICAPES 20,8% em maio; 18,1% em junho; 16% em julho; 19,1% em agosto. As ondas aconteceram porque, em geral, os hatches t√™m pre√ßos mais baixos e passaram pelo teto definido pelo governo. N√£o √© o caso de boa parte dos SUVs e das picapes no mercado brasileiro. J√° os sed√£s tiveram pouca varia√ß√£o no per√≠odo, por terem faixas variadas de pre√ßo. Vendas caem, mas produ√ß√£o sobe As vendas de ve√≠culos ca√≠ram 8% no m√™s de agosto, primeiro m√™s desde o fim do programa do governo federal de descontos no carro zero. Foram 208 mil carros vendidos, contra 226 mil no m√™s de julho. Agosto foi o primeiro m√™s sem efeitos claros do programa de incentivos do governo federal, mas, ainda assim, foi o segundo melhor m√™s deste ano em vendas do ano. Com os descontos, a m√©dia di√°ria de vendas em julho chegou a 10,7 mil ve√≠culos. Em agosto, foram 9 mil vendas di√°rias. A produ√ß√£o de ve√≠culos, por outro lado, teve aumento de 24% em agosto, com a redu√ß√£o dos estoques no m√™s anterior. Foram 227 mil ve√≠culos produzidos, contra 183 mil no m√™s de julho. Em rela√ß√£o ao mesmo m√™s do ano anterior, houve queda de 4,6%. No acumulado do ano, houve queda de 0,4% em rela√ß√£o √† mesma janela do ano anterior. Foram 1,542 milh√£o de ve√≠culos produzidos agora, contra 1,549 milh√£o em 2022. ‚ÄúA aus√™ncia da parada de f√°bricas √© um sinal muito positivo em rela√ß√£o ao que vivemos nos √ļltimos anos‚ÄĚ, disse M√°rcio de Lima Leite, presidente da Anfavea. Segundo Lima Leite, parte do resultado foi ajudado pelas exporta√ß√Ķes. O executivo aponta para um crescimento expressivo de vendas para o M√©xico, que representa hoje 31% das exporta√ß√Ķes de ve√≠culos brasileiros. Em seguida, vem a Argentina, com 29% de participa√ß√£o, seguida de Col√īmbia (10%) e Chile (6%). ‚ÄúO M√©xico tem recebido investimentos expressivos nos √ļltimos anos. O pa√≠s est√° crescendo muito, tem investimentos vindos da China e de pa√≠ses asi√°ticos. Vive um outro momento em termos de ind√ļstria automotiva, mas tem impacto direto no Brasil em fun√ß√£o do nosso acordo de livre com√©rcio‚ÄĚ, diz.
Veja Mais

05/09 - Vendas caem com fim dos descontos no carro zero, mas produção sobe 24% em agosto, diz Anfavea
Foram 208 mil carros vendidos, contra 226 mil no m√™s de julho. √Č o primeiro m√™s sem efeitos claros do programa de descontos em ve√≠culos novos do governo federal. F√°brica da Toyota em Sorocaba (SP) produz Yaris e Etios Toyota/Divulga√ß√£o As vendas de ve√≠culos ca√≠ram 8% no m√™s de agosto, primeiro m√™s desde o fim do programa do governo federal de descontos no carro zero. Foram 208 mil carros vendidos, contra 226 mil no m√™s de julho. Ainda assim, agosto foi o segundo melhor m√™s deste ano em vendas, de acordo com os dados da Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea), divulgados nesta ter√ßa-feira (5). Agosto foi o primeiro m√™s sem efeitos claros do programa de incentivos do governo federal. Com os descontos, a m√©dia di√°ria de vendas em julho chegou a 10,7 mil ve√≠culos. Em agosto, foram 9 mil vendas di√°rias. A produ√ß√£o de ve√≠culos, por outro lado, teve aumento de 24% em agosto, com a redu√ß√£o dos estoques no m√™s anterior. Foram 227 mil ve√≠culos produzidos, contra 183 mil no m√™s de julho. Em rela√ß√£o ao mesmo m√™s do ano anterior, houve queda de 4,6%. No acumulado do ano, houve queda de 0,4% em rela√ß√£o √† mesma janela do ano anterior. Foram 1,542 milh√£o de ve√≠culos produzidos agora, contra 1,549 milh√£o em 2022. ‚ÄúA aus√™ncia da parada de f√°bricas √© um sinal muito positivo em rela√ß√£o ao que vivemos nos √ļltimos anos‚ÄĚ, disse M√°rcio de Lima Leite, presidente da Anfavea. Segundo Lima Leite, parte do resultado foi ajudado pelas exporta√ß√Ķes. O executivo aponta para um crescimento expressivo de vendas para o M√©xico, que representa hoje 31% das exporta√ß√Ķes de ve√≠culos brasileiros. Em seguida, vem a Argentina, com 29% de participa√ß√£o, seguida de Col√īmbia (10%) e Chile (6%). ‚ÄúO M√©xico tem recebido investimentos expressivos nos √ļltimos anos. O pa√≠s est√° crescendo muito, tem investimentos vindos da China e de pa√≠ses asi√°ticos. Vive um outro momento em termos de ind√ļstria automotiva, mas tem impacto direto no Brasil em fun√ß√£o do nosso acordo de livre com√©rcio‚ÄĚ, diz. Sem descontos, perfil muda O programa de redu√ß√£o de pre√ßos de ve√≠culos do governo federal tinha como foco a venda de carros populares. Os descontos, portanto, foram de R$ 2 mil a R$ 8 mil para carros de pequeno porte, com valor total de at√© R$ 120 mil. Inicialmente, o prazo previsto era de quatro meses, mas os recursos terminaram depois de apenas um m√™s. A estimativa do governo √© que 125 mil ve√≠culos tenham sido vendidos, ap√≥s libera√ß√£o de R$ 650 milh√Ķes dos R$ 800 milh√Ķes previstos em descontos para a modalidade. Com pre√ßo menor em carros de entrada, a venda de hatches subiu, enquanto SUVs e picapes tiveram queda. No m√™s de agosto, a tend√™ncia se inverteu. Veja abaixo: HATCHES 20,8% em maio; 25,2% em junho; 28,6% em julho; 22,7% em agosto. SUVs 42,2% em maio; 39,9% em junho; 38,1% em julho; 40% em agosto. PICAPES 20,8% em maio; 18,1% em junho; 16% em julho; 19,1% em agosto. As ondas aconteceram porque, em geral, os hatches t√™m pre√ßos mais baixos e passaram pelo teto definido pelo governo. N√£o √© o caso de boa parte dos SUVs e das picapes no mercado brasileiro. J√° os sed√£s tiveram pouca varia√ß√£o no per√≠odo, por terem faixas variadas de pre√ßo.
Veja Mais

20/08 - Por que o carro colorido sumiu? 67% dos veículos no Brasil são brancos, pretos ou cinzas
Ve√≠culos vermelhos, no entanto, ainda resistem nas avenidas do pa√≠s, segundo dados da Secretaria Nacional de Tr√Ęnsito. Por que o carro colorido sumiu? 67% dos ve√≠culos no Brasil s√£o brancos, pretos ou cinzas F√£ de carros antigos, Andr√©s Pesserl lembra de quando podia escolher entre v√°rias cores para o carro que iria comprar. A partir do final dos anos 1990, ele teve que se conformar com uma nova realidade. "Eu fui v√≠tima da imposi√ß√£o da oferta. Ou seja, desde ent√£o s√≥ tive carros prata, preto e branco. Mas, pelo contr√°rio, meus carros de d√©cadas passadas foram amarelos, verdes, vermelhos e azuis", diz Pesserl, presidente da Federa√ß√£o Brasileira de Ve√≠culos Antigos (FBVA). Um levantamento do g1 com base em dados na Secretaria Nacional de Tr√Ęnsito (Senatran) confirma a sensa√ß√£o de que as ruas est√£o menos coloridas: em junho de 2023, 80,4 milh√Ķes dos ve√≠culos no Brasil, ou 67% da frota total, s√£o de uma dessas quatro cores: branca (21,2%); preta (18,9%); prata (16,8%); cinza (10,2%). Carros branco e prata na avenida Paulista, em S√£o Paulo Reprodu√ß√£o/TV Globo Al√©m de carros, os dados da Senatran consideram tamb√©m motos, caminhonetes, caminh√Ķes e outros tipos de ve√≠culos. Eram 63% em 2013, quando a secretaria passou a levantar as cores dos autom√≥veis. O ponto fora da curva descolorida √© o ūüöóvermelho, com 15,6% da frota. Os dados indicam que o percentual de outras cores chamativas caiu nos √ļltimos 30 anos. Cores como azul, verde, bege e amarela s√£o residuais; juntas, somam 17% do total. Entre os motivos, est√£o o fato de carros coloridos terem custo de produ√ß√£o maior e uma mudan√ßa do perfil de compra: o maior cliente das montadoras atualmente s√£o as locadoras de ve√≠culos. Quem prefere carro colorido zero quil√īmetro tem que esperar meses nas concession√°rias (leia mais abaixo). Essa reportagem tamb√©m vai te mostrar: O tamanho da redu√ß√£o das cores chamativas nos ve√≠culos nas √ļltimas d√©cadas; Qual √© a cor predominante dos ve√≠culos em cada uma das 5.570 cidades do Brasil; As cidades com maior propor√ß√£o de ve√≠culos de cores diferentes, como rosa e verde; Os diversos motivos que explicam o sumi√ßo dos carros coloridos. Brasil sobre rodas menos colorido Segundo os dados da Senatran, o Brasil est√° cada vez menos colorido. Branco, preto, prata e cinza s√£o maioria em 95% dos 5.570 munic√≠pios brasileiros. Em 2013, eram maioria em 69% das cidades. Um levantamento da Federa√ß√£o Brasileira de Ve√≠culos Antigos (FBVA) indica diversidade ainda maior de cores no passado. Dos 13 mil ve√≠culos cadastrados com dado de cor dispon√≠vel at√© 1993, a cor mais comum era azul, com 17%. Depois apareciam branco e vermelho, ambos com 16%, verde (11%), bege (10%), cinza (7%) e preto e amarelo, com 6%. Avenida Paulista nos anos 1980; frota era mais colorida Reprodu√ß√£o/TV Globo A cor predominante em cada cidade A an√°lise da cor de ve√≠culo predominante na frota de cada cidade mostra a for√ßa das tonalidades neutras. O branco ocupa o topo do ranking, como cor predominante em 2.333 cidades, logo acima do vermelho, com a maior propor√ß√£o da frota em 2.217 cidades, principalmente no Norte e Nordeste. No entanto, o vermelho aparece em regi√Ķes com popula√ß√£o muito mais baixa e, portanto, com menor quantidade de ve√≠culos. Veja no mapa abaixo qual √© a cor de ve√≠culo predominante em cada cidade do pa√≠s: Cidades mais extravagantes J√° as cores mais "extravagantes" est√£o espalhadas pelo pa√≠s sem um padr√£o claro, exceto pelo fato de serem cidades pequenas, com at√© 15 mil habitantes. No Nordeste, em Cacimbas (PB), por exemplo, mais da metade dos ve√≠culos √© na cor vermelha (51%). J√° o munic√≠pio com mais ve√≠culos azuis √© Meridiano (SP), com 16% do total. A cidade a com mais ve√≠culos verdes √© Lauro Muller (13%), em Santa Catarina. J√° o munic√≠pio com mais ve√≠culos laranjas √©... Laranjal do Jari (7%), no Amap√°. Por que mais neutro? O g1 conversou com especialistas de tintas automotivas e de opera√ß√Ķes do setor para entender por que as ruas ficaram menos coloridas nas √ļltimas d√©cadas. Os entrevistados citaram diversos fatores, que envolvem todas as cadeias do mercado. DIVERSIDADE CUSTA MAIS CARO: um dos fatores mais citados √© a influ√™ncia da ind√ļstria, que tem sua produ√ß√£o facilitada quando existem poucas cores para serem escolhidas. "Facilita muito o trabalho deles, principalmente em carros populares, n√£o ter que ficar trocando a cor da pintura na linha. Quanto menos diversidade, melhor √©, garante mais velocidade e menos complica√ß√Ķes", explica Ricardo Vettorazzi, gerente de repintura automotiva da PPG. IND√öSTRIA SOB PRESS√ÉO: analista do setor e ex-diretor de montadoras como Ford e Volkswagen, Flavio Padovan ressalta que as montadoras vivem cen√°rio de retra√ß√£o ap√≥s dois grandes baques nos √ļltimos anos: a crise mundial de 2008 e a pandemia de covid-19. "H√° 20 anos a gente tinha quatro montadoras aqui. Hoje s√£o mais de 20, 30 empresas. Ent√£o o bolo √© dividido com muito mais montadoras, fica ainda mais dif√≠cil de controlar a complexidade de produ√ß√£o", diz o analista. CULTURA DE REVENDA: em comum, especialistas citam concession√°rias e clientes tamb√©m como "culpados", com uma cultura que evita cores extravagantes por medo de n√£o encontrar compradores em uma poss√≠vel venda do ve√≠culo. MUDAN√áA DO MERCADO: outro fator exposto √© a mudan√ßa no mercado automotivo, que deve se acentuar ainda mais no futuro: vender menos para a pessoa f√≠sica e mais para empresas, principalmente frotistas. "Quando a gente fala de locadora, o foco dela √© comprar ve√≠culos mais neutros para n√£o ter aquele problema de ‚Äėah, n√£o quero o carro desta cor‚Äô‚ÄĚ, explica Ricardo Roa, s√≥cio e l√≠der do segmento automotivo da KPMG Brasil. PREFER√äNCIA DOS CLIENTES: Outros entrevistados ressaltam como a prefer√™ncia dos consumidores teria mudado a partir dos anos 2.000 para tons neutros, principalmente o branco, cor que o diretor de Tintas Automotivas da Basf, Marcos Fernandes opina ter sido associada a conceitos tecnol√≥gicos emergentes na √©poca, como iPhone. "Foi um divisor de √°guas [carro branco], justamente pela conex√£o dele com a tecnologia. As pessoas come√ßaram a olhar e a ind√ļstria come√ßou a desenvolver carros brancos, que ficaram bonitos", afirma. BUROCRACIA PARA COLORIR: com o cen√°rio atual j√° estabelecido de um mercado lotado de cores neutras, um consumidor que queira um carro colorido pode ter que esperar a entrega da concession√°ria por meses. No caso de carros revendidos, especialistas tamb√©m citam barreiras financeiras, caso a pessoa queira fazer a repintura do carro de cor neutra, e burocr√°ticas, para atualizar o documento do carro com a cor nova. Futuro pode ser mais colorido Nesse contexto, a Fiat anunciou em junho deste ano que ir√° parar de produzir ve√≠culos cinzas e pratas ‚ÄĒmas somente na Europa, por enquanto. A decis√£o da montadora tem como justificativa ‚Äúdestacar a import√Ęncia das cores na vida, incorporando o jeito italiano de viver e reafirmando o novo valor da marca Dolce Vita" (doce vida, em italiano). Roa pondera que n√£o d√° para ter certeza se essa mudan√ßa chegar√° ao Brasil e diz n√£o acreditar que o cen√°rio de concentra√ß√£o de cores deve mudar a curto ou a m√©dio prazo. ‚ÄúO que vai mudar √©, talvez, os ve√≠culos mais futuristas, mas n√£o a m√©dio prazo, mas a longo prazo‚ÄĚ, afirma. Outros entrevistados citam o crescimento do azul e vermelho nos √ļltimos anos e afirmam que no futuro a tend√™ncia √© que as ruas fiquem mais coloridas, mas dificilmente ao n√≠vel de d√©cadas passadas. "Pensando em tend√™ncia mais para a frente, a gente v√™ os tons que remetem ao bege, alguma coisa mais cobreada, marrom, que levam mais para o lado da natureza", afirma o diretor da Basf Marcos Fernandes.
Veja Mais

18/08 - Como ladr√Ķes de carros est√£o virando ‚Äėhackers‚Äô para roubar modelos mais modernos
√Č importante manter o software do ve√≠culo atualizado, assim como j√° fazemos com telefones e computadores, para evitar invas√Ķes. Como ladr√Ķes de carros est√£o virando 'hackers' para roubar modelos mais modernos Getty Images Hoje em dia, os carros s√£o, basicamente, centros de inform√°tica sobre rodas. Os ve√≠culos de √ļltima gera√ß√£o podem conter mais de 100 computadores e milh√Ķes de linhas de c√≥digo de software. Esses computadores est√£o todos conectados √† internet e podem operar todos os aspectos do ve√≠culo. N√£o √© de surpreender, ent√£o, que o roubo de carros tamb√©m tenha se tornado uma opera√ß√£o high-tech. Computadores de bordo Os computadores em um ve√≠culo podem ser divididos em quatro categorias. V√°rios deles s√£o dedicados a operar o sistema de transmiss√£o do ve√≠culo, incluindo controlar o combust√≠vel, a bateria ou ambos, monitorar as emiss√Ķes e operar o controle de velocidade de cruzeiro. A segunda categoria √© dedicada a fornecer seguran√ßa. Esses computadores coletam dados do ve√≠culo e do ambiente externo e fornecem fun√ß√Ķes como assist√™ncia de perman√™ncia em faixa, frenagem autom√°tica e monitoramento de r√©. A terceira categoria s√£o os sistemas de infoentretenimento, que fornecem m√ļsica e v√≠deo e podem interagir com seus dispositivos pessoais por meio de conex√£o bluetooth. Muitos ve√≠culos tamb√©m podem se conectar a servi√ßos de celular e fornecer conectividade wifi. A categoria final √© o sistema de navega√ß√£o, incluindo o sistema de GPS do carro. Os computadores de uma categoria geralmente precisam se comunicar com os de outra categoria para funcionarem plenamente. Por exemplo, o sistema de seguran√ßa deve ser capaz de controlar o sistema de transmiss√£o e os sistemas de infoentretenimento. Uma diferen√ßa entre a rede do seu carro e uma rede de computadores t√≠pica √© que todos os dispositivos do carro confiam uns nos outros. Portanto, se um invasor puder acessar um computador, poder√° facilmente acessar todos os outros. Getty Images Uma diferen√ßa entre a rede do seu carro e uma rede de computadores t√≠pica √© que todos os dispositivos do carro confiam uns nos outros. Portanto, se um invasor puder acessar um computador, poder√° facilmente acessar todos os outros. Como acontece com qualquer nova tecnologia, alguns aspectos dos carros de √ļltima gera√ß√£o tornam os roubos mais dif√≠ceis, enquanto outros facilitam o trabalho dos ladr√Ķes. De toda forma, existem v√°rios m√©todos para roubar um carro que s√£o possibilitados pela tecnologia atual. Invas√£o das chaves por aproxima√ß√£oUm recurso presente em v√°rios carros atualmente √© a chave por aproxima√ß√£o, que n√£o precisa ser inserida na fechadura para abrir as portas ou na igni√ß√£o para dar a partida. A tecnologia √© muito conveniente e funciona por meio da transmiss√£o de um sinal com um c√≥digo, que pareia a chave com o carro. Mas, diferente dos controles remotos, que tamb√©m destravam os carros, as chaves por aproxima√ß√£o est√£o sempre transmitindo um sinal, de forma que assim que voc√™ chegar perto de seu carro e tocar na porta, ela se destrancar√°. No modelo mais antigo era necess√°rio apertar um bot√£o no chaveiro para abrir as portas e depois usar a chave para ligar o carro. As primeiras chaves por aproxima√ß√£o transmitiam um c√≥digo digital para o carro e os ladr√Ķes rapidamente perceberam que poderiam monitorar o sinal de r√°dio e fazer uma grava√ß√£o. Eles poderiam ent√£o repetir a grava√ß√£o e destravar o carro. Para ajudar na seguran√ßa, as novas chaves usam um c√≥digo √ļnico para abrir as portas. Para ajudar na seguran√ßa, as novas chaves usam um c√≥digo √ļnico para abrir as portas. Getty Images Outro m√©todo de roubo de carros envolve o uso de dois dispositivos para construir uma ponte eletr√īnica entre as chaves e o carro. Funciona da seguinte maneira: uma pessoa se aproxima do carro e usa um dispositivo para induzir o ve√≠culo a enviar um c√≥digo digital usado para verificar as chaves do propriet√°rio. O dispositivo do ladr√£o ent√£o envia esse sinal para um c√ļmplice que est√° perto do dono, que transmite uma c√≥pia do sinal. Quando a chave do propriet√°rio responde √† comunica√ß√£o, o dispositivo perto do dono do carro envia um c√≥digo para o outro aparelho pr√≥ximo ao ve√≠culo, que √© destravado. Os ladr√Ķes podem ent√£o partir com o carro, mas assim que desligarem o motor, n√£o poder√£o reinici√°-lo. As montadoras est√£o atualmente tentando evitar esse tipo de golpe exigindo que a chave esteja dentro do carro para que ele seja acionado. Seguran√ßa da informa√ß√£o em alta: veja como entrar no setor Hackeio √† rede As rede usadas por todos os computadores de um mesmo carro para se comunicarem s√£o chamadas de redes CAN. Elas foram projetadas para permitir que os dispositivos em um ve√≠culo enviem comandos e informa√ß√Ķes uns aos outros. As redes CAN n√£o foram projetadas para seguran√ßa, pois todos os dispositivos s√£o considerados aut√īnomos. Mas essa premissa deixa o carro vulner√°vel a hackers. Ladr√Ķes de carros geralmente tentam invadir a rede CAN e, a partir da√≠, os computadores que controlam o motor do carro. A unidade de controle do motor armazena uma c√≥pia do c√≥digo da chave por aproxima√ß√£o, e os ladr√Ķes podem clon√°-la para ligar o carro da v√≠tima. Outro m√©todo √© acessar o diagn√≥stico de bordo de um carro por meio de uma porta f√≠sica ou conex√£o sem fio destinada a t√©cnicos de reparo. Ladr√Ķes que acessam os diagn√≥sticos de bordo obt√™m acesso √† rede CAN. H√° ainda gangues que quebram o vidro de um dos far√≥is para alcan√ßar uma fia√ß√£o direta da rede CAN. Ataque retr√ī Ladr√Ķes modernos tamb√©m usam um hack contra a conex√£o USB, que explora uma falha de design em ve√≠culos da Hyundai e da Kia. Trata-se mais de um tipo de "liga√ß√£o direta" no estilo antigo do que um erro em um computador de alta tecnologia, na verdade. Basicamente, ap√≥s arrombarem o carro, os ladr√Ķes procuram uma entrada USB na coluna de dire√ß√£o. Eles ent√£o inserem um dispositivo que permite ligar a igni√ß√£o. Essa t√©cnica se tornou popular gra√ßas a uma gangue de jovens ladr√Ķes de carros em Milwaukee, nos Estados Unidos, apelidados de Kia Boyz e que ganharam notoriedade no TikTok. A Hyundai e a Kia, ent√£o, lan√ßaram uma atualiza√ß√£o que exige que a chave por aproxima√ß√£o esteja no carro para inici√°-lo. Limitando a vulnerabilidade do carro Dado que existem tantos modelos de carros diferentes, com uma complexidade cada vez maior, √© prov√°vel que continuem a existir maneiras novas e criativas para roubos. Ent√£o, o que fazer? As dicas s√£o as mesmas de sempre: mantenha seu ve√≠culo trancado e n√£o deixe as chaves nele. O conselho mais novo, por√©m, √© manter o software do ve√≠culo atualizado, assim como j√° fazemos com telefones e computadores. *Doug Jacobson √© professor de Engenharia El√©trica e Computa√ß√£o da Iowa State University *Este artigo foi publicado originalmente no site de not√≠cias acad√™micas The Conversation e republicado sob licen√ßa Creative Commons. Leia aqui a vers√£o original em ingl√™s.
Veja Mais

11/08 - A nova tecnologia que pode facilitar roubo de carros
Existe atualmente muita discuss√£o na ind√ļstria automotiva sobre a 'internet dos ve√≠culos'. Mas como ela pode beneficiar os ladr√Ķes? Como poderemos conciliar comodidade e seguran√ßa na internet dos ve√≠culos? GETTY IMAGES Existe atualmente muita discuss√£o na ind√ļstria automotiva sobre a ‚Äúinternet dos ve√≠culos‚ÄĚ (IoV, na sigla em ingl√™s). A IoV √© uma rede de carros e outros ve√≠culos que podem realizar interc√Ęmbio de dados pela internet, para tentar fazer com que o transporte seja mais aut√īnomo, seguro e eficiente. A IoV pode ajudar os ve√≠culos a identificar bloqueios nas estradas, congestionamentos e pedestres. Ela poder√° ajudar a posicionar o carro na rodovia, possivelmente permitir a dire√ß√£o sem motorista e fornecer diagn√≥sticos de falhas mais simples. At√© certo ponto, ela j√° existe em estradas inteligentes, onde a tecnologia √© empregada para gerenciar o tr√°fego da forma mais eficiente poss√≠vel. Uma IoV mais sofisticada exigir√° a instala√ß√£o nos ve√≠culos de mais sensores, software e outras tecnologias, al√©m de maior infraestrutura nas rodovias. Os carros j√° incluem mais sistemas eletr√īnicos do que nunca, desde c√Ęmeras e conex√Ķes com telefones celulares at√© sistemas de informa√ß√£o e entretenimento. Mas alguns desses sistemas podem tamb√©m tornar nossos ve√≠culos expostos a roubos e ataques mal-intencionados, √† medida que os criminosos identificarem e explorarem as vulnerabilidades da nova tecnologia. E, de fato, isso j√° est√° acontecendo. Burlando a seguran√ßa As chaves inteligentes, teoricamente, protegem os ve√≠culos modernos contra roubo. Para poder dirigir o carro, seu propriet√°rio pressiona uma tecla na chave que desliga o sistema imobilizador do ve√≠culo (um dispositivo eletr√īnico que evita que o autom√≥vel seja ligado sem a chave). Mas uma forma conhecida de burlar este sistema inclui uma ferramenta manual de retransmiss√£o que faz o ve√≠culo ‚Äúpensar‚ÄĚ que a chave inteligente est√° mais pr√≥xima do que se encontra na realidade. √Č preciso ter duas pessoas trabalhando em conjunto, uma em p√© junto ao ve√≠culo e outra perto da real localiza√ß√£o da chave, como ao lado da casa do propriet√°rio do autom√≥vel. A pessoa perto da casa usa a ferramenta, que pode captar o sinal da chave e retransmiti-lo para o ve√≠culo. O dispositivo retransmissor necess√°rio para realizar este tipo de roubo pode ser encontrado na internet por menos de 100 libras (cerca de R$ 620) e as tentativas costumam acontecer √† noite. Para evitar sua ocorr√™ncia, as chaves dos carros podem ser colocadas em sacos de Faraday ou caixas que bloqueiam todos os sinais emitidos pelas chaves. Mas existe agora um m√©todo mais avan√ßado de ciberataque a ve√≠culos que est√° se tornando cada vez mais comum. Ele √© conhecido como ‚Äúataque de inje√ß√£o CAN‚ÄĚ (Rede de √Ārea de Controlador, na sigla em ingl√™s) e funciona estabelecendo conex√£o direta com o sistema de comunica√ß√£o interna do ve√≠culo, o barramento CAN. O principal caminho para o barramento CAN fica embaixo do ve√≠culo. Por isso, os criminosos tentam ganhar acesso atrav√©s das luzes frontais do carro. √Č preciso retirar o para-choque para inserir um injetor CAN no sistema do motor. Os ladr√Ķes podem ent√£o enviar mensagens falsas para enganar o ve√≠culo, que passa a acreditar que estes sinais s√£o da chave inteligente e desliga o sistema imobilizador. E, depois de ganharem acesso ao ve√≠culo, eles podem dar a partida e levar o carro embora. O sistema de informa√ß√£o e entretenimento dos autom√≥veis pode ser um ponto de grande vulnerabilidade. GETTY IMAGES Abordagem 'confian√ßa zero' Com a perspectiva de uma poss√≠vel epidemia de roubos de ve√≠culos, os fabricantes est√£o testando novas formas de eliminar esta nova vulnerabilidade o mais r√°pido poss√≠vel. Uma estrat√©gia consiste em n√£o confiar em nenhuma mensagem recebida pelo carro. Ela √© chamada de ‚Äúabordagem confian√ßa zero‚ÄĚ. Neste sistema, todas as mensagens precisam ser enviadas e verificadas. Uma forma √© instalar um m√≥dulo de seguran√ßa de hardware no ve√≠culo, que funciona com a gera√ß√£o de chaves criptogr√°ficas, que permitem que os dados sejam criptografados e decifrados, criando e verificando assinaturas digitais nas mensagens. A ind√ļstria automotiva vem instalando cada vez mais este mecanismo nos carros novos. Mas incorpor√°-lo aos ve√≠culos existentes √© impratic√°vel por quest√Ķes de tempo e custo, de forma que muitos dos carros que est√£o em circula√ß√£o permanecem vulner√°veis ao ataque por inje√ß√£o de CAN. Ataques aos sistemas de informa√ß√£o e entretenimento Outra preocupa√ß√£o de seguran√ßa entre os ve√≠culos modernos √© o sistema de computador de bordo, tamb√©m chamado de ‚Äúsistema de informa√ß√£o e entretenimento‚ÄĚ. As poss√≠veis vulnerabilidades deste sistema, muitas vezes, s√£o menosprezadas, embora suas repercuss√Ķes possam ser catastr√≥ficas para o motorista. Um exemplo √© a possibilidade de que os invasores executem ‚Äúc√≥digos remotos‚ÄĚ para fornecer c√≥digos maliciosos para o sistema computadorizado do ve√≠culo. Em um caso relatado nos Estados Unidos, o sistema de informa√ß√£o e entretenimento serviu de ponto de entrada para os invasores, que introduziram atrav√©s dele o seu pr√≥prio c√≥digo, para enviar comandos para os componentes f√≠sicos do carro, como o motor e as rodas. Um ataque como este claramente tem o potencial de prejudicar o funcionamento do ve√≠culo, causando acidentes. Esta n√£o √© uma simples quest√£o de prote√ß√£o de dados pessoais contidos no sistema de informa√ß√£o e entretenimento. Ataques desta natureza podem explorar muitas vulnerabilidades, como o navegador de internet do ve√≠culo, pendrives conectados via USB e programas que precisam ser atualizados para proteger o sistema contra ataques conhecidos, al√©m de senhas fracas. Por isso, todos os motoristas de ve√≠culos com sistemas de informa√ß√£o e entretenimento devem compreender bem os mecanismos b√°sicos de seguran√ßa que podem proteg√™-los contra os ataques de hackers. A possibilidade de uma epidemia de roubos de ve√≠culos e pedidos de seguro devido aos ataques de CAN √© uma perspectiva assustadora. √Č preciso haver um equil√≠brio entre os benef√≠cios da internet dos ve√≠culos, como dire√ß√£o mais segura e maior capacidade de recuperar carros roubados, e seus potenciais riscos. *Rachael Medhurst √© professora e diretora de cursos de ciberseguran√ßa da Academia Nacional de Ciberseguran√ßa (NCSA) da Universidade do Sul do Pa√≠s de Gales, no Reino Unido. Este artigo foi publicado originalmente no site de not√≠cias acad√™micas The Conversation e republicado sob licen√ßa Creative Commons. Leia aqui a vers√£o original em ingl√™s.
Veja Mais

09/08 - Comissão do Senado aprova projeto que torna obrigatória avaliação psicológica para renovação de CNH
Atualmente, exame √© exigido na primeira habilita√ß√£o e a motoristas que exercem atividade remunerada. Proposta foi aprovada em car√°ter terminativo e, se n√£o houver recurso, vai direto √† C√Ęmara. Carteira Nacional de Habilita√ß√£o (CNH) Daiane Mendon√ßa/Secom A Comiss√£o de Constitui√ß√£o e Justi√ßa (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (9) o projeto que torna obrigat√≥ria a avalia√ß√£o psicol√≥gica para renova√ß√£o da Carteira Nacional de Habilita√ß√£o (CNH). Atualmente, o exame √© exigido periodicamente somente aos motoristas que exercem atividade remunerada. Nos outros casos, √© cobrado na primeira habilita√ß√£o. O projeto, de autoria do senador Davi Alcolumbre (Uni√£o-AP), altera o C√≥digo de Tr√Ęnsito e torna a avalia√ß√£o obrigat√≥ria em todas as renova√ß√Ķes da CNH. A proposta foi aprovada, por unanimidade, em car√°ter terminativo pela CCJ. Se n√£o houver recurso ao plen√°rio do Senado, seguir√° direto para an√°lise da C√Ęmara dos Deputados. O relator do texto na comiss√£o, senador Fabiano Contarato (PT-ES), defendeu a amplia√ß√£o da exig√™ncia e argumentou que ‚Äúmudan√ßas pessoais ocorridas com o passar do tempo‚ÄĚ devem ser consideradas. ‚ÄúHoje, a avalia√ß√£o √© realizada uma √ļnica vez, quando a pessoa tenta obter a Permiss√£o Para Dirigir. Tal procedimento difere do adotado para o exame m√©dico pericial, repetido a cada dez anos, no m√°ximo. A falta de continuidade dos exames psicol√≥gicos faz com que as mudan√ßas pessoais ocorridas com o passar do tempo n√£o sejam consideradas‚ÄĚ, escreveu Contarato. Discuss√£o Durante a an√°lise do texto, a senadora Mara Gabrilli (PSD-SP) destacou a import√Ęncia do projeto e disse que a medida seria fundamental para reduzir acidentes de tr√Ęnsito. "Eu como uma pessoa v√≠tima de acidente de tr√Ęnsito, quero dizer que √© uma medida important√≠ssima para a gente reduzir os impactos que os acidentes de tr√Ęnsito causam, n√£o s√≥ no SUS e na previd√™ncia social, mas na vida de uma pessoa e de toda sua fam√≠lia", afirmou. A senadora defendeu ainda que a sa√ļde mental dos motoristas deve ser constantemente avaliada. Ela tamb√©m relembrou o acidente de tr√Ęnsito que sofreu em 1994 e a deixou tetrapl√©gica. "Como psic√≥loga que sou, sei bem que a sa√ļde mental ela n√£o tem eternidade, s√£o in√ļmeros os fatores que nos tiram do eixo, e podem nos desequilibrar, gerar atitudes violentas e imprudentes. O meu acidente foi fruto de viol√™ncia", disse. "O motorista, que era meu namorado, andava muito violento, ele estava b√™bado, al√©m de tudo, que j√° era uma const√Ęncia, ele acelerava o carro para me deixar irritada, ele acelerou o carro na serra de Taubat√©, que quem conhece sabe que √© uma serra horrorosa e a gente caiu 15 metros de altura e ele n√£o teve um arranh√£o e eu fiquei paralisada, sem falar, sem respirar e sem mexer", completou.
Veja Mais

07/08 - Produção de veículos no Brasil recua em julho, mas vendas sobem com apoio do governo
Anfavea espera que as vendas de carros, comerciais leves, caminh√Ķes e √īnibus novos em 2023 cres√ßam 3% este ano, para 2,168 milh√Ķes de unidades. Volkswagen Divulga√ß√£o/Volkswagen A produ√ß√£o de ve√≠culos em julho no Brasil caiu 3,3% ante junho, para 183 mil unidades, enquanto as vendas subiram 19%, para 225,6 mil, impulsionadas pelo benef√≠cio do governo federal que barateou os pre√ßos dos produtos no per√≠odo, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela associa√ß√£o de montadoras, Anfavea. Na compara√ß√£o com julho de 2022, a produ√ß√£o foi 16,4% menor, mas as vendas cresceram 24%. No ano at√© o m√™s passado, a produ√ß√£o de carros, comerciais leves, caminh√Ķes e √īnibus no Brasil ficou praticamente est√°vel sobre o mesmo per√≠odo de 2022, avan√ßando 0,3%, a 1,315 milh√£o de unidades. J√° as vendas entre janeiro e julho mostraram evolu√ß√£o de 11,3%, para 1,22 milh√£o de unidades, segundo os dados da entidade. O setor exportou em julho 30,3 mil ve√≠culos, queda de 27,6% sobre um ano antes. Nos primeiros sete meses do ano, as vendas externas do setor mostram baixa de 10,6%, a 257,6 mil unidades. Emplacamentos O emplacamento di√°rio de ve√≠culos leves na primeira semana de agosto foi 23% maior que o registrado no mesmo per√≠odo de 2022, apesar do fim do benef√≠cio do governo federal que barateou os pre√ßos dos modelos no m√™s anterior, segundo dados divulgados pela Anfavea, associa√ß√£o de montadoras, nesta segunda-feira. "O mercado se manteve em patamares aquecidos ap√≥s o fim dos descontos e come√ßamos agosto com crescimento bem superior a agosto de 2022", afirmou o presidente da Anfavea, M√°rcio de Lima Leite, em apresenta√ß√£o a jornalistas. Segundo os dados da entidade, os licenciamentos de carros e comerciais leves na primeira semana de agosto ficaram pr√≥ximos do n√≠vel de 10 mil unidades, ante 10.743 unidades em julho. As vendas do m√™s passado foram as maiores para o m√™s desde 2019 e tamb√©m marcaram o melhor em volume e m√©dia di√°ria desde dezembro de 2020. Apesar disso, a entidade vai esperar outubro para avaliar uma eventual revis√£o em suas proje√ß√Ķes para o ano, afirmou o executivo, citando que o benef√≠cio federal que reduziu os pre√ßos dos ve√≠culos no m√™s passado serviu em parte para "despertar o interesse dos consumidores pela troca de seus ve√≠culos", disse o presidente da entidade. A Anfavea espera que as vendas de carros, comerciais leves, caminh√Ķes e √īnibus novos em 2023 cres√ßam 3% este ano, para 2,168 milh√Ķes de unidades. A previs√£o para a produ√ß√£o √© de alta de 2,2%, para 2,42 milh√Ķes de ve√≠culos. No ano at√© o m√™s passado, a produ√ß√£o de carros, comerciais leves, caminh√Ķes e √īnibus no Brasil ficou praticamente est√°vel sobre o mesmo per√≠odo de 2022, avan√ßando 0,3%, a 1,315 milh√£o de unidades. J√° as vendas mostraram evolu√ß√£o de 11,3%, para 1,22 milh√£o de unidades, segundo dados divulgados mais cedo pela entidade. O setor terminou julho com estoque de ve√≠culos novos de 198,8 mil unidades, equivalente a 26 dias de vendas, ante 223,6 mil em junho, segundo os dados da entidade. Segundo Leite, a queda da Selic decidida pelo Banco Central na semana passada ter√° "efeito imediato" sobre as vendas de ve√≠culos novos, mas o efeito completo sobre o setor se dar√° mais para 2024. "A maior dificuldade que temos √© a quest√£o de juros e cr√©dito. Esse mercado √© insustent√°vel com taxas elevadas como a que ainda est√° acontecendo", afirmou o presidente da Anfavea. O Banco Central anunciou na quarta-feira passada uma redu√ß√£o de 0,50 ponto percentual na Selic, a 13,25% ao ano, em decis√£o que dividiu os membros de sua diretoria em 5 a 4, e sinalizou novos cortes equivalentes, ap√≥s a primeira flexibiliza√ß√£o na taxa b√°sica de juros em tr√™s anos. Questionado sobre o an√ļncio na sexta-feira do lan√ßamento da nova edi√ß√£o do Programa de Acelera√ß√£o do Crescimento (PAC), Leite defendeu que os termos favore√ßam projetos que incluam produ√ß√£o nacional ante os que utilizem insumos industriais importados. "Estamos cobrando que (o PAC) privelegie produtores que invistam no pa√≠s para que n√£o tenhamos uma enxurrada de produtos importados", afirmou o executivo. Em julho, o M√©xico ultrapassou o mercado da Argentina como principal destino das exporta√ß√Ķes brasileiras de ve√≠culos. As vendas de ve√≠culos brasileiros para o M√©xico desde janeiro somaram cerca de 83 mil unidades, expans√£o de 90% sobre o volume de um ano antes. Enquanto isso, na Argentina, que tradicionalmente √© o maior mercado automotivo do Brasil, as vendas externas somaram 81 mil unidades, queda de 2,6%.
Veja Mais

23/07 - Brasileiro chega à Torre Eiffel com Uno que virou motorhome após rodar 60 mil km e planeja livro: 'não tem mais fronteiras pra mim'
Luiz Torelli chegou a 20 pa√≠ses visitados com o carro popular em tours pela Am√©rica do Sul, Estados Unidos e Europa. Ideia nasceu como uma forma de enfrentar uma depress√£o, ap√≥s a perda de sua av√≥, e depois de sobreviver a uma cirurgia de risco. Brasileiro chega at√© a Torre Eiffel com Fiat Uno transformado em motor home Ap√≥s rodar 60 mil quil√īmetros durante tours pela Am√©rica do Sul, Estados Unidos e Europa a bordo de um Fiat Uno transformado em motorhome, o brasileiro Luiz Torelli viralizou novamente nas redes sociais ao chegar a um dos mais conhecidos cart√Ķes postais do mundo: a Torre Eiffel. O morador de Nova Odessa, no interior de S√£o Paulo, tamb√©m chegou a 20 pa√≠ses visitados com seu companheiro motorizado, batizado como Sandr√£o, e seu objetivo atual √© chegar at√© a f√°brica matriz da Fiat, na It√°lia. Ainda neste ano, ele tamb√©m planeja lan√ßar um livro sobre a viagem at√© os Estados Unidos. A ideia de viajar o mundo nasceu como uma forma de enfrentar uma depress√£o, ap√≥s a perda de sua av√≥, e depois de sobreviver a uma cirurgia de risco. LEIA MAIS: Veja como foi a viagem de Luiz e Sandr√£o at√© os Estados Unidos Tour para a Europa aconteceu ap√≥s retorno para o Brasil Em territ√≥rio europeu, j√° foram percorridos Portugal, Espanha, Fran√ßa, B√©lgica, Holanda e o destino atual √© o Reino Unido. Mas o in√≠cio dessa nova jornada, em junho, foi atravessado por burocracias e gastos inesperados. Luiz foi do Brasil a Portugal de avi√£o e enviou Sandr√£o de barco, mas teve dificuldades para retirar o Uno no porto de Lisboa devido √† necessidade de tr√Ęmites alfandeg√°rios. Para retir√°-lo, Luiz precisou gastar 3.200 euros e esperou quase um m√™s. "Chorei v√°rias vezes. Chegou um momento em que eu pensei em desistir, em voltar para o Brasil", revela. Reencontro de Luiz com Sandr√£o em Portugal, para iniciarem a tour pela Europa Arquivo pessoal Ap√≥s o m√™s "perdido" com a burocracia, Luiz corre contra o tempo para cumprir seu objetivo, j√° que tem um per√≠odo de tr√™s meses de visto. "Eu t√ī na correria aqui pra dar tempo de fazer o m√°ximo poss√≠vel. Vou ter que pedir uma extens√£o de visto para ficar um per√≠odo a mais", conta. J√° entre os momentos mais prazerosos da nova tour, Luiz destaca Madri, na Espanha. "Achei muito legal. O povo espanhol √© muito bacana, conheci muitos brasileiros em Madri. A cidade √© muito bonita, e uma √©poca muito de calor agora, n√©?", comenta. E foi o pr√≥prio calor que fez com que ele desviasse sua rota para evitar desconfortos. "Eu ia pra It√°lia de Madri, mas acabei mudando a rota e indo pra cima, porque tava muito calor l√° pra baixo. Estava batendo 40, 42 graus e pra gente que mora no carro fica muito dif√≠cil dormir", explica. Luiz e Sandro em frente √† Torre Eiffel Arquivo pessoal Ap√≥s passar pelo Pa√≠s Basco, foi a vez da Fran√ßa e a chegada at√© Paris. "Quando eu cheguei na cidade dava pra ver a torre de longe, o Rio Sena. Eu fui margeando o Rio Sena e a hora que eu cheguei ali eu gritei mesmo e eu n√£o acreditava que estava ali com o meu carrinho que eu andava na minha cidade. N√£o tem mais fronteiras pra mim, n√©? √Č aquela coisa de que nada mesmo √© imposs√≠vel na nossa vida [...] Eu acreditei, n√£o desisti". Ele conta que se lembrou dos desafios que venceu na vida ao chegar no local e que foi muito dif√≠cil chegar at√© l√°. "J√° passei por dez cirurgias, nasci com l√°bio leporino, j√° passei muito sofrimento na minha vida. J√° sofri demais e agora acho que Deus est√° olhando e est√° me recompensando por tudo que eu j√° passei", reflete. Visita √† fabrica da Heineken em Amsterdam, na Holanda Arquivo pessoal A chegada ao Reino Unido tambem foi mais um desafio para Luiz, que diz que precisou passar por vistorias, tr√Ęmites burocr√°ticos e novas esperas, mas diz j√° estar se acostumando com essas situa√ß√Ķes e at√© brinca. "No registro geral de viajantes do mundo, o cara puxa l√° e fala: 'tem que interrogar esse cara a√≠'. E a√≠ eu j√° estou meio que me adaptando. Quando eu sei que o pa√≠s √© rico, vai muito turista, eu sei que eles v√£o me perguntar um monte de coisa". Lan√ßamento de livro O livro com a trajet√≥ria da primeira tour de Luiz tem lan√ßamento planejado entre final de setembro e come√ßo de outubro. "Eu conto todas as hist√≥rias que aconteceu durante o trajeto da minha cidade at√© chegar l√° em Nova York. Toda a Am√©rica Latina que eu passei, Am√©rica do Norte. E sobre a minha vida, eu t√ī contando tudo desde quando eu nasci, todos os problemas que eu passei, dificuldades", detalha. A obra est√° quase pronta, mas ainda n√£o tem um t√≠tulo, conta o novaodessense. "Vou contar toda a saga dos Estados Unidos, s√≥ n√£o da Europa ainda. Vai ficar com um pr√≥ximo", adianta. Luiz e Sandr√£o no Monument Valley, nos Estados Unidos Luiz Torelli/ Um a Uno Tours anteriores A trajet√≥ria internacional de Luiz e Sandr√£o come√ßou em 3 de mar√ßo de 2022. Na tour pelas am√©ricas, eles percorreram pa√≠ses como Paraguai, M√©xico, Peru, Col√īmbia e Bol√≠via. Nos Estados Unidos, a jornada incluiu Chicago, Boston, Filad√©lfia, Washington, Miami, Orlando, San Diego, Los Angeles, S√£o Francisco e Las Vegas. Entre os cart√Ķes postais, o Grand Canyon, que Luiz conheceu sob neve e um frio de -7¬ļC, a Golden Gate e a regi√£o do Big Sur, trecho da estrada Highway 1, na costa da Calif√≥rnia. ARQUIVO: Veja v√≠deo da √©poca em que Luiz estava em sua tour nos Estados Unidos L√°, realizou sonhos que alimentava h√° anos, como conhecer a Times Square, em Nova York, e a casa onde viveu Elvis Presley, em Memphis, no Tennessee. J√° no encerramento da viagem em territ√≥rio estadunidense, antes de se organizar para voltar, decidiu fazer refer√™ncia a um cl√°ssico do cinema. "Eu queria chegar no Monument Valley, que √© um lugar onde o Forrest Gump encerra o filme, que ele fala 'vou voltar [para casa]'. E ali eu fiz at√© uma homenagem ao Jessy e Shurastey, porque eles passaram por ali tamb√©m. Dali eu decidi encerrar e voltei sentido Texas". Jesse Koz e seu c√£o Shurastey rodavam o mundo em um fusca e morreram em um acidente, em maio de 2022. A hist√≥ria deles inspirou Luiz, que mantinha contato pela internet com Jesse e iria conhec√™-lo pessoalmente no ano passado, mas n√£o houve tempo h√°bil. Chegada de Luiz √† Times Square, em Nova York Arquivo pessoal/ Luiz Torelli Inspira√ß√£o para outras pessoas Antes de sair do pa√≠s, Luiz contava com 19 mil seguidores em sua p√°gina @um.a.uno, que mant√©m no Instagram. Hoje, j√° s√£o mais de 470 mil. Atualmente, ele j√° consegue viver somente do projeto, por meio de publicidade e venda de merchandising, mas diz que o mais importante e que "n√£o tem dinheiro que pague" √© a influ√™ncia positiva que tem gerado em outras pessoas. "Recebo muita mensagem de pessoas que se viram inspiradas pela gente a mudar e transformar suas vidas. [...] Eu fiz esse projeto para curar uma depress√£o que eu tinha, pela perda da minha av√≥, que foi a m√£e que me criou. E tem gente que tamb√©m est√° em depress√£o e v√™ os v√≠deos e se inspira. Faz um pouquinho do dia da pessoa melhor". Entre os relatos, est√£o os de pessoas que se inspiraram tanto que compraram carros do mesmo modelo. "√Äs vezes eu recebo foto: 'olha, por sua causa comprei um Uno. Eu e minha fam√≠lia estamos indo viajar. Obrigado por inspiurar a gente'. Muito desses relatos tamb√©m. E acho que o que mais me impacta √© de voc√™ tirar o cara de uma condi√ß√£o de tristeza e melhorar a vida do cara, melhorar o dia da pessoa. Gente com borderline que v√™ os v√≠deos e se sente calmo. Isso n√£o tem dinheiro que pague. Eu fico muito feliz". Visita ao Grand Canyon ocorreu sob neve e -7¬ļC Luiz Torelli/ Um a Uno Rota 66, em Illinois, nos Estados Unidos Arquivo pessoal/ Luiz Torelli Luiz posa ao lado de tudo o que levou para uma das viagens pelo Brasil, antes das aventuras internacionais Arquivo pessoal/ Luiz Torelli V√ćDEOS: Tudo sobre Piracicaba e regi√£o Veja mais not√≠cias no g1 Piracicaba
Veja Mais

17/07 - Volkswagen anuncia suspensão de um turno de produção na fábrica de Taubaté, SP
Medida acontece a partir de agosto e tem validade de dois meses. Sindicato diz que 800 trabalhadores ser√£o afetados. Produ√ß√£o do Polo Track, sucessor do Gol na f√°brica de Taubat√© Volkswagen/ Divulga√ß√£o A Volkswagen anunciou nesta segunda-feira (17) um layoff (suspens√£o tempor√°ria dos contratos de trabalho) para trabalhadores da f√°brica de Taubat√©, no interior de S√£o Paulo. Segundo o Sindicato dos Metal√ļrgicos, a medida afeta cerca de 800 trabalhadores. A montadora n√£o informou os motivos para ado√ß√£o do layoff. Apesar disso, o sindicato afirma que a empresa alegou que a suspens√£o dos contratos ser√° feita para adequar o volume de produ√ß√£o ao mercado, impactado pelos altos juros. Por nota, a Volkswagen afirma que a medida vai afetar um turno de produ√ß√£o. A suspens√£o tempor√°ria dos contratos tem validade a partir de agosto e inicialmente deve durar dois meses. Em maio, a montadora havia informado que colocaria cerca de 800 trabalhadores em layoff a partir do m√™s seguinte. Apesar disso, voltou atr√°s e cancelou a medida de flexibiliza√ß√£o ap√≥s o governo federal comunicar o corte de impostos para reduzir o pre√ßo dos carros populares. A produ√ß√£o ficou parada por oito dias entre junho e julho e foi retomada no √ļltimo dia 4 de julho. A f√°brica de Taubat√© conta com cerca de 3,1 mil trabalhadores e produz o Polo Track. Confira a nota da VW na √≠ntegra: ‚ÄúA Volkswagen do Brasil informa que a f√°brica de Taubat√© (SP) protocolou layoff para um turno de produ√ß√£o, iniciando em 1¬ļ de agosto, a princ√≠pio com dura√ß√£o de 2 meses. A ferramenta de flexibiliza√ß√£o est√° prevista em Acordo Coletivo firmado entre o Sindicato e colaboradores da Volkswagen‚ÄĚ. Veja mais not√≠cias do Vale do Para√≠ba e regi√£o bragantina
Veja Mais

07/07 - Produção de veículos tem tombo de 16,8% em junho, mas estoques se equilibram, diz Anfavea
Recursos do programa de descontos no carro zero terminaram e, segundo o presidente da associa√ß√£o, ajudaram a reduzir os estoques nas montadoras e cumpriram 'muito bem' a proposta de trazer carros mais baratos para o consumidor. Imagem a√©rea do p√°tio da Volkswagen no ABC Paulista lotado de ve√≠culos nesta quarta-feira (28). Leonardo Benassatto/Reuters Com as paralisa√ß√Ķes de montadoras de autom√≥veis no m√™s passado, a produ√ß√£o de ve√≠culos no Brasil teve uma queda forte de 16,8% em junho. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (7) pela Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea). Em maio, a produ√ß√£o chegou a 228 mil ve√≠culos, contra 189 mil no m√™s passado. O resultado foi prejudicado pelo fechamento de cinco f√°bricas no pa√≠s, por falta de demanda por ve√≠culos novos. No semestre, o setor colheu uma alta discreta de 3,7%, chegando a 1,13 milh√£o de ve√≠culos produzidos. Segundo M√°rcio de Lima Leite, presidente da Anfavea, o resultado de junho deve ser atenuado nos pr√≥ximos meses por conta do programa do governo federal de descontos na compra de carro zero. O programa foi um pedido do presidente Luiz In√°cio Lula da Silva (PT) √† sua equipe econ√īmica, para que montadoras dessem descontos em ve√≠culos novos. Foram liberados incentivos de R$ 1,8 bilh√£o. Lima Leite afirma que os primeiros efeitos do programa se concentraram na desova dos estoques das montadoras brasileiras e foram os ve√≠culos parados nos p√°tios que motivaram, a princ√≠pio, a paralisa√ß√£o de montadoras. ‚ÄúO setor estava com estoques muito elevados no encerramento de maio. Dentro da estrat√©gia e condi√ß√Ķes dos fabricantes, houve redu√ß√£o da produ√ß√£o para adequa√ß√£o e equil√≠brio dos estoques‚ÄĚ, diz. Os dados da Anfavea mostram que os estoques se reduziram de 251,7 mil em maio para 223,6 mil ve√≠culos em junho, entre montadoras e concession√°rias. Isso equivale a uma redu√ß√£o de 40 para 35 dias de reservas. O executivo ressaltou que o programa do governo deve arrastar parte dos resultados para o m√™s de julho. Segundo a Anfavea, a √ļltima semana de junho teve a maior venda di√°ria nos √ļltimos 10 anos, e h√° um intervalo entre venda e emplacamentos que s√≥ deve se refletir nas pr√≥ximas divulga√ß√Ķes. ‚ÄúOs recursos √† disposi√ß√£o para o carro zero se encerraram, cumprindo muito bem a proposta do programa de trazer carros mais baratos para o consumidor, com renova√ß√£o da frota e aquecimento da economia‚ÄĚ, diz. A Anfavea diz que foram produzidas e comercializadas nos √ļltimos quatro dias de junho mais de 79 mil unidades que n√£o est√£o computadas nos resultados de junho. Ainda assim, a entidade decidiu n√£o revisar proje√ß√Ķes de produ√ß√£o para o fim do ano. Emplacamentos Nesta semana, a Federa√ß√£o Nacional da Distribui√ß√£o de Ve√≠culos Automotores (Fenabrave) mostrou que as vendas de ve√≠culos novos no Brasil tiveram alta de 7,39% em junho, no primeiro resultado oficial do setor depois do programa de barateamento de carros zero. Em n√ļmeros absolutos, foram emplacadas 189.528 novas unidades no pa√≠s, entre carros, comerciais leves, caminh√Ķes e √īnibus. O g1 n√£o contabiliza motos e implementos rodovi√°rios. No primeiro semestre, foram 998.270 emplacamentos. Isso representa alta de 8,76% em rela√ß√£o ao mesmo per√≠odo de 2022. Em compara√ß√£o a junho de 2022, a alta foi de 6,33%. De acordo com Andreta Jr, presidente da Fenabrave, o n√ļmero de junho poderia ser maior n√£o fosse por um represamento do mercado. Houve problemas de log√≠stica, como atrasos de refaturamento e emiss√£o de notas de carros novos, al√©m de atrasos de libera√ß√£o dos Detrans com o alto volume de procura nas concession√°rias. Volkswagen suspende a produ√ß√£o de ve√≠culos no pa√≠s Estoques altos Um v√≠deo feito no dia 28 pelo Globocop, da TV Globo, causou repercuss√£o ao registrar o p√°tio da montadora Volkswagen, em S√£o Bernardo do Campo, com milhares de ve√≠culos √† espera de serem vendidos. (veja o v√≠deo acima) O ac√ļmulo de estoque fez a montadora promover mais uma parada de produ√ß√£o em suas f√°bricas por conta de uma ‚Äúestagna√ß√£o do mercado‚ÄĚ. Em outras palavras, a empresa continua sentindo a falta de demanda por ve√≠culos novos, que causou paralisa√ß√Ķes das principais montadoras do pa√≠s no in√≠cio do ano. O fen√īmeno √© o mesmo que o g1 mostrou √† √©poca: os aumentos da taxa b√°sica de juros, a Selic, feitos pelo Banco Central desde 2021, come√ßaram a trazer consequ√™ncias mais fortes para a economia. uma delas √©, justamente, a redu√ß√£o do consumo por meio da dificuldade de concess√£o de cr√©dito. o encarecimento do cr√©dito junto com a redu√ß√£o do poder de compra da popula√ß√£o reduziu o potencial de financiamento e, por consequ√™ncia, a demanda por carros novos. O excedente de produ√ß√£o, em tese, deveria criar novas condi√ß√Ķes para a comercializa√ß√£o de ve√≠culos ‚ÄĒ a famosa lei da oferta e demanda da economia ‚ÄĒ, mas analistas ouvidos pelo g1 dizem que as montadoras precisam retomar as perdas por conta do momento que viveram durante a pandemia de Covid. Com custo de produ√ß√£o em alta devido aos entraves log√≠sticos e falta de mat√©ria-prima durante os √ļltimos anos, as empresas precisam recuperar o ‚Äúdinheiro perdido‚ÄĚ. Ainda que as cadeias log√≠sticas tenham melhorado em 2022, houve a guerra na Ucr√Ęnia que trouxe novos impactos em pre√ßos de commodities necess√°rias para a ind√ļstria. √Č o caso de metais usados em semicondutores, pe√ßas respons√°veis pela condu√ß√£o das correntes el√©tricas. S√£o chips indispens√°veis para a montagem de autom√≥veis e eletroeletr√īnicos ‚ÄĒ que tamb√©m tiveram aumento de demanda durante a pandemia. Al√©m disso, o mercado est√° em momento de alta competitividade, j√° que as montadoras correm contra o rel√≥gio em busca de desenvolver ve√≠culos que funcionem com novas matrizes energ√©ticas, por exemplo. A eletrifica√ß√£o da linha demanda investimentos em pesquisa e efici√™ncia, para que o produto final tenha pre√ßo competitivo dentro do mercado.
Veja Mais

05/07 - Caros, elétricos e luxuosos: como são os carros da BYD, montadora chinesa que terá fábrica na Bahia
Al√©m de serem voltados para consumidores de poder aquisitivo elevado (o mais barato sai por quase R$ 150 mil), os ve√≠culos da montadora chinesa prometem sofistica√ß√£o e inova√ß√£o. ECarro da BYD exibido em vento no Farol da Barra, em Salvador, nesta ter√ßa (4) Itana Alencar/g1 BA Fundada em 1995 pelo qu√≠mico Wang Chuanfu, que em 2009 foi considerado o homem mais rico da China, segundo a revista "Hurun", a Build Your Dreams (BYD) √© hoje a maior produtora de carros el√©tricos do mundo. No Brasil desde 2015, quando desembarcou em Campinas, no interior de S√£o Paulo, a BYD est√°, agora, prestes a se instalar tamb√©m em Cama√ßari, na Bahia, cidade que foi importante polo produtor da Ford. Nesta reportagem, voc√™ vai ler sobre: ‚Ź≥ a hist√≥ria da BYD; ūüöė como s√£o os carros da empresa; ‚ö° o que s√£o ve√≠culos el√©tricos; ūüí≤ o investimento da BYD no Brasil; ūüí° os projetos para Cama√ßari. In√≠cio na China A empresa come√ßou focada em produzir baterias de √≠ons-l√≠tio para a Motorola e a Nokia, na cidade de Shenzhen, no sudeste da China. Foi no mercado de baterias que a empresa se consolidou antes da investida no setor automobil√≠stico. A virada de ramo aconteceu em 2003, quando a BYD adquiriu uma f√°brica em Xi‚ÄôAn, cidade ao norte do pa√≠s. Na √©poca, quando pensar em carros h√≠bridos e el√©tricos ainda era uma realidade distante, a BYD comprou a montadora Tsinchuan Automobile Company e investiu na ideia. Hoje, a BYD est√° presente em 70 pa√≠ses e seu portf√≥lio tamb√©m inclui a produ√ß√£o de m√≥dulos fotovoltaicos (usados para a gera√ß√£o de energia solar) e m√°scaras descart√°veis. Voltar para o in√≠cio da reportagem. Globo.com: leia as principais not√≠cias do dia Como s√£o os carros Interior do BYD Dolphin, carro el√©trico de entrada da montadora chinesa. Divulga√ß√£o / BYD No Brasil, a BYD j√° comercializa cinco modelos: Dolphin (rec√©m-lan√ßado), a partir de R$149.800; Yuan Plus EV (um modelo SUV), a partir de R$ 269.990; Song Plus DM-i (h√≠brido), a partir de R$ 269.990; Han EV 9 (o sedan campe√£o de vendas da empresa), a partir de R$ 539.990; e Tan EV (um SUV 7 lugares), a partir de R$ 529.890. Al√©m de serem voltados para consumidores de poder aquisitivo elevado, os ve√≠culos da montadora chinesa prometem sofistica√ß√£o e inova√ß√£o. Todos t√™m interior refinado, acabamento no padr√£o de montadoras de luxo, como BMW e Mercedes-Benz, e tecnologia de ponta. Alguns at√© contam com outros mimos. O Dolphin, por exemplo, vem com internet, controle por voz, videogame e at√© karaok√™ de f√°brica. Os modelos podem ser carregados em tomadas dom√©sticas, de tr√™s pinos. Em entrevista ao jornal "O Globo", Stella Li, vice-presidente global da empresa, afirmou que a proposta √© trazer ao Brasil carros el√©tricos "com uma sensa√ß√£o premium de inova√ß√£o". Conhe√ßa os modelos: ūüöė DOLPHIN BYD Dolphin EV Divulga√ß√£o Valor: a partir de R$ 149.800 Tipo: 100% El√©trico Autonomia: 291 km Carga r√°pida: 30% a 80% em 30 minutos Pot√™ncia: 95 cv Velocidade m√°xima (km/h): 160 Cores dispon√≠veis: dolphin grey, cheese yellow e afterglow pink Garantia do ve√≠culo: 5 anos ou 200.000 km Garantia da bateria: 8 anos sem limite de quilometragem ūüöė YUAN PLUS EV BYD Yuan Plus EV Divulga√ß√£o Valor: a partir de R$ 269.990 Tipo: 100% El√©trico Autonomia: 294 km Carga r√°pida: 30% a 80% em 30 minutos Pot√™ncia: 204 cv Velocidade m√°xima (km/h): 160 Cores dispon√≠veis: cinza, vermelho, branco, verde e azul Garantia do ve√≠culo: 5 anos ou 500.000 km Garantia da bateria: 8 anos sem limite de quilometragem ūüöė SONG PLUS DM-i BYD Song Plus DM-i Divulga√ß√£o Valor: a partir de R$ 269.990 Tipo: h√≠brido (opera com dois motores, um el√©trico e um a combust√£o) Autonomia: 294 km Tempo de recarga: AC - 3 h (Pot√™ncia m√°x. 3.3 kW) Pot√™ncia: 179 cv Velocidade m√°xima (km/h): 160 Cores dispon√≠veis: cinza, vermelho, branco, preto e azul Garantia do ve√≠culo: 5 anos ou 200.000 km Garantia da bateria: 8 anos ou 200.000 km ūüöė HAN EV 9 BYD Han EV Divulga√ß√£o Valor: a partir de R$ 539.990 Tipo: 100% el√©trico Autonomia: 349km Carga r√°pida: 30% a 80% em 34 minutos Pot√™ncia: 517 cv Cores dispon√≠veis: cinza, vermelho, branco, preto e azul Garantia do ve√≠culo: 5 anos ou 500.000 km Garantia da bateria: 8 anos ūüöė TAN EV BYD TAN EV Divulga√ß√£o Valor: a partir de R$ 529.890 Tipo: 100% el√©trico Autonomia: 309 km Carga r√°pida: 30% a 80% em 30 minutos Pot√™ncia: 517 cv Cores dispon√≠veis: cinza, vermelho, branco e preto Garantia do ve√≠culo: 5 anos ou 500.000 km Garantia da bateria: 8 anos Veja lista de ve√≠culos novos mais vendidos no 1¬ļ semestre de 2023 Voltar para o in√≠cio da reportagem. Ve√≠culos el√©tricos Carros el√©tricos n√£o s√£o novidade ‚ÄĒ o Columbia, um dos primeiros a existir, por exemplo, √© de 1902. Mas "floparam" com o surgimento dos primeiros ve√≠culos a combust√£o, mais baratos e que eram produzidos em menos tempo, como explicou reportagem do Fant√°stico. Mas os el√©tricos voltaram a tomar for√ßa nas √ļltimas d√©cadas, impulsionados por leis ambientais mais r√≠gidas e pela necessidade de investir em energia limpa ‚ÄĒ o que a BYD diz ser sua principal bandeira. No Brasil, ainda que estejam longe de ser uma unanimidade, el√©tricos j√° podem ser vistos com mais frequ√™ncia. Hoje, a maioria dos carros a eletricidade √© do modelo h√≠brido. Rodam com dois motores, um a bateria e outro √† combust√£o. Em junho de 2022, como mostrou reportagem do Jornal Nacional, eles eram vendidos, em m√©dia, por um pre√ßo 30% mais caro em rela√ß√£o aos carros convencionais. J√° os 100% el√©tricos, que tamb√©m circulam no Brasil, custavam tr√™s ou quatro vezes mais que os convencionais, segundo a Associa√ß√£o Brasileira do Ve√≠culo El√©trico (reveja a reportagem aqui). Segundo o Auto Esporte, o emplacamento de carros el√©tricos cresceu no ano passado quando comparado a 2021. Foram 8.458 unidades emplacadas, contra 2.851 no ano anterior. Em 2022, os carros el√©tricos mais vendidos no Brasil, de acordo com o Auto Esporte, foram: Volvo XC40 Recharge, Caoa Chery iCar, JAC E-JS1, Renault Kwid E-Tech, Volvo C40 Recharge. O el√©trico mais barato vendido no Brasil √© JAC E-JS1 ‚ÄĒ custa R$ 139.900 e foi desenvolvido em parceria com a Volkswagen na China. Segundo a Jac Motors, o ve√≠culo possui baterias de fosfato de ferro-l√≠tio, que oferecem capacidade m√°xima de 30,2 kWh. Carro JAC E-JS1, o el√©trico mais barato do Brasil Reprodu√ß√£o Voltar para o in√≠cio da reportagem. Investimento no Brasil No Brasil, a BYD chegou em 2015, quando inaugurou em Campinas, no interior de S√£o Paulo, sua primeira f√°brica de montagem de √īnibus 100% el√©tricos. Dois anos depois, ainda em Campinas, a BYD abriu uma segunda f√°brica, dessa vez para a produ√ß√£o de m√≥dulos fotovoltaicos. Em 2020, a chinesa abriu sua terceira f√°brica no Brasil, dessa vez em no Polo Industrial de Manaus e voltada para a produ√ß√£o de baterias de fosfato de ferro-l√≠tio. Voltar para o in√≠cio da reportagem. F√°brica de Cama√ßari Agora, as investidas da BYD no Brasil est√£o voltadas para Cama√ßari, maior Polo Industrial da Bahia, onde ficava uma f√°brica da Ford, que encerrou sua produ√ß√£o no Brasil em janeiro 2021. Al√©m da cidade baiana, a montadora mantinha f√°bricas para carros em Taubat√© (SP) e em Horizonte (CE), para jipes da marca Troller. Na √©poca, ao lamentar a sa√≠da da Ford do Brasil, Rui Costa, ent√£o governador da Bahia, disse ter procurado a Embaixada da China para sondar investidores para assumir neg√≥cio no estado. Costa, que hoje √© ministro da Casa Civil do governo do presidente Luiz In√°cio Lula da Silva (PT), disse na √©poca que havia entrado em contato com a Federa√ß√£o das Ind√ļstrias do Estado da Bahia (Fieb), assim que foi informado do fechamento das unidades, para avaliar possibilidades alternativas ao fechamento. A possibilidade de a BYD se instalar em Cama√ßari voltou a ser pauta no in√≠cio do ano, quando Lula e Jer√īnimo Rodrigues, atual governador da Bahia, se reuniram na China para discutir a implanta√ß√£o de uma f√°brica de ve√≠culos el√©tricos no estado. Governo da Bahia anuncia implanta√ß√£o de f√°bricas da montadora chinesa BYD A confirma√ß√£o veio nesta ter√ßa-feira (4), quando Jer√īnimo anunciou a implanta√ß√£o de tr√™s f√°bricas da BYD em Cama√ßari. Segundo o governo, a empresa investir√° R$ 3 bilh√Ķes para instalar as tr√™s f√°bricas e a produ√ß√£o deve come√ßar no segundo semestre de 2024. Em Cama√ßari, a montadora produzir√° chassis de √īnibus, caminh√Ķes el√©tricos, processamento de l√≠tio e ferro fosfato, al√©m de ve√≠culos de passeio el√©tricos e h√≠bridos. A expectativa √© que a produ√ß√£o nacional desses autom√≥veis permita pre√ßos mais competitivos. Os modelos que ser√£o produzidos na Bahia foram expostos no Farol da Barra, na ter√ßa-feira. S√£o eles: um utilit√°rio, modelo eT3; outros seis carros: Dolphin, Han, D1, Song, Yuan e o Tan. Ainda n√£o est√° definido se a BYD vai assumir o espa√ßo que a Ford usava em Cama√ßari, porque isso depende de um acordo entre as duas empresas e porque parte da planta da montadora americana ainda √© usada para a produ√ß√£o de pe√ßas por terceirizados. Al√©m da Ford, a BYD tem tratativas com a prefeitura de Cama√ßari e com o pr√≥prio governo do estado para essa defini√ß√£o. Carro da BYD que ser√° produzido no Brasil √© exposto em evento no Farol da Barra, em 4 de julho de 2023 Itana Alencar/g1 BA Voltar para o in√≠cio da reportagem.
Veja Mais

04/07 - Fiat Strada √© o ve√≠culo novo mais vendido do pa√≠s no 1¬ļ semestre de 2023; veja a lista
Picape permanece na lideran√ßa dos emplacamentos da Fenabrave desde 2021, mas voltou a ser perseguida pelo Chevrolet Onix. Fiat Strada 2021 Divulga√ß√£o A Fiat Strada foi o ve√≠culo novo mais vendido do Brasil no primeiro semestre de 2023, segundo a Federa√ß√£o Nacional da Distribui√ß√£o de Ve√≠culos Automotores (Fenabrave). Foram comercializadas 50.546 unidades da picape no pa√≠s. A Strada encabe√ßa a lista desde 2021, quando foi o ve√≠culo mais vendido do ano pela primeira vez e derrubou do topo da lista o Chevrolet Onix, que havia sido o l√≠der por seis anos seguidos. Em 2022, a picape tamb√©m fechou o ano na lideran√ßa, com 112.456 unidades emplacadas. A vice-lideran√ßa neste ano voltou a ser do Onix, que recuperou parte do vigor em 2023. Ano passado, ele foi desbancado pelo Hyundai HB20. O hatch coreano √© apenas o 5¬ļ colocado, atr√°s tamb√©m de Volkswagen Polo e Onix Plus. Os dados foram publicados nesta ter√ßa-feira (4) pela Fenabrave. As vendas de ve√≠culos novos no Brasil tiveram alta de 8,76% no primeiro semestre de 2023. (veja mais abaixo) 10 ve√≠culos mais vendidos do semestre Fiat Strada: 50.546 unidades Chevrolet Onix: 44.110 unidades Volkswagen Polo: 37.722 unidades Chevrolet Onix Plus: 35.726 unidades Hyundai HB 20: 34.002 unidades Volkswagen T-Cross: 32.035 unidades Fiat Argo: 31.920 unidades Fiat Mobi: 30.442 unidades Jeep Compass: 30.350 unidades Hyundai Creta: 29.948 unidades Montadora chinesa de carros el√©tricos vai operar f√°brica na Bahia Carro zero com desconto As vendas de ve√≠culos novos no Brasil tiveram alta de 7,39% em junho, mostram os resultados divulgados pela Fenabrave. Em n√ļmeros absolutos, foram emplacadas 189.528 novas unidades no pa√≠s, entre carros, comerciais leves, caminh√Ķes e √īnibus. O g1 n√£o contabiliza motos e implementos rodovi√°rios. No primeiro semestre, foram 998.270 emplacamentos e alta de quase 9%. Em compara√ß√£o a junho de 2022, a alta foi de 6,33%. Esse √© o primeiro resultado oficial do setor depois do programa de barateamento de carros zero, um pedido do presidente Luiz In√°cio Lula da Silva (PT) √† sua equipe econ√īmica. Foram liberados incentivos de R$ 1,8 bilh√£o para que montadoras dessem descontos em ve√≠culos novos. De acordo com Andreta Jr, presidente da Fenabrave, o n√ļmero de junho poderia ser maior n√£o fosse por um represamento do mercado. Houve problemas de log√≠stica, como atrasos de refaturamento e emiss√£o de notas de carros novos, al√©m de atrasos de libera√ß√£o dos Detrans com o alto volume de procura nas concession√°rias. O levantamento da Fenabrave n√£o diz quantos ve√≠culos foram emplacados com desconto, mas mostra que o emplacamento di√°rio subiu de uma m√©dia de 3 mil a 4 mil para um pico de 22,4 mil no √ļltimo dia √ļtil de junho. Parte das vendas, portanto, ser√° despejada em julho. ‚ÄúNo nosso entender, o programa foi um sucesso para fazer ‚Äėbater o cora√ß√£o‚Äô [reviver o setor], mas precisa haver uma continuidade nesse trabalho‚ÄĚ, diz Andreta Jr. A Fenabrave estuda alternativas do que seria essa continuidade e enviar√° sugest√Ķes ao governo. O foco ser√°, segundo Andreta Jr., atenuar a perda do poder de compra da popula√ß√£o sem onerar a pol√≠tica fiscal. Por fim, com a perspectiva de aumento de vendas, a Fenabrave revisou as proje√ß√Ķes de crescimento para o setor para um cen√°rio de estabilidade, com alta de 0,1% no ano para autom√≥veis, comerciais leves, caminh√Ķes e √īnibus.
Veja Mais

04/07 - Venda de veículos novos cresce 7,3% em junho, com impulso dos descontos no carro zero
Segundo levantamento da Fenabrave, foram emplacados 998.270 carros, comerciais leves, caminh√Ķes e √īnibus no primeiro semestre de 2023, uma alta de 8,76%. 'G√°s extra' de programa de descontos do governo deve vigorar por pouco tempo. Venda de ve√≠culos Divulga√ß√£o As vendas de ve√≠culos novos no Brasil tiveram alta de 7,39% em junho, mostram os resultados divulgados pela Federa√ß√£o Nacional da Distribui√ß√£o de Ve√≠culos Automotores (Fenabrave) nesta ter√ßa-feira (4). Em n√ļmeros absolutos, foram emplacadas 189.528 novas unidades no pa√≠s, entre carros, comerciais leves, caminh√Ķes e √īnibus. O g1 n√£o contabiliza motos e implementos rodovi√°rios. No primeiro semestre, foram 998.270 emplacamentos. Isso representa alta de 8,76% em rela√ß√£o ao mesmo per√≠odo de 2022. Em compara√ß√£o a junho de 2022, a alta foi de 6,33%. Esse √© o primeiro resultado oficial do setor depois do programa de barateamento de carros zero, um pedido do presidente Luiz In√°cio Lula da Silva (PT) √† sua equipe econ√īmica. Foram liberados incentivos de R$ 1,8 bilh√£o para que montadoras dessem descontos em ve√≠culos novos. (veja mais abaixo) AUTOM√ďVEIS Os autom√≥veis tiveram 142.017 emplacamentos no m√™s de junho; Isso representa uma alta 11,41% em rela√ß√£o a maio (127.478 unidades); No acumulado do ano, o crescimento foi de 7,37%, com total de 733.442 unidades; Comparado a junho de 2022, houve alta de 6,33% (133.566 unidades). COMERCIAIS LEVES Os comerciais leves tiveram 37.672 emplacamentos no m√™s de junho; Trata-se de uma queda de 3,09% em rela√ß√£o a maio (38.874 unidades); O resultado do segmento ainda √© expressivo em 2023: houve alta de 19,51% no semestre (201.077 unidades); Comparado a junho de 2022, o crescimento foi de 18,19% (31.876 unidades). CAMINH√ēES E √ĒNIBUS Caminh√Ķes tiveram 7.722 emplacamentos e √īnibus, 2.115 emplacamentos; No m√™s, caminh√Ķes (-2,17%) e √īnibus (-5,45%) tiveram baixas. Os caminh√Ķes t√™m queda expressiva no semestre (-12,10%), enquanto √īnibus t√™m alta (45,83%). Carro zero com desconto O programa de descontos do governo tenta dar um est√≠mulo √† ind√ļstria e animar o consumidor para mover a economia. Cr√≠ticos do programa denunciam o incentivo aos combust√≠veis f√≥sseis e a inefic√°cia para aquecer o setor. De acordo com Andreta Jr, presidente da Fenabrave, o n√ļmero de junho poderia ser maior n√£o fosse por um represamento do mercado. Houve problemas de log√≠stica, como atrasos de refaturamento e emiss√£o de notas de carros novos, al√©m de atrasos de libera√ß√£o dos Detrans com o alto volume de procura nas concession√°rias. O levantamento da Fenabrave n√£o diz quantos ve√≠culos foram emplacados com desconto, mas mostra que o emplacamento di√°rio subiu de uma m√©dia de 3 mil a 4 mil para um pico de 22,4 mil no √ļltimo dia √ļtil de junho. Parte das vendas, portanto, ser√° despejada em julho. ‚ÄúNo nosso entender, o programa foi um sucesso para fazer ‚Äėbater o cora√ß√£o‚Äô [reviver o setor], mas precisa haver uma continuidade nesse trabalho‚ÄĚ, diz Andreta Jr. A Fenabrave estuda alternativas do que seria essa continuidade e enviar√° sugest√Ķes ao governo. O foco ser√°, segundo Andreta Jr., atenuar a perda do poder de compra da popula√ß√£o sem onerar a pol√≠tica fiscal. Por fim, com a perspectiva de aumento de vendas, a Fenabrave revisou as proje√ß√Ķes de crescimento para o setor para um cen√°rio de estabilidade, com alta de 0,1% no ano para autom√≥veis, comerciais leves, caminh√Ķes e √īnibus. ‚ÄúSe n√£o houvesse o programa, estar√≠amos projetando uma queda‚ÄĚ, afirma o presidente da entidade. Renova√ß√£o do programa e perspectivas O Minist√©rio do Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos (MDIC) decidiu renovar, na semana passada, o programa do governo que barateia o carro zero. Foram liberados mais R$ 300 milh√Ķes, e aberta a permiss√£o de compra para locadoras e outras pessoas jur√≠dicas. O desenho do programa agora tem a seguinte distribui√ß√£o: R$ 800 milh√Ķes para autom√≥veis; R$ 700 milh√Ķes para caminh√Ķes; R$ 300 milh√Ķes para vans e √īnibus. Apesar de reduzir os pre√ßos na ponta, a a√ß√£o foi limitada para compensar a falta de escoamento de produ√ß√£o das montadoras. Segundo estimativas da Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea), o programa tinha potencial de atingir at√© 120 mil carros novos de uma produ√ß√£o de mais de 2 milh√Ķes neste ano. Os c√°lculos n√£o foram refeitos desde a renova√ß√£o do programa. Um v√≠deo feito no dia 28 pelo Globocop, da TV Globo, causou repercuss√£o ao registrar o p√°tio da montadora Volkswagen, em S√£o Bernardo do Campo, com milhares de ve√≠culos √† espera de serem vendidos. (veja o v√≠deo abaixo) Volkswagen suspende a produ√ß√£o de ve√≠culos no pa√≠s O ac√ļmulo de estoque fez a montadora promover mais uma parada de produ√ß√£o em suas f√°bricas por conta de uma ‚Äúestagna√ß√£o do mercado‚ÄĚ. Em outras palavras, a empresa continua sentindo a falta de demanda por ve√≠culos novos, que causou paralisa√ß√Ķes das principais montadoras do pa√≠s no in√≠cio do ano. O fen√īmeno √© o mesmo que o g1 mostrou √† √©poca: os aumentos da taxa b√°sica de juros, a Selic, feitos pelo Banco Central desde 2021, come√ßaram a trazer consequ√™ncias mais fortes para a economia. uma delas √©, justamente, a redu√ß√£o do consumo por meio da dificuldade de concess√£o de cr√©dito. o encarecimento do cr√©dito junto com a redu√ß√£o do poder de compra da popula√ß√£o reduziu o potencial de financiamento e, por consequ√™ncia, a demanda por carros novos. O excedente de produ√ß√£o, em tese, deveria criar novas condi√ß√Ķes para a comercializa√ß√£o de ve√≠culos ‚ÄĒ a famosa lei da oferta e demanda da economia ‚ÄĒ, mas analistas ouvidos pelo g1 dizem que as montadoras precisam retomar as perdas por conta do momento que viveram durante a pandemia de Covid. Com custo de produ√ß√£o em alta devido aos entraves log√≠sticos e falta de mat√©ria-prima durante os √ļltimos anos, as empresas precisam recuperar o ‚Äúdinheiro perdido‚ÄĚ. Ainda que as cadeias log√≠sticas tenham melhorado em 2022, houve a guerra na Ucr√Ęnia que trouxe novos impactos em pre√ßos de commodities necess√°rias para a ind√ļstria. √Č o caso de metais usados em semicondutores, pe√ßas respons√°veis pela condu√ß√£o das correntes el√©tricas. S√£o chips indispens√°veis para a montagem de autom√≥veis e eletroeletr√īnicos ‚ÄĒ que tamb√©m tiveram aumento de demanda durante a pandemia. Al√©m disso, o mercado est√° em momento de alta competitividade, j√° que as montadoras correm contra o rel√≥gio em busca de desenvolver ve√≠culos que funcionem com novas matrizes energ√©ticas, por exemplo. A eletrifica√ß√£o da linha demanda investimentos em pesquisa e efici√™ncia, para que o produto final tenha pre√ßo competitivo dentro do mercado.
Veja Mais

03/07 - Mais de 93 mil carros j√° foram vendidos com desconto do governo; veja a lista de modelos
Levantamento feito pela JATO do Brasil, especializada no setor automotivo, mostra o Volkswagen Polo no topo do ranking. Dados consideram vendas at√© a √ļltima sexta-feira (30). Chegou a 93,5 mil o n√ļmero de carros vendidos com descontos por meio do programa do governo federal, lan√ßado no dia 6 de junho. √Č o que mostra um levantamento feito pela JATO do Brasil, empresa especializada no setor automotivo, divulgado nesta segunda-feira (3). Os dados, que consideram as vendas at√© a √ļltima sexta-feira (30), mostram o Volkswagen Polo no topo da lista, com 9.746 unidades vendidas, seguido pelo Chevrolet Onix, com 8.258, e o Fiat Strada, com 7.519. O levantamento foi feito com base no cruzamento entre os dados de emplacamento de ve√≠culos no Brasil e a lista de carros que est√£o inclu√≠dos no programa de incentivo do governo. Ao todo, foram identificados mais de 34 modelos comercializados (veja a lista mais abaixo). Carros novos em concession√°ria. Fabio Tito/g1 O programa para baratear carros zero quil√īmetro de at√© R$ 120 mil foi lan√ßado no come√ßo de junho, por meio de uma medida provis√≥ria (MP). Inicialmente, a compra com descontos permaneceu exclusiva para pessoas f√≠sicas ‚ÄĒ per√≠odo que havia sido prorrogado por mais 15 dias em 20 de junho. A primeira rodada do programa injetou R$ 500 milh√Ķes para promover descontos de R$ 2 mil a R$ 8 mil em ve√≠culos novos. Na √ļltima semana, o Minist√©rio do Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos (MDIC) ampliou o programa em R$ 300 milh√Ķes ‚ÄĒ para R$ 800 milh√Ķes ‚ÄĒ, devido ao r√°pido uso dos recursos iniciais do projeto. O valor adicional foi estabelecido em medida provis√≥ria publicada na sexta-feira (30). Com isso, o valor total estimado √†s montadoras para autom√≥veis e ve√≠culos comerciais leves deve ficar em torno de R$ 650, segundo a pasta. Entenda. Carros vendidos at√© 30 de junho Veja, abaixo, os modelos vendidos at√© sexta-feira (30): Volkswagen Polo - 9.746 Chevrolet Onix - 8.258 Fiat Strada - 7.519 Fiat Mobi - 6.894 Fiat Argo - 6.747 Chevrolex Onix SD - 6.419 Hyundai HB20 - 6.173 Renault Kwid - 5.927 Fiat Cronos - 4.968 Volkswagen Savero - 4.427 Citro√ęn C3 - 2.930 Peugeot 208 - 2.718 Fiat Pulse - 2.507 Fiat Fiorino - 2.242 Volkswagen Virtus - 2.186 Jeep Renegade - 2.006 Volkswagen T-Cross - 2.004 Toyota Yaris HB - 1.660 Hyundai HB20S - 1.198 Nissan Kicks - 1.162 Toyota Yaris SD - 1.068 Renault Sandero - 1.004 Renault Duster - 936 Honda City - 669 Chevrolet Montana - 632 Renault Logan - 473 Chevrolet Spin - 402 Renault Oroch - 158 Peugeot Partner Rapid - 153 Chevrolet Tracker - 120 Peugeot 2008 - 111 Volkswagen Gol - 89 Fiat Fastback - 10 Citro√ęn C4 Cactus - 3 Governo publica MP que libera mais R$ 300 milh√Ķes para programa de carro com desconto Valores Veja, a seguir, os valores dos carros inclu√≠dos no programa do governo: Uso dos recursos Em quase um m√™s, R$ 560 milh√Ķes dos recursos disponibilizados pelo governo para baratear carros populares j√° foram consumidos, segundo os dados mais atualizados do MDIC, publicados nesta segunda-feira. O painel elaborado pela pasta mostra que as fabricantes j√° solicitaram 86,15% em cr√©ditos tribut√°rios dos R$ 650 milh√Ķes dispon√≠veis √†s montadoras para descontos ao consumidor pessoa f√≠sica na compra de um ve√≠culo zero. Ainda de acordo com o painel do MDIC, os benef√≠cios concedidos para ve√≠culos de transporte de passageiros chegaram a R$ 140 milh√Ķes, e de transporte de cargas, R$ 100 milh√Ķes. Segundo o MDIC, at√© o momento, os cr√©ditos autorizados foram divididos da seguinte forma: FCA Fiat Chrysler: R$ 230 milh√Ķes; Volkswagen: R$ 100 milh√Ķes Hyundai: R$ 60 milh√Ķes; Renault: R$ 60 milh√Ķes; Peugeot Citro√ęn: R$ 40 milh√Ķes; General Motors: R$ 30 milh√Ķes; Nissan: R$ 20 milh√Ķes; Honda: R$ 10 milh√Ķes; Toyota: R$ 10 milh√Ķes.
Veja Mais

03/07 - Carro zero com desconto: recursos usados atingem R$ 560 milh√Ķes e j√° consomem valor extra do programa
Montante representa 86,15% do total disponibilizado pelo governo, mesmo ap√≥s Medida Provis√≥ria que ampliou o projeto de R$ 500 milh√Ķes para cerca de R$ 650 milh√Ķes l√≠quidos √†s montadoras. 64% dos recursos para o programa de carros baratos j√° foram utilizados Jornal Nacional/ Reprodu√ß√£o Em quase um m√™s, R$ 560 milh√Ķes dos recursos para financiamento do programa do governo para baratear carros populares j√° foram consumidos. Os dados, acessados pelo g1 na tarde desta segunda-feira (3), constam em um painel do Minist√©rio do Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos (MDIC), que mostra a utiliza√ß√£o dos recursos pelas montadoras. O valor representa 86,15% em cr√©ditos tribut√°rios dos R$ 650 milh√Ķes dispon√≠veis √†s montadoras para descontos ao consumidor pessoa f√≠sica na compra de um ve√≠culo zero. Com isso, o valor extra do programa, ampliado na semana passada, j√° est√° sendo consumido. O montante inicial do programa era de R$ 500 milh√Ķes, e foi ampliado em R$ 300 milh√Ķes devido ao r√°pido uso dos recursos iniciais do projeto. O valor adicional foi estabelecido em Medida Provis√≥ria (MP) publicada na √ļltima sexta (30). Existe, no entanto, uma regra na MP que define a dedu√ß√£o de perdas de arrecada√ß√£o com PIS/Cofins e IPI ‚ÄĒ provocadas pelos descontos no pre√ßo final dos ve√≠culos. Essa dedu√ß√£o dever√° ficar em torno de R$ 150 milh√Ķes, de acordo com c√°lculos da √°rea t√©cnica do MDIC. Na pr√°tica, segundo a pasta, isso significa que a libera√ß√£o l√≠quida para carros novos deve ficar em torno de R$ 650 milh√Ķes. Com a altera√ß√£o, o programa ficou desenhado da seguinte forma: R$ 500 milh√Ķes + R$ 150 milh√Ķes (estimados) para autom√≥veis; R$ 700 milh√Ķes para caminh√Ķes; R$ 300 milh√Ķes para vans e √īnibus; R$ 150 milh√Ķes (estimados) para dedu√ß√£o de perdas de arrecada√ß√£o; Total: R$ 1,8 bilh√£o. Ainda de acordo com o painel do MDIC, os benef√≠cios concedidos para ve√≠culos de transporte de passageiros chegaram a R$ 140 milh√Ķes, e de transporte de cargas, a R$ 100 milh√Ķes. Confira a lista atualizada de ve√≠culos aqui: O desconto para autom√≥veis varia de R$ 2 mil a at√© R$ 8 mil no pre√ßo dos ve√≠culos de at√© R$ 120 mil. As empresas do setor que aplicarem o desconto na venda ao consumidor receber√£o um cr√©dito tribut√°rio, ou seja, poder√£o abater os valores de impostos devidos ao governo. Segundo o MDIC, at√© o momento, os cr√©ditos autorizados para autom√≥veis e ve√≠culos comerciais leves foram divididos da seguinte forma: FCA Fiat Chrysler: R$ 230 milh√Ķes; Volkswagen: R$ 100 milh√Ķes Hyundai: R$ 60 milh√Ķes; Renault: R$ 60 milh√Ķes; Peugeot Citro√ęn: R$ 40 milh√Ķes; General Motors: R$ 30 milh√Ķes; Nissan: R$ 20 milh√Ķes; Honda: R$ 10 milh√Ķes; Toyota: R$ 10 milh√Ķes. Como calcular o desconto dos carros Desconto para carros populares: veja como calcular Para saber quanto o comprador conseguir√° abater do pre√ßo, √© preciso somar uma quantidade m√≠nima de pontos (veja como calcular abaixo). Para calcular o desconto de cada ve√≠culo, √© necess√°rio somar os pontos que ele tem em cada um dos crit√©rios estabelecidos pelo governo. Para que um carro receba o desconto m√°ximo, de R$ 8 mil, por exemplo, √© necess√°rio chegar a, pelo menos, 90 pontos. Veja um exemplo: se a fonte de energia √© o etanol ou a eletricidade/modelo h√≠brido, o carro faz 25 pontos; se tem um consumo energ√©tico igual ou inferior a 1,40 MJ/Km, faz mais 25 pontos; se o pre√ßo p√ļblico sugerido for de R$ 70.000,01 a R$ 80 mil, faz 20 pontos; se a densidade produtiva (que equivale √† porcentagem daquele carro que foi produzido no Brasil) for de 65% a 74,99%, faz mais 20 pontos, totalizando 90 e alcan√ßando o desconto de R$ 8 mil. Para ficar na faixa m√≠nima de desconto, de R$ 2 mil, a pontua√ß√£o precisa ficar abaixo de 69. Dessa forma, se o carro: √© flex (aceita gasolina e etanol), faz 20 pontos; tem um consumo energ√©tico entre 1,61 e 2,00 MJ/Km, faz 15 pontos; custa entre R$ 80.000,01 e R$ 90 mil, faz 18 pontos; tem uma densidade produtiva entre 60% e 64,99%, faz mais 15 pontos, totalizando 68 e recebendo o desconto m√≠nimo. No total, s√£o sete faixas de desconto, que variam de acordo com as seguintes pontua√ß√Ķes: R$ 8 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 90; R$ 7 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 85 e inferior a 90; R$ 6 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 80 e um e inferior a 85; R$ 5 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 77 e inferior a 81; R$ 4 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 73 e inferior a 77; R$ 3 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 69 e inferior a 73; R$ 2 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja inferior a 69. Descontos para caminh√Ķes e √īnibus O programa tamb√©m √© destinado para o barateamento de caminh√Ķes e √īnibus, com um montante de R$ 700 milh√Ķes destinados para a primeira categoria e de R$ 300 milh√Ķes para a segunda. Segundo o Minist√©rio, at√© agora, 14% dos recursos destinados para os caminh√Ķes j√° foram utilizados, ou cerca de R$ 100 milh√Ķes. Enquanto isso, 43%, ou R$ 130 milh√Ķes, do programa para √īnibus j√° foram utilizados. Nestas categorias, 10 montadoras aderiram ao programa para caminh√Ķes e 13 para √īnibus.
Veja Mais

28/06 - Mais de 45 mil carros j√° foram vendidos com desconto do governo; veja a lista de modelos
Levantamento feito pela JATO do Brasil, especializada no setor automotivo, mostra o Volkswagen Polo no topo do ranking. Dados consideram vendas at√© a √ļltima segunda-feira (26). Mais de 45 mil carros foram vendidos com desconto do governo F√°bio Tito/G1 Chegou a 45,2 mil o n√ļmero de carros vendidos com descontos por meio do programa do governo federal, lan√ßado no √ļltimo dia 6 de junho. √Č o que mostra um levantamento feito pela JATO do Brasil, empresa especializada no setor automotivo. Os dados, que consideram as vendas at√© a √ļltima segunda-feira (26), mostram o Volkswagen Polo no topo da lista, com 5.222 unidades vendidas, seguido pelo Fiat Strada, com 4.960, e o Chevrolet Onix, com 3.321. O levantamento foi feito com base no cruzamento entre os dados de emplacamento de ve√≠culos no Brasil e a lista de carros que est√£o inclu√≠dos no programa de incentivo do governo. Ao todo, foram identificados mais de 30 modelos comercializados (veja a lista mais abaixo). O programa para baratear carros zero quil√īmetro de at√© R$ 120 mil foi lan√ßado no come√ßo de junho, por meio de uma medida provis√≥ria (MP). Inicialmente, a compra com descontos √© exclusiva para pessoas f√≠sicas ‚ÄĒ per√≠odo prorrogado por mais 15 dias na √ļltima ter√ßa (20). A primeira rodada do programa injetou R$ 500 milh√Ķes para promover descontos de R$ 2 mil a R$ 8 mil em ve√≠culos novos. Nesta quarta-feira (28), o Minist√©rio do Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos (MDIC) confirmou ao g1 que promover√° uma nova rodada de cr√©dito. Os detalhes para amplia√ß√£o do recursos destinados ao projeto ainda est√£o sendo fechados. Confira a lista de carros vendidos at√© a √ļltima segunda-feira: Volkswagen Polo - 5.222 Fiat Strada - 4.960 Hyundai HB20 - 3.523 Chevrolet Onix - 3.321 Fiat Argo - 2.663 Fiat Mobi - 2.504 Renault Kwid - 2.477 Chevrolet Onix SD - 2.315 Fiat Cronos - 1.929 Peugeot 208 - 1.706 Volkswagen Saveiro - 1.614 Volkswagen Virtus - 1.610 Fiat Pulse - 1.350 Toyota Yaris HB - 1.329 Citro√ęn C3 - 1.177 Volkswagen T-Cross - 1.141 Jeep Renegade - 922 Toyota Yaris SD - 803 Nissan Kicks - 739 Hyundai HB20S - 709 Fiat Fiorino - 654 Renault Duster - 589 Honda City - 480 Chevrolet Montana - 441 Renault Sandero - 362 Chevrolet Spin - 320 Renault Oroch - 111 Chevrolet Tracker - 93 Peugeot 2008 - 74 Volkswagen - 68 Peugeot Partner Rapid - 56 Renault Logan - 34 Citro√ęn C4 Cactus - 1 Fiat Fastback - 1 Veja os valores dos carros inclu√≠dos no programa do governo: Uso dos recursos Em quase tr√™s semanas, 84% dos recursos disponibilizados pelo governo para baratear carros populares j√° foram consumidos, segundo os dados mais atualizados do MDIC, publicados na √ļltima sexta-feira (23). O painel elaborado pela pasta mostra que as fabricantes j√° solicitaram R$ 420 milh√Ķes em cr√©ditos tribut√°rios dos R$ 500 milh√Ķes dispon√≠veis. Ainda de acordo com o painel do MDIC, os benef√≠cios concedidos para ve√≠culos de transporte de passageiros chegaram a R$ 140 milh√Ķes, e de transporte de cargas, R$ 100 milh√Ķes. Segundo o MDIC, at√© o momento, os cr√©ditos autorizados foram divididos da seguinte forma: FCA Fiat Chrysler: R$ 170 milh√Ķes; Volkswagen: R$ 60 milh√Ķes Renault: R$ 50 milh√Ķes; Peugeot Citro√ęn: R$ 40 milh√Ķes; Hyundai: R$ 40 milh√Ķes; General Motors: R$ 20 milh√Ķes; Nissan: R$ 20 milh√Ķes; Honda: R$ 10 milh√Ķes; Toyota: R$ 10 milh√Ķes.
Veja Mais

28/06 - Volkswagen amplia suspensão da produção por mais dois dias na fábrica de Taubaté
Inicialmente, a suspens√£o aconteceria at√© esta quarta-feira (28), mas foi prolongada at√© sexta (30). O motivo, segundo a montadora, √© a estagna√ß√£o do mercado. F√°brica da Volkswagen em Taubat√© Volkswagen/Divulga√ß√£o A Volkswagen anunciou que vai ampliar a suspens√£o da produ√ß√£o na f√°brica de Taubat√© (SP) por mais dois dias. Com isso, o ‚Äėshutdown‚Äô segue pelo menos at√© a pr√≥xima sexta-feira (30). Inicialmente, a suspens√£o, que come√ßou na segunda-feira (26), aconteceria at√© esta quarta (28), com retorno dos funcion√°rios na quinta (29). Agora, com a amplia√ß√£o da medida, o retorno est√° marcado para segunda (3). De acordo com a Volks, a parada √© necess√°ria por conta da estagna√ß√£o do mercado. Al√©m da unidade de Taubat√©, onde s√£o fabricados o Polo Track e o Novo Polo, todas as unidades da montadora alem√£ no pa√≠s tamb√©m adotaram medidas - leia mais detalhes abaixo. Leia mais not√≠cias do Vale do Para√≠ba e regi√£o Ainda de acordo com a empresa, o shutdown acontecer√° em regime de banco de horas e foi acordado com o Sindicato dos Metal√ļrgicos da cidade, que representa a categoria. F√°brica da Volkswagen em Taubat√© Volkswagen/Divulga√ß√£o Segundo o sindicato, a paralisa√ß√£o afeta dois turnos e cerca de tr√™s mil funcion√°rios da produ√ß√£o. No m√™s passado, a Volkswagen havia previsto o in√≠cio de um layoff, que √© a suspens√£o dos contratos de trabalhos, mas acabou cancelando a medida diante da melhora na expectativa sobre o mercado automobil√≠stico. Suspens√£o na produ√ß√£o do pa√≠s A Volkswagen anunciou nesta ter√ßa-feira (27) a suspens√£o tempor√°ria da produ√ß√£o de carros em suas f√°bricas no Brasil. O motivo √© o mesmo da unidade de Taubat√©: estagna√ß√£o do mercado. A decis√£o da montadora ocorre apesar do programa de incentivo do governo √† ind√ļstria automotiva, que foi publicado no dia 6 de junho e criou descontos para carros de at√© R$ 120 mil. Al√©m da f√°brica localizada no Vale do Para√≠ba, as unidades de S√£o Jos√© dos Pinhais (PR) e S√£o Bernardo do Campo (SP) tamb√©m adotaram medidas. Produ√ß√£o de ve√≠culos na f√°brica da Volkswagen em S√£o Bernardo do Campo (SP) Divulga√ß√£o/Volkswagen Veja mais not√≠cias do Vale do Para√≠ba e regi√£o bragantina
Veja Mais

28/06 - 'Mar de carros': pátio da Volkswagen no ABC Paulista fica lotado de veículos; empresa suspendeu temporariamente produção
Unidade Anchieta, em S√£o Bernardo do Campo (SP), definiu f√©rias coletivas de 10 dias previstas para os seus dois turnos de produ√ß√£o, a partir do dia 10 de julho. Empresa afirmou que suspens√£o tempor√°ria foi tomada por conta da 'estagna√ß√£o do mercado'. P√°tio da Volkswagen nesta quarta-feira (28) em S√£o Bernardo do Campo Reprodu√ß√£o/TV Globo Um v√≠deo feito na manh√£ desta quarta-feira (28) pelo Globocop, da TV Globo, registrou como o p√°tio da montadora Volkswagen est√° com milhares de ve√≠culos na unidade de S√£o Bernardo do Campo, no ABC Paulista. As imagens foram feitas um dia ap√≥s a empresa anunciar a suspens√£o tempor√°ria da produ√ß√£o de carros em suas f√°bricas no Brasil. O motivo, segundo a Volkswagen, √© por conta de "estagna√ß√£o do mercado". Leia tamb√©m: Entenda o motivo da Volkswagen suspender temporariamente produ√ß√£o de carros no Brasil Descontos do governo para carros populares v√£o de R$ 2 mil a R$ 8 mil; veja como calcular Volkswagen suspende a produ√ß√£o de ve√≠culos no pa√≠s A decis√£o ocorre mesmo com o programa de incentivo do governo √† ind√ļstria automotiva, que foi publicado no dia 6 de junho e criou descontos para carros de at√© R$ 120 mil. Questionada pelo g1, a empresa n√£o comentou a rela√ß√£o entre o programa do governo federal e sua tomada de decis√£o. A unidade Anchieta, em S√£o Bernardo do Campo (SP), produz quatro modelos: o Novo Virtus, Novo Polo, Nivus e Saveiro. Segundo a montadora, foram definidas f√©rias coletivas de 10 dias previstas para os seus dois turnos de produ√ß√£o, a partir do dia 10 de julho. P√°tio da Volkswagen em S√£o Bernardo do Campo em 28 de junho de 2023 Reprodu√ß√£o/TV Globo A f√°brica de S√£o Jos√© dos Pinhais (PR), onde √© produzido o T-Cross, est√° com um turno em layoff (modelo de suspens√£o tempor√°ria de trabalho) desde o dia 5 de junho deste ano, com previs√£o de durar entre 2 e 5 meses. O outro turno da mesma unidade iniciou a paralisa√ß√£o na segunda-feira (26). As atividades ficar√£o suspensas at√© a sexta (30), em regime de banco de horas. Produ√ß√£o de ve√≠culos na f√°brica da Volkswagen em S√£o Bernardo do Campo (SP) Divulga√ß√£o/Volkswagen A f√°brica de Taubat√© (SP), onde s√£o fabricados o Polo Track e o Novo Polo, est√° com seus dois turnos de produ√ß√£o interrompidos nesta semana (de 26 a 30 de junho), tamb√©m em esquema de banco de horas. De acordo com a empresa, "todas as ferramentas de flexibiliza√ß√£o est√£o previstas em Acordo Coletivo firmado entre o sindicato e colaboradores da Volkswagen‚ÄĚ. P√°tio da Volkswagen no ABC fica lotado de ve√≠culos; montadora suspende temporariamente produ√ß√£o
Veja Mais

23/06 - Carro zero com desconto: quase 90% dos recursos para bancar programa já foram usados; veja a lista de preços
Redu√ß√£o nos valores dos autom√≥veis varia de R$ 2 mil a R$ 8 mil para modelos que custam at√© R$ 120 mil. 64% dos recursos para o programa de carros baratos j√° foram utilizados Jornal Nacional/ Reprodu√ß√£o Em quase tr√™s semanas, 84% dos recursos para financiamento do programa do governo para baratear carros populares j√° foram consumidos. Os dados, acessados pelo g1 na tarde desta sexta-feira (23), constam em um painel do Minist√©rio do Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos (MDIC), que mostra em tempo real a utiliza√ß√£o dos recursos pelas montadoras. Segundo o painel, as fabricantes j√° solicitaram R$ 420 milh√Ķes em cr√©ditos tribut√°rios dos R$ 500 milh√Ķes dispon√≠veis para os descontos ao consumidor pessoa f√≠sica na compra de um ve√≠culo zero. A compra exclusiva para pessoas f√≠sicas foi prorrogada por 15 dias na √ļltima ter√ßa (20). Ap√≥s o prazo, empresas ‚ÄĒ como as locadoras ‚ÄĒ tamb√©m poder√£o adquirir autom√≥veis com os descontos. Isso vai depender, no entanto, da disponibilidade dos recursos at√© l√°. Nove montadoras participam do programa, com um total de 266 vers√Ķes de ve√≠culos inclu√≠dos pelas empresas na iniciativa, que correspondem a 32 modelos. Ainda de acordo com o painel do MDIC, os benef√≠cios concedidos para ve√≠culos de transporte de passageiros chegaram a R$ 140 milh√Ķes, e de transporte de cargas, R$ 100 milh√Ķes. Confira a lista atualizada de ve√≠culos aqui: O desconto para autom√≥veis varia de R$ 2 mil a at√© R$ 8 mil no pre√ßo dos ve√≠culos de at√© R$ 120 mil. As empresas do setor que aplicarem o desconto na venda ao consumidor receber√£o um cr√©dito tribut√°rio, ou seja, poder√£o abater os valores de impostos devidos ao governo. Segundo o MDIC, at√© o momento, os cr√©ditos autorizados foram divididos da seguinte forma: FCA Fiat Chrysler: R$ 170 milh√Ķes; Volkswagen: R$ 60 milh√Ķes Renault: R$ 50 milh√Ķes; Peugeot Citro√ęn: R$ 40 milh√Ķes; Hyundai: R$ 40 milh√Ķes; General Motors: R$ 20 milh√Ķes; Nissan: R$ 20 milh√Ķes; Honda: R$ 10 milh√Ķes; Toyota: R$ 10 milh√Ķes. Como calcular o desconto dos carros Desconto para carros populares: veja como calcular Para saber quanto o comprador conseguir√° abater do pre√ßo, √© preciso somar uma quantidade m√≠nima de pontos (veja como calcular abaixo). Para calcular o desconto de cada ve√≠culo, √© necess√°rio somar os pontos que ele tem em cada um dos crit√©rios estabelecidos pelo governo. Para que um carro receba o desconto m√°ximo, de R$ 8 mil, por exemplo, √© necess√°rio chegar a, pelo menos, 90 pontos. Veja um exemplo: se a fonte de energia √© o etanol ou a eletricidade/modelo h√≠brido, o carro faz 25 pontos; se tem um consumo energ√©tico igual ou inferior a 1,40 MJ/Km, faz mais 25 pontos; se o pre√ßo p√ļblico sugerido for de R$ 70.000,01 a R$ 80 mil, faz 20 pontos; se a densidade produtiva (que equivale √† porcentagem daquele carro que foi produzido no Brasil) for de 65% a 74,99%, faz mais 20 pontos, totalizando 90 e alcan√ßando o desconto de R$ 8 mil. Para ficar na faixa m√≠nima de desconto, de R$ 2 mil, a pontua√ß√£o precisa ficar abaixo de 69. Dessa forma, se o carro: √© flex (aceita gasolina e etanol), faz 20 pontos; tem um consumo energ√©tico entre 1,61 e 2,00 MJ/Km, faz 15 pontos; custa entre R$ 80.000,01 e R$ 90 mil, faz 18 pontos; tem uma densidade produtiva entre 60% e 64,99%, faz mais 15 pontos, totalizando 68 e recebendo o desconto m√≠nimo. No total, s√£o sete faixas de desconto, que variam de acordo com as seguintes pontua√ß√Ķes: R$ 8 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 90; R$ 7 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 85 e inferior a 90; R$ 6 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 80 e um e inferior a 85; R$ 5 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 77 e inferior a 81; R$ 4 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 73 e inferior a 77; R$ 3 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 69 e inferior a 73; R$ 2 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja inferior a 69. Descontos para caminh√Ķes e √īnibus O programa tamb√©m √© destinado para o barateamento de caminh√Ķes e √īnibus, com um montante de R$ 700 milh√Ķes destinados para a primeira categoria e de R$ 300 milh√Ķes para a segunda. Segundo o Minist√©rio, at√© agora, 14% dos recursos destinados para os caminh√Ķes j√° foram utilizados, ou cerca de R$ 100 milh√Ķes. Enquanto isso, 43%, ou R$ 130 milh√Ķes, do programa para √īnibus j√° foram utilizados. Nestas categorias, 10 montadoras aderiram ao programa para caminh√Ķes e 13 para √īnibus.
Veja Mais

16/06 - Carro zero com desconto: veja os valores de todos os modelos na lista do governo
Na semana passada, o governo federal anunciou medidas para baratear ve√≠culos. O desconto vai variar de R$ 2 mil at√© R$ 8 mil no pre√ßo dos ve√≠culos de at√© R$ 120 mil. Carango O Minist√©rio do Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos (MDIC) divulgou nesta semana a lista de montadoras que participam do programa de subs√≠dios de autom√≥veis, e tamb√©m os modelos contemplados com descontos. Nove montadoras aderiam ao programa lan√ßado pelo governo federal na semana passada. S√£o elas: Renault, Volks, Toyota, Hyundai, Nissan, Honda, GM, Fiat e Peugeot. Com a lista divulgada pelo governo, o g1 levantou os novos pre√ßos de todos os modelos, j√° com os descontos prometidos pelas montadoras. A reportagem identificou repeti√ß√Ķes de modelos a algumas inconsist√™ncias na lista divulgada pelo Mdic. Questionado sobre as quest√Ķes e o motivo de a lista conter carros que ultrapassam de R$ 120 mil, valor m√°ximo estipulado pela medida provis√≥ria, o minist√©rio diz que os modelos que constam na tabela foram enviados pelas montadoras e erros ser√£o retirados posteriormente. Veja todos os modelos e o valor dos descontos O programa O desconto varia de R$ 2 mil a at√© R$ 8 mil no pre√ßo dos ve√≠culos de at√© R$ 120 mil. No total, o governo reservou R$ 1,5 bilh√£o para o programa. Ser√£o distribu√≠dos assim: R$ 500 milh√Ķes para autom√≥veis R$ 700 milh√Ķes para caminh√Ķes R$ 300 milh√Ķes para vans e √īnibus Quando atingir o R$ 1,5 bilh√£o, o programa ser√° encerrado. As vendas de carros com desconto ser√£o exclusivas para pessoas f√≠sicas nos primeiros 15 dias, prazo que pode ser prorrogado por at√© 60 dias, a depender da resposta do mercado. Depois disso, as empresas tamb√©m poder√£o se beneficiar do programa. As empresas do setor que aplicarem o desconto na venda ao consumidor receber√£o um cr√©dito tribut√°rio. Nesta ter√ßa-feira, o presidente Luiz In√°cio Lula da Silva (PT) citou estimativa da Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea) de que o programa com desconto para compras de carros novos pode durar apenas um m√™s. "Ent√£o veja, reduzimos um pouco o pre√ßo do carro. Voc√™ viu, eu estava vendo uma not√≠cia hoje que, j√° vai durar um m√™s e vai acabar o programa", declarou o presidente, na ocasi√£o. Na semana passada, a Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea) estimou que cerca de 100 mil a 110 mil autom√≥veis e comerciais leves dever√£o usufruir dos descontos, antes do esgotamento dos cr√©ditos tribut√°rios disponibilizados pelo Minist√©rio da Fazenda. "Isso dever√° ocorrer em pouco mais de um m√™s, ou seja, bem antes dos 4 meses de prazo estipulado pela MP 1175", informou a Anfavea, em nota. De acordo com o Minist√©rio do Desenvolvimento, foram utilizados, at√© o momento, R$ 150 milh√Ķes em cr√©ditos pelas montadoras, o que representa 30% do teto de R$ 500 milh√Ķes que poder√£o ser usados pelas empresas como cr√©dito tribut√°rio para venda de carros mais baratos.
Veja Mais

14/06 - Carro zero com desconto: veja lista divulgada pelo governo, com valores finais dos modelos
Na semana passada, o governo federal anunciou medidas para baratear ve√≠culos. O desconto vai variar de R$ 2 mil at√© R$ 8 mil no pre√ßo dos ve√≠culos de at√© R$ 120 mil. Concession√°ria de S√£o Carlos Nilson Porcel/EPTV O Minist√©rio do Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos (MDIC) divulgou nesta quarta-feira (14) em sua p√°gina na internet a lista de montadoras que participam do programa de subs√≠dios de autom√≥veis, e tamb√©m os modelos contemplados com descontos. Segundo o governo, nove montadoras aderiam ao programa de carro mais barato lan√ßado pelo governo federal na semana passada. S√£o elas: Renault, Volks, Toyota, Hyundai, Nissan, Honda, GM, Fiat e Peugeot. (veja adiante a lista completa) Com a lista divulgada pelo governo, o g1 levantou os novos pre√ßos iniciais dos modelos √† venda no pa√≠s. Veja abaixo de quanto partem os valores ap√≥s os descontos do governo. Os pre√ßos de refer√™ncia s√£o para S√£o Paulo. Dos 31 modelos, a reportagem encontrou os pre√ßos de 29 nos sites oficiais das montadoras ou por seus canais de imprensa. O Volkswagen Gol, que saiu de linha e n√£o √© mais produzido, n√£o tem pre√ßo sugerido. Quem define o pre√ßo nesse caso √© a concession√°ria que tem o ve√≠culo em estoque. Outros dois modelos que est√£o na lista, o Fiat Fastback e a Chevrolet Tracker, tem valores acima dos R$ 120 mil, linha de corte para o programa. Veja a partir de quanto custam os modelos abaixo. Chevrolet Montana: R$ 118.690 Chevrolet Onix: R$ 84.390 Chevrolet Onix Plus: R$ 96.390 Chevrolet Spin: R$ 104.540 Citro√ęn C3: R$ 62.990 Citro√ęn C4: R$ 100.990 Fiat Argo: R$ 69.990 Fiat Cronos: R$ 71.990 Fiat Fiorino: R$ 106.740 Fiat Mobi: R$ 58.990 Fiat Pulse: R$ 89.990 Fiat Strada: R$ 95.990 Hyundai HB20: R$ 69.990 Jeep Renegade: R$ 115.990 Nissan Kicks: R$ 109.990 Novo Virtus: R$ 104.390 Peugeot 2008: R$ 103.990 Peugeot 208: R$ 62.990 Peugeot Partner Rapid: R$ 98.781,10 Renault Duster: R$ 104.590 Renault Kwid: R$ 58.990 Renault Logan: R$ 87.490 Renault Oroch: R$ 115.990 Renault Stepway: R$ 73.990 Toyota Yaris: R$ 94.990 Volkswagen Novo Polo: R$ 74.990 Volkswagen Novo Virtus: R$ 98.890 Volkswagen Saveiro: R$ 90.190 Volkswagen T-Cross: R$ 107.550 Chevrolet Tracker*: R$ 127.690 Fiat Fastback*: R$ 135.990 *Carros que constam na lista do governo, mas t√™m pre√ßos acima de R$ 120 mil. Questionado sobre o motivo de a lista conter carros que ultrapassam de R$ 120 mil, valor m√°ximo estipulado pela medida provis√≥ria, o governo n√£o havia respondido at√© a √ļltima atualiza√ß√£o desta reportagem. Veja todos os modelos e o valor dos descontos O programa O desconto varia de R$ 2 mil a at√© R$ 8 mil no pre√ßo dos ve√≠culos de at√© R$ 120 mil. No total, o governo reservou R$ 1,5 bilh√£o para o programa. Ser√£o distribu√≠dos assim: R$ 500 milh√Ķes para autom√≥veis R$ 700 milh√Ķes para caminh√Ķes R$ 300 milh√Ķes para vans e √īnibus Quando atingir o R$ 1,5 bilh√£o, o programa ser√° encerrado. As vendas de carros com desconto ser√£o exclusivas para pessoas f√≠sicas nos primeiros 15 dias, prazo que pode ser prorrogado por at√© 60 dias, a depender da resposta do mercado. Depois disso, as empresas tamb√©m poder√£o se beneficiar do programa. As empresas do setor que aplicarem o desconto na venda ao consumidor receber√£o um cr√©dito tribut√°rio. Nesta ter√ßa-feira, o presidente Luiz In√°cio Lula da Silva (PT) citou estimativa da Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea) de que o programa com desconto para compras de carros novos pode durar apenas um m√™s. "Ent√£o veja, reduzimos um pouco o pre√ßo do carro. Voc√™ viu, eu estava vendo uma not√≠cia hoje que, j√° vai durar um m√™s e vai acabar o programa", declarou o presidente, na ocasi√£o. Na semana passada, a Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea) estimou que cerca de 100 mil a 110 mil autom√≥veis e comerciais leves dever√£o usufruir dos descontos, antes do esgotamento dos cr√©ditos tribut√°rios disponibilizados pelo Minist√©rio da Fazenda. "Isso dever√° ocorrer em pouco mais de um m√™s, ou seja, bem antes dos 4 meses de prazo estipulado pela MP 1175", informou a Anfavea, em nota. De acordo com o Minist√©rio do Desenvolvimento, foram utilizados, at√© o momento, R$ 150 milh√Ķes em cr√©ditos pelas montadoras, o que representa 30% do teto de R$ 500 milh√Ķes que poder√£o ser usados pelas empresas como cr√©dito tribut√°rio para venda de carros mais baratos.
Veja Mais

14/06 - Nove montadoras aderem ao programa do governo de subs√≠dio para carros zero; veja as vers√Ķes e modelos com desconto
Desconto vai variar de R$ 2 mil a R$ 8 mil no pre√ßo de ve√≠culos de at√© R$ 120 mil. Segundo governo, cerca de 30% do valor previsto para carros populares no programa j√° foi utilizado pelas empresas. Programa do governo d√° desconto em carros 0 km para incentivar o consumo e ajudar a ind√ļstria Aloisio Mauricio/Fotoarena/Estad√£o Conte√ļdo O Minist√©rio do Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos (MDIC) divulgou nesta quarta-feira (14) a lista de montadoras que participam do programa de subs√≠dios de autom√≥veis, e tamb√©m os modelos contemplados com descontos. Segundo o governo, nove montadoras aderiam ao programa de carro mais barato lan√ßado pelo governo federal na semana passada. S√£o elas: Renault, Volks, Toyota, Hyundai, Nissan, Honda, GM, Fiat e Peugeot. Inicialmente, foram colocados √† disposi√ß√£o dos consumidores, para compra com desconto, 233 vers√Ķes de 31 modelos (veja a lista aqui). Segundo o Minist√©rio do Desenvolvimento, a lista √© din√Ęmica, ou seja, a qualquer momento, as montadoras podem incluir outros modelos, desde que comuniquem ao governo. O desconto varia de R$ 2 mil a at√© R$ 8 mil no pre√ßo dos ve√≠culos de at√© R$ 120 mil. No total, o governo reservou R$ 1,5 bilh√£o para o programa. Ser√£o distribu√≠dos assim: R$ 500 milh√Ķes para autom√≥veis R$ 700 milh√Ķes para caminh√Ķes R$ 300 milh√Ķes para vans e √īnibus Quando atingir o R$ 1,5 bilh√£o, o programa ser√° encerrado. Nove montadoras aderem ao programa do governo de subs√≠dio para carros zero As vendas de carros com desconto ser√£o exclusivas para pessoas f√≠sicas nos primeiros 15 dias, prazo que pode ser prorrogado por at√© 60 dias, a depender da resposta do mercado. Depois disso, as empresas tamb√©m poder√£o se beneficiar do programa. As empresas do setor que aplicarem o desconto na venda ao consumidor receber√£o um cr√©dito tribut√°rio. Programa pode acabar r√°pido Nesta ter√ßa-feira, o presidente Luiz In√°cio Lula da Silva (PT) citou estimativa da Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea) de que o programa com desconto para compras de carros novos pode durar apenas um m√™s. "Ent√£o veja, reduzimos um pouco o pre√ßo do carro. Voc√™ viu, eu estava vendo uma not√≠cia hoje que, j√° vai durar um m√™s e vai acabar o programa", declarou o presidente, na ocasi√£o. Na semana passada, a Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea) estimou que cerca de 100 mil a 110 mil autom√≥veis e comerciais leves dever√£o usufruir dos descontos, antes do esgotamento dos cr√©ditos tribut√°rios disponibilizados pelo Minist√©rio da Fazenda. "Isso dever√° ocorrer em pouco mais de um m√™s, ou seja, bem antes dos 4 meses de prazo estipulado pela MP 1175", informou a Anfavea, em nota. De acordo com o Minist√©rio do Desenvolvimento, foram utilizados, at√© o momento, R$ 150 milh√Ķes em cr√©ditos pelas montadoras, o que representa 30% do teto de R$ 500 milh√Ķes que poder√£o ser usados pelas empresas como cr√©dito tribut√°rio para venda de carros mais baratos. Lista dos carros com desconto Veja lista de carros com desconto, segundo o MDIC
Veja Mais

09/06 - Motor 1.6, ar, c√Ęmbio autom√°tico, c√Ęmera, painel multim√≠dia... carro zero com desconto deixa para tr√°s o popular da d√©cada de 90
Modelo mais barato sai por R$ 58.990. Montadoras explicam que os pre√ßos podem variar em cada concession√°ria. Mais de 30 carros, com pre√ßo at√© R$ 120 mil, podem ficar mais baratos com medidas Ar-condicionado, c√Ęmbio autom√°tico, motor acima de 1.0 e muitos itens vip: os modelos de ve√≠culo alcan√ßados pela Medida Provis√≥ria que define descontos oferecidos pelo governo ao consumidor final nem de longe lembram os carros populares que deram origem √† express√£o na d√©cada de 1990. O g1 identificou no in√≠cio de junho 54 promo√ß√Ķes nos sites das montadoras. H√° modelos dispon√≠veis por menos de R$ 60 mil e outros ve√≠culos com descontos que chegam a R$ 21 mil. Al√©m do pacote de incentivos do governo, as empresas tamb√©m est√£o oferecendo descontos pr√≥prios, para estimular o consumo. Dos 54 modelos identificados, pelo menos 33 t√™m ar-condicionado. Mesmo os carros mais b√°sicos, que n√£o apresentam a descri√ß√£o expl√≠cita do item nos an√ļncios, descrevem outros itens de conforto e seguran√ßa como painel multim√≠dia e c√Ęmera de r√©, entre outros. Al√©m dos 16 modelos identificados com motor 1.0, h√° outros 16 identificados com motor 1.6, 12 com motor 1.3 e 3 com motor 1.4. Outros sete carros s√£o identificados com siglas, mas revelam pot√™ncia que supera os 100 cavalos. Embora 27 modelos tenham c√Ęmbio manual, 21 dos ve√≠culos anunciados s√£o equipados com c√Ęmbio autom√°tico, item raro nos carros populares de antigamente. Outros seis n√£o mencionam o tipo de c√Ęmbio. Quarenta modelos s√£o descritos como flex. Para a sondagem, a reportagem considerou a regi√£o de S√£o Paulo e os pre√ßos iniciais sugeridos pelas montadoras em seus sites. Ainda de acordo com a pesquisa, pelo menos 7 companhias vendem carros de at√© R$ 120 mil. Os pre√ßos com desconto j√° est√£o dispon√≠veis e t√™m validade de quatro meses ou at√© que o limite disponibilizado pelo governo para o financiamento do programa seja atingido. Vale destacar que n√£o necessariamente os pre√ßos anunciados pela montadoras ser√£o os pre√ßos praticados pelas concession√°rias. Al√©m disso, cada montadora est√° aplicando suas pr√≥prias regras para as promo√ß√Ķes, como datas espec√≠ficas, limites do n√ļmero de ve√≠culos com desconto e condi√ß√Ķes de pagamentos menos flex√≠veis. √Č importante consultar todas essas condi√ß√Ķes de oferta por meio dos canais oficiais das empresas. Como ser√£o calculados os descontos do governo para carros novos? Os descontos anunciados pelo governo seguir√£o um esquema de pontos com base em quatro crit√©rios: fonte de energia, consumo energ√©tico, pre√ßo e densidade produtiva (a porcentagem do carro que √© produzida no Brasil). Para calcular o desconto de cada ve√≠culo, √© necess√°rio somar os pontos que ele tem em cada um dos crit√©rios estabelecidos pelo governo. Para que um carro receba o desconto m√°ximo, de R$ 8 mil, por exemplo, √© necess√°rio chegar a, pelo menos, 90 pontos. Veja um exemplo: se a fonte de energia √© o etanol ou a eletricidade/modelo h√≠brido, o carro faz 25 pontos; se tem um consumo energ√©tico igual ou inferior a 1,40 MJ/Km, faz mais 25 pontos; se o pre√ßo p√ļblico sugerido for de R$ 70.000,01 a R$ 80 mil, faz 20 pontos; se a densidade produtiva for de 65% a 74,99%, faz mais 20 pontos, totalizando 90 e alcan√ßando o desconto de R$ 8 mil. Para ficar na faixa m√≠nima de desconto, de R$ 2 mil, a pontua√ß√£o precisa ficar abaixo de 69. Dessa forma, se o carro: √© flex (aceita gasolina e etanol), faz 20 pontos; tem um consumo energ√©tico entre 1,61 e 2,00 MJ/Km, faz 15 pontos; custa entre R$ 80.000,01 e R$ 90 mil, faz 18 pontos; tem uma densidade produtiva entre 60% e 64,99%, faz mais 15 pontos, totalizando 68 e recebendo o desconto m√≠nimo. No total, s√£o sete faixas de desconto, que variam de acordo com as seguintes pontua√ß√Ķes: R$ 8 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 90; R$ 7 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 85 e inferior a 90; R$ 6 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 80 e um e inferior a 85; R$ 5 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 77 e inferior a 81; R$ 4 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 73 e inferior a 77; R$ 3 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 69 e inferior a 73; R$ 2 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja inferior a 69. De onde vir√° o dinheiro para a medida? Para conseguir o dinheiro para sustentar o programa, o governo vai antecipar a retomada da cobran√ßa de impostos sobre o √≥leo diesel, como o Pis e a Cofins. Isso s√≥ estava previsto para janeiro de 2024. Mas agora ser√° feito em duas etapas, a primeira j√° em setembro deste ano e a segunda em janeiro do ano que vem. A medida - a reonera√ß√£o do diesel - deve gerar R$ 2 bilh√Ķes em arrecada√ß√£o at√© o ano que vem, mais do que o R$ 1,5 bilh√£o necess√°rios para custear a queda do pre√ßo dos carros populares, caminh√Ķes e √īnibus. O restante ser√° usado no or√ßamento de 2024. E, em vez de reduzir impostos, a ideia do governo agora √© conceder cr√©ditos tribut√°rios √†s empresas do setor. Ou seja, elas v√£o continuar tendo de pagar os tributos, mas ganhar√£o cr√©ditos que podem ser usados para abater pagamentos de impostos no futuro. No total, o governo reservou R$ 1,5 bilh√£o para o programa. Ser√£o R$ 500 milh√Ķes para autom√≥veis, R$ 700 milh√Ķes para caminh√Ķes; R$ 300 milh√Ķes para vans e √īnibus. Quando atingir o R$ 1,5 bilh√£o, o programa ser√° encerrado. Venda de carros cresceu em maio De acordo com a Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea), a quantidade de carros licenciados em maio foi de 127,5 mil, o n√ļmero √© 7,9% maior que abril (118,2 mil). Contudo, no comparativo anual, houve uma queda de 8,6% - √† √©poca, foram licenciados 139,5 mil autom√≥veis. A produ√ß√£o nacional de ve√≠culos tamb√©m teve um aumento no comparativo mental. Em abril, foram produzidos 137,5 mil carros; no √ļltimo m√™s, 175,1 mil - alta de 27,3%. No comparativo com maio de 2022 (159,6 mil), houve um aumento produtivo de 9,7%
Veja Mais

06/06 - Carro zero com desconto: montadoras já anunciaram pelo menos 54 modelos com preço reduzido; veja lista
Modelo mais barato sai por R$ 58.990. Montadoras explicam que os pre√ßos podem variar em cada concession√°ria. Mais de 30 carros, com pre√ßo at√© R$ 120 mil, podem ficar mais baratos com medidas As montadoras come√ßaram a anunciar pacotes de incentivos econ√īmicos para a compra de carros novos ap√≥s a divulga√ß√£o da Medida Provis√≥ria que estabelece as regras para os descontos oferecidos pelo governo ao consumidor final, que v√£o de R$ 2 mil a R$ 8 mil (veja abaixo a lista de carros com desconto). At√© agora, o g1 j√° identificou 54 promo√ß√Ķes nos sites das montadoras. H√° modelos dispon√≠veis por menos de R$ 60 mil e outros ve√≠culos com descontos que chegam a R$ 21 mil. Al√©m do pacote de incentivos do governo, as empresas tamb√©m est√£o oferecendo descontos pr√≥prios, para estimular o consumo. Para a sondagem, a reportagem considerou a regi√£o de S√£o Paulo e os pre√ßos iniciais sugeridos pelas montadoras em seus sites. Ainda de acordo com a pesquisa, pelo menos 7 companhias vendem carros de at√© R$ 120 mil. Os pre√ßos com desconto j√° est√£o dispon√≠veis e t√™m validade de quatro meses ou at√© que o limite disponibilizado pelo governo para o financiamento do programa seja atingido. Vale destacar que n√£o necessariamente os pre√ßos anunciados pela montadoras ser√£o os pre√ßos praticados pelas concession√°rias. Al√©m disso, cada montadora est√° aplicando suas pr√≥prias regras para as promo√ß√Ķes, como datas espec√≠ficas, limites do n√ļmero de ve√≠culos com desconto e condi√ß√Ķes de pagamentos menos flex√≠veis. √Č importante consultar todas essas condi√ß√Ķes de oferta por meio dos canais oficiais das empresas. Como ser√£o calculados os descontos do governo para carros novos? Os descontos anunciados pelo governo seguir√£o um esquema de pontos com base em quatro crit√©rios: fonte de energia, consumo energ√©tico, pre√ßo e densidade produtiva (a porcentagem do carro que √© produzida no Brasil). Para calcular o desconto de cada ve√≠culo, √© necess√°rio somar os pontos que ele tem em cada um dos crit√©rios estabelecidos pelo governo. Para que um carro receba o desconto m√°ximo, de R$ 8 mil, por exemplo, √© necess√°rio chegar a, pelo menos, 90 pontos. Veja um exemplo: se a fonte de energia √© o etanol ou a eletricidade/modelo h√≠brido, o carro faz 25 pontos; se tem um consumo energ√©tico igual ou inferior a 1,40 MJ/Km, faz mais 25 pontos; se o pre√ßo p√ļblico sugerido for de R$ 70.000,01 a R$ 80 mil, faz 20 pontos; se a densidade produtiva for de 65% a 74,99%, faz mais 20 pontos, totalizando 90 e alcan√ßando o desconto de R$ 8 mil. Para ficar na faixa m√≠nima de desconto, de R$ 2 mil, a pontua√ß√£o precisa ficar abaixo de 69. Dessa forma, se o carro: √© flex (aceita gasolina e etanol), faz 20 pontos; tem um consumo energ√©tico entre 1,61 e 2,00 MJ/Km, faz 15 pontos; custa entre R$ 80.000,01 e R$ 90 mil, faz 18 pontos; tem uma densidade produtiva entre 60% e 64,99%, faz mais 15 pontos, totalizando 68 e recebendo o desconto m√≠nimo. No total, s√£o sete faixas de desconto, que variam de acordo com as seguintes pontua√ß√Ķes: R$ 8 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 90; R$ 7 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 85 e inferior a 90; R$ 6 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 80 e um e inferior a 85; R$ 5 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 77 e inferior a 81; R$ 4 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 73 e inferior a 77; R$ 3 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja maior ou igual a 69 e inferior a 73; R$ 2 mil para ve√≠culos cuja soma dos pontos seja inferior a 69. De onde vir√° o dinheiro para a medida? Para conseguir o dinheiro para sustentar o programa, o governo vai antecipar a retomada da cobran√ßa de impostos sobre o √≥leo diesel, como o Pis e a Cofins. Isso s√≥ estava previsto para janeiro de 2024. Mas agora ser√° feito em duas etapas, a primeira j√° em setembro deste ano e a segunda em janeiro do ano que vem. A medida - a reonera√ß√£o do diesel - deve gerar R$ 2 bilh√Ķes em arrecada√ß√£o at√© o ano que vem, mais do que o R$ 1,5 bilh√£o necess√°rios para custear a queda do pre√ßo dos carros populares, caminh√Ķes e √īnibus. O restante ser√° usado no or√ßamento de 2024. E, em vez de reduzir impostos, a ideia do governo agora √© conceder cr√©ditos tribut√°rios √†s empresas do setor. Ou seja, elas v√£o continuar tendo de pagar os tributos, mas ganhar√£o cr√©ditos que podem ser usados para abater pagamentos de impostos no futuro. No total, o governo reservou R$ 1,5 bilh√£o para o programa. Ser√£o R$ 500 milh√Ķes para autom√≥veis, R$ 700 milh√Ķes para caminh√Ķes; R$ 300 milh√Ķes para vans e √īnibus. Quando atingir o R$ 1,5 bilh√£o, o programa ser√° encerrado. Venda de carros cresceu em maio De acordo com a Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea), a quantidade de carros licenciados em maio foi de 127,5 mil, o n√ļmero √© 7,9% maior que abril (118,2 mil). Contudo, no comparativo anual, houve uma queda de 8,6% - √† √©poca, foram licenciados 139,5 mil autom√≥veis. A produ√ß√£o nacional de ve√≠culos tamb√©m teve um aumento no comparativo mental. Em abril, foram produzidos 137,5 mil carros; no √ļltimo m√™s, 175,1 mil - alta de 27,3%. No comparativo com maio de 2022 (159,6 mil), houve um aumento produtivo de 9,7%
Veja Mais

26/05 - Mais de 30 carros têm preço até R$ 120 mil e podem ficar mais baratos com medidas do governo; veja lista
Modelos mais em conta custam a partir de R$ 68.990 atualmente. Mais de 30 carros, com pre√ßo at√© R$ 120 mil, podem ficar mais baratos com medidas Mais de 30 carros vendidos no Brasil t√™m pre√ßos at√© R$ 120 mil e podem ficar mais baratos com medidas anunciadas pelo governo federal nesta quinta-feira (25). Os dados s√£o de um levantamento feito pelo g1 em sites de montadoras que atuam no pa√≠s. Veja como vai funcionar medida do governo para reduzir pre√ßo de carros Medida de redu√ß√£o de pre√ßos 'n√£o √© programa de longo prazo', diz Haddad Para a sondagem, a reportagem considerou a regi√£o de S√£o Paulo e os pre√ßos iniciais sugeridos pelas montadoras em seus sites. Ainda de acordo com a pesquisa, pelo menos 10 companhias vendem carros at√© R$ 120 mil. Globo.com: leia as principais not√≠cias do dia Veja abaixo a lista de carros que custam at√© esse valor: Fiat Mobi - R$ 68.990 Renault Kwid - R$ 68.990 Peugeot 208 - R$ 69.990 Fiat Mobi Track - R$ 72.290 Citro√ęn C3 - R$ 72.990 Fiat Argo - R$ 79.790 Renault Stepway - R$ 79.990 Volkswagen Polo Track 2023 - R$ 81.370 Hyundai HB20 - R$ 82.290 Chevrolet Onix - R$ 84.390 Fiat Cronos - R$ 84.790 Volkswagen Novo Polo MPI 2023 - R$ 86.390 Renault Logan - R$ 89.560 Hyundai HB20 Sedan - R$ 91.890 Volkswagen Saveiro - R$ 94.490 Chevrolet Onix Plus - R$ 96.390 Toyota Yaris - R$ 97.990 Peugeot Partner Rapid - R$ 98.781 Fiat Strada Endurance - R$ 99.990 Fiat Pulse - R$ 100.990 Nissan Versa Sense 2023 - R$ 101.190 Peugeot 2008 - R$ 102.990 Chevrolet Spin - R$ 103.990 Volkswagen Novo Virtus - R$ 104.390 Fiat Strada Freedom - R$ 105.990 Citro√ęn C4 Cactus - R$ 108.990 Fiat Cronos Precision - R$ 109.890 Nissan Versa Advance - R$ 110.490 Fiat Fiorino - R$ 111.990 Fiat Strada Volcano - R$ 112.990 Nissan Kicks - R$ 112.990 Renault Duster - R$ 112.990 Renault Oroch - R$ 115.900 Volkswagen T-Cross - R$ 116.550 Hyundai Creta - 116.560 Chevrolet Montana - R$ 118.690 Honda New City Sedan - R$ 118.700 Fiat Pulse Audace - R$ 119.990 Tr√Ęnsito na Avenida Tiradentes, na regi√£o da Luz, em S√£o Paulo. Fernando Fraz√£o/Ag√™ncia Brasil Medidas para baratear carros at√© R$ 120 mil Governo anuncia corte de impostos com objetivo de reduzir pre√ßo de carros populares O governo federal anunciou na √ļltima quinta-feira (25) um pacote de medidas com o objetivo de reduzir o pre√ßo final dos carros para os consumidores. Entre as propostas est√£o: Corte de impostos para reduzir o pre√ßo final de carro at√© R$ 120 mil em at√© 10,79%; Ado√ß√£o da taxa referencial (TR) como taxa de juros para projetos de pesquisa e inova√ß√£o; R$ 4 bilh√Ķes em financiamentos em d√≥lar por parte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econ√īmico e Sustent√°vel (BNDES), voltados para empresas que trabalham com exporta√ß√£o. As medidas, segundo o setor automotivo, podem fazer com que os carros populares novos voltem a custar menos de R$ 60 mil. Atualmente, o pre√ßo de partida do carro zero √© de cerca de R$ 68 mil ‚Äď mais de 50 sal√°rios m√≠nimos (hoje em R$ 1.320). Esse valor n√£o considera medidas anunciadas nesta quinta. Segundo o vice-presidente da Rep√ļblica e ministro de Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos, Geraldo Alckmin, o abatimento no pre√ßo final poder√° ser ainda maior. O governo estuda permitir a venda direta dos carros a pessoas f√≠sicas. O desconto vai variar de 1,5% a 10,79%, com base em tr√™s fatores: o valor atual do ve√≠culo: quanto mais barato o carro, maior ser√° o desconto tribut√°rio; a emiss√£o de poluentes: quanto mais limpo for o motor e o processo produtivo, maior o desconto; a cadeia de produ√ß√£o: quanto maior o percentual de pe√ßas e acess√≥rios produzidos no Brasil, maior o desconto. Segundo foi anunciado por Alckmin, o Minist√©rio da Fazenda ter√° um prazo de 15 dias para adequar a decis√£o √†s regras fiscais ‚Äď ou seja, calcular a perda de arrecada√ß√£o e dizer qual ser√° a compensa√ß√£o no or√ßamento. Passado esse prazo, de acordo com Alckmin, o governo editar√° uma medida provis√≥ria e um decreto para regulamentar o tema. AN√ĀLISE: Medidas para baratear carro s√£o positivas, mas ainda falta clareza sobre lado fiscal
Veja Mais

25/05 - Veja como vai funcionar medida do governo para reduzir preço de carros
Desconto no pre√ßo final levar√° em conta pre√ßo atual, emiss√£o de poluentes e percentual de pe√ßas nacionais. Anfavea prev√™ que ve√≠culos novos possam voltar a custar menos de R$ 60 mil. Alckmin: 'carros baratos ter√£o redu√ß√Ķes de impostos' O governo federal anunciou nesta quinta-feira (25) que vai reduzir impostos dos carros populares em at√© 10,96%. O objetivo √© diminuir o pre√ßo dos ve√≠culos mais "baratos". Veja a seguir como vai funcionar: ūüöó A medida valer√° para ve√≠culos com valor final de at√© R$ 120 mil. Desconto Vai variar de 1,5% a 10,96%, com base em tr√™s fatores: valor atual do ve√≠culo: quanto mais barato o carro, maior ser√° o desconto tribut√°rio; emiss√£o de poluentes: quanto mais limpo for o motor e o processo produtivo, maior o desconto; cadeia de produ√ß√£o: quanto maior o percentual de pe√ßas e acess√≥rios produzidos no Brasil, maior o desconto. Atualmente, o pre√ßo de partida do carro zero √© de cerca de R$ 68 mil ‚Äď mais de 50 sal√°rios m√≠nimos (hoje em R$ 1.320). O governo tamb√©m estuda permitir a venda direta dos carros a pessoas f√≠sicas. O vice-presidente da Rep√ļblica e ministro de Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos, Geraldo Alckmin, afirmou que: "Quanto menor o carro, mais acess√≠vel, maior ser√° o desconto." O presidente da Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea), M√°rcio de Lima Leite, disse que: "√Č muito poss√≠vel termos pre√ßos abaixo de R$ 60 mil." Prazo O Minist√©rio da Fazenda ter√° um prazo de 15 dias para adequar a decis√£o √†s regras fiscais ‚Äď ou seja, calcular a perda de arrecada√ß√£o e dizer qual ser√° a compensa√ß√£o no or√ßamento. At√© quando vai valer? Alckmin disse que a medida √© transit√≥ria, voltada para estimular um setor que passa por dificuldades e trabalha hoje com ociosidade de 50%. Entraves Os juros cobrados no financiamento de carros s√£o mais altos do que a Selic, que hoje √© de 13,75%. De acordo com o Banco Central, a taxa m√©dia dos bancos nessa linha de cr√©dito foi de 28,6% ao ano em mar√ßo. "O juro √© dif√≠cil de resolver de um dia para o outro. Mas √© poss√≠vel pensar em mecanismos de acesso ao cr√©dito que possam facilitar", disse o presidente da Stellantis, Antonio Filosa. Mais de 30 carros, com pre√ßo at√© R$ 120 mil, podem ficar mais baratos com medidas
Veja Mais

25/05 - Governo anuncia corte de impostos para reduzir, em até 10,96%, preço de carros de até R$ 120 mil
Desconto no pre√ßo final levar√° em conta pre√ßo atual, emiss√£o de poluentes e percentual de pe√ßas nacionais. Anfavea prev√™ que ve√≠culos novos possam voltar a custar menos de R$ 60 mil. Governo anuncia corte de impostos com objetivo de reduzir pre√ßo de carros populares O governo federal anunciou nesta quinta-feira (25) que vai reduzir impostos com o objetivo de reduzir o pre√ßo final dos carros populares em at√© 10,96%. A medida valer√° para ve√≠culos com valor final de at√© R$ 120 mil. As medidas, segundo o setor automotivo, podem fazer com que os carros populares novos voltem a custar menos de R$ 60 mil (veja abaixo). Atualmente, o pre√ßo de partida do carro zero √© de cerca de R$ 68 mil ‚Äď mais de 50 sal√°rios m√≠nimos (hoje em R$ 1.320). Esse valor n√£o considera medidas anunciadas nesta quinta. A ideia do governo de reduzir os impostos j√° havia sido adiantada pelo blog da Ana Flor. Segundo o vice-presidente da Rep√ļblica e ministro de Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos, Geraldo Alckmin, o abatimento no pre√ßo final poder√° ser ainda maior: O governo estuda permitir a venda direta dos carros a pessoas f√≠sicas. Hoje, a venda direta √© realizada apenas para CNPJs. A modalidade √© utilizada por locadoras e empresas de frete, por exemplo, por n√£o incluir custos de log√≠stica e o lucro das concession√°rias, por exemplo. Alckmin: 'carros baratos ter√£o redu√ß√Ķes de impostos' Segundo Alckmin, o desconto vai variar de 1,5% a 10,96%, com base em tr√™s fatores: o valor atual do ve√≠culo: quanto mais barato o carro, maior ser√° o desconto tribut√°rio; a emiss√£o de poluentes: quanto mais limpo for o motor e o processo produtivo, maior o desconto; a cadeia de produ√ß√£o: quanto maior o percentual de pe√ßas e acess√≥rios produzidos no Brasil, maior o desconto. As a√ß√Ķes foram anunciadas ap√≥s reuni√£o do presidente Luiz In√°cio Lula da Silva, de Alckmin e de representantes da equipe econ√īmica com entidades do setor automotivo no Pal√°cio do Planalto. Segundo Alckmin, "quanto menor o carro, mais acess√≠vel, maior ser√° o desconto". "Hoje, o carro mais barato √© quase R$ 70 mil. Queremos reduzir esse valor. Mas os outros tamb√©m ser√£o reduzidos. Quanto menor, mais acess√≠vel, maior ser√° o desconto do IPI, PIS e Cofins. Primeiro item √© social, √© voc√™ atender mais essa popula√ß√£o que est√° precisando mais", declarou o vice-presidente, que √© tamb√©m ministro de Desenvolvimento, Com√©rcio, Ind√ļstria e Servi√ßos. O Minist√©rio da Fazenda ter√° um prazo de 15 dias para adequar a decis√£o √†s regras fiscais ‚Äď ou seja, calcular a perda de arrecada√ß√£o e dizer qual ser√° a compensa√ß√£o no or√ßamento. Passado esse prazo, segundo Alckmin, o governo editar√° uma medida provis√≥ria e um decreto para regulamentar o tema. Lei de garantias pode baratear cr√©dito Carros abaixo de R$ 60 mil, prev√™ Anfavea O presidente da Associa√ß√£o Nacional dos Fabricantes de Ve√≠culos Automotores (Anfavea), M√°rcio de Lima Leite, afirma que o pacote torna "muito poss√≠vel" que carros novos voltem a custar abaixo de R$ 60 mil nas concession√°rias. "O pre√ßo, cada montadora tem sua pol√≠tica. Mas pelos n√ļmeros que v√™m sendo apresentados, √© muito poss√≠vel termos pre√ßos abaixo de R$ 60 mil. Hoje, com as redu√ß√Ķes tribut√°rias que est√£o em discuss√£o e o esfor√ßo conjunto de todo setor, √© bem poss√≠vel que tenhamos. Mas isso √© uma quest√£o que cada montadora, que cada fabricante, tem a sua pol√≠tica", declarou. A inten√ß√£o de baratear os ve√≠culos foi manifestada publicamente pelo presidente Lula durante discurso no dia 4 de maio. Na ocasi√£o, ele disse que carro de "R$ 90 mil n√£o √© popular". Nos √ļltimos dias, representantes de minist√©rios e do setor discutiram poss√≠veis alternativas para reduzir os pre√ßos. Os executivos frisaram para o governo que as montadoras j√° t√™m muita pouca margem de lucro nos carros populares e que, por isso, seria dif√≠cil reduzir os pre√ßos nas f√°bricas. A margem, segundo as empresas, s√£o maiores no carros mais caros. Mais de 30 carros, com pre√ßo at√© R$ 120 mil, podem ficar mais baratos com medidas Est√≠mulo √† ind√ļstria O governo tamb√©m anunciou medidas de um pacote geral de est√≠mulo √† ind√ļstria geral. As propostas incluem: a ado√ß√£o da taxa referencial (TR) como taxa de juros para projetos de pesquisa e inova√ß√£o ‚Äď o que deve baratear os esfor√ßos da ind√ļstria nessas √°reas; R$ 4 bilh√Ķes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econ√īmico e Sustent√°vel (BNDES) para financiamentos em d√≥lar voltados a empresas que trabalham com exporta√ß√£o ‚Äď a opera√ß√£o em d√≥lar, segundo Alckmin, serve como uma prote√ß√£o cambial. Governo anuncia hoje medidas para incentivar mercado de carros populares Representante da ind√ļstria automobil√≠stica Nesta quarta-feira (24), o presidente da Stellantis, Antonio Filosa, se encontrou com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e afirmou, ap√≥s a reuni√£o, que o setor automobil√≠stico est√° claramente sofrendo com os juros altos. A empresa controla a Fiat, a Jeep e a Citroen, entre outras, com participa√ß√£o de 33% no mercado dom√©stico. Atualmente, a taxa b√°sica de juros da economia, fixada pelo Banco Central para tentar conter a infla√ß√£o, est√° em 13,75% ao ano, o maior patamar em seis anos e meio. Os juros cobrados no financiamento de carros, por√©m, s√£o mais altos. De acordo com o BC, a taxa m√©dia dos bancos nessa linha de cr√©dito foi de 28,6% ao ano em mar√ßo. "O juro √© dif√≠cil de resolver de um dia para o outro. Mas √© poss√≠vel pensar em mecanismos de acesso ao cr√©dito que possam facilitar. Por exemplo, melhorando o n√≠vel de garantias reais, por exemplo usando alguns ativos que o governo tem, e assim por diante", declarou o executivo da Stellantis, na quarta-feira. Questionado por jornalistas, ele avaliou tamb√©m que "algum tipo de isen√ß√£o fiscal sempre √© bem-vindo". "Uma isen√ß√£o fiscal baratearia o carro. Claramente, existe um sacrif√≠cio que as montadoras devem fazer para gerar mais efici√™ncias", afirmou. Filosa disse ainda que o pre√ßo do a√ßo subiu muito nos √ļltimos anos, impactando o custo das montadoras.
Veja Mais

25/05 - Governo federal anuncia medidas para carros populares nesta quinta, Dia da Ind√ļstria
Presidente Lula manifestou no in√≠cio do m√™s a inten√ß√£o de facilitar acesso da popula√ß√£o a carros populares. Entre as alternativas estudadas est√£o uso de parte do FGTS para a compra de carros e a redu√ß√£o de impostos para diminuir o valor do produto. O presidente Luiz In√°cio Lula da Silva (PT) anuncia nesta quinta-feira (25) medidas para facilitar o acesso da popula√ß√£o a carros populares. Lula gostaria de colocar os ve√≠culos em um patamar de pre√ßos parecido com os que os carros populares tiveram nas √ļltimas d√©cadas no Brasil. Atualmente, os carros "zero" mais baratos do pa√≠s tem pre√ßo de partida por volta de R$ 68 mil. A inten√ß√£o de baratear os ve√≠culos foi manifestada publicamente pelo presidente Lula durante discurso no dia 4 de maio. Na ocasi√£o, ele disse que carro de "R$ 90 mil n√£o √© popular". Desde ent√£o, o governo e o setor de automotivos v√™m discutindo o tema. Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Telegram Al√©m de Lula, participam do an√ļncio da nova medida nesta quinta representantes de entidades do setor automotivo e o vice-presidente da Rep√ļblica e ministro do Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos, Geraldo Alckmin, que comandou os estudos sobre o tema. "Na reuni√£o, Lula e Alckmin anunciar√£o medidas de curto prazo para ampliar o acesso da popula√ß√£o a carros novos e alavancar a cadeia produtiva ligada ao setor automotivo brasileiro. O encontro contar√° com a presen√ßa de ministros e representantes de trabalhadores e fabricantes da ind√ļstria automotiva", disse o governo em nota. Globo.com: leia as principais not√≠cias do dia 'Carro de R$ 90 mil n√£o √© popular, √© para classe m√©dia', diz Lula Alternativas para baixar pre√ßo O governo n√£o adiantou quais ser√£o as medidas, mas o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse na quarta-feira (24) que existem "v√°rias possibilidades" para tentar baratear o carro popular em estudo. "Mas tem coisa que s√≥ d√° para fazer o ano que vem. Pode at√© ser anunciada, mas s√≥ d√° pra fazer no ano que vem, em virtude das regras fiscais [das contas p√ļblicas]", declarou, antes da reuni√£o com Lula e Alckmin. Nos √ļltimos dias, representantes de minist√©rios e do setor discutiram poss√≠veis alternativas para reduzir os pre√ßos. Os executivos frisaram para o governo que as montadoras j√° t√™m muita pouca margem de lucro nos carros populares e que, por isso, seria dif√≠cil reduzir os pre√ßos nas f√°bricas. A margem, segundo as empresas, √© maior nos carros mais caros. Alckmin j√° sinalizou que o pacote tamb√©m deve incluir medidas de apoio √† ind√ļstria de caminh√Ķes. Leia tamb√©m: Venda de carros usados no pa√≠s passa a ser cinco vezes maior que a de carros novos, diz levantamento da FGV Produ√ß√£o e venda de ve√≠culos brasileiros despencam em abril Saque do FGTS O caminho defendido pela ind√ļstria √© a possibilidade de os trabalhadores poderem sacar uma parte do Fundo de Garantia por Tempo de Servi√ßo (FGTS) -- 10% ou 15%, por exemplo. E usar esse valor para trocar o carro usado por um novo. Isso poderia ser feito via medida provis√≥ria, caso haja consenso dentro do governo. O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, por√©m, j√° disse ser "radicalmente contra" o uso do FGTS para esse objetivo. Tamb√©m foi discutida com representantes da ind√ļstria automotiva, nas √ļltimas semanas, uma eventual redu√ß√£o de tributos. Na reuni√£o entre governo e montadoras, foi ressaltado que o Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) -- um tributo federal -- j√° √© reduzido para carros populares. Para ser efetiva uma queda de impostos, as medidas precisariam envolver impostos recolhidos pelos estados, como o ICMS. A al√≠quota de ICMS, por√©m, tamb√©m j√° √© reduzida para carros de passeio e qualquer queda de arrecada√ß√£o precisaria ser compensada pela Uni√£o, dizem fontes ligadas aos governadores. Isso passaria, portanto, por uma negocia√ß√£o com as secretarias estaduais de Fazenda.
Veja Mais

24/05 - Haddad diz que medidas para baratear carro popular podem sair nesta quinta; veja alternativas
Inten√ß√£o de baixar pre√ßo dos carros populares foi manifestada publicamente pelo presidente Lula, no come√ßo do m√™s. Nos √ļltimos dias, representantes de minist√©rios e do setor discutiram alternativas. Ministro da Fazenda, Fernando Haddad TV Globo/Reprodu√ß√£o O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou nesta quarta-feira (24) que o governo pode anunciar nesta quinta (25), Dia da Ind√ļstria, medidas para baratear os pre√ßos dos chamados "carros populares". "Eu acredito que √© amanh√£, porque √© o Dia da Ind√ļstria e talvez ele [presidente Luiz In√°cio Lula da Silva] queira anunciar. Mas eu n√£o sei se vai dar tempo de process√°-las", disse Haddad. O ministro n√£o quis antecipar quais a√ß√Ķes podem ser anunciadas (veja possibilidades abaixo). As declara√ß√Ķes foram dadas ap√≥s reuni√£o do ministro com o presidente Lula e com o vice-presidente, Geraldo Alckmin, que tamb√©m √© ministro do Desenvolvimento, Ind√ļstria e Com√©rcio e Servi√ßos e est√° coordenando esse pacote de medidas. Atualmente, os carros zero mais baratos do pa√≠s tem pre√ßo de partida por volta de R$ 68 mil. A inten√ß√£o de baratear os ve√≠culos foi manifestada publicamente pelo presidente Lula durante discurso no dia 4 de maio. Na ocasi√£o, ele disse que carro de "R$ 90 mil n√£o √© popular". 'Carro de R$ 90 mil n√£o √© popular, √© para classe m√©dia', diz Lula Alternativas para baixar pre√ßo Mais cedo, nesta quarta-feira, o ministro Haddad j√° havia dito que "v√°rias possibilidades" para tentar baratear o carro popular estavam em estudo. "Mas tem coisa que s√≥ d√° para fazer o ano que vem. Pode at√© ser anunciada, mas s√≥ d√° pra fazer no ano que vem, em virtude das regras fiscais [das contas p√ļblicas]", declarou, antes da reuni√£o com Lula e Alckmin. Nos √ļltimos dias, representantes de minist√©rios e do setor discutiram poss√≠veis alternativas para reduzir os pre√ßos. Os executivos frisaram para o governo que as montadoras j√° t√™m muita pouca margem de lucro nos carros populares e que, por isso, seria dif√≠cil reduzir os pre√ßos nas f√°bricas. A margem, segundo as empresas, s√£o maiores no carros mais caros. Alckmin j√° sinalizou que o pacote tamb√©m deve incluir medidas de apoio √† ind√ļstria de caminh√Ķes. Saque do FGTS O caminho defendido pela ind√ļstria √© a possibilidade de os trabalhadores poderem sacar uma parte do Fundo de Garantia por Tempo de Servi√ßo (FGTS) -- 10% ou 15%, por exemplo. E usar esse valor para trocar o carro usado por um novo. Isso poderia ser feito via medida provis√≥ria, caso haja consenso dentro do governo. O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, por√©m, j√° disse ser "radicalmente contra" o uso do FGTS para esse objetivo. Tributos Tamb√©m foi discutida com representantes da ind√ļstria automotiva, nas √ļltimas semanas, uma eventual redu√ß√£o de tributos. Na reuni√£o entre governo e montadoras, foi ressaltado que o Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) -- um tributo federal -- j√° √© reduzido para carros populares. Para ser efetiva uma queda de impostos, as medidas precisariam envolver impostos recolhidos pelos estados, como o ICMS. A al√≠quota de ICMS, por√©m, tamb√©m j√° √© reduzida para carros de passeio e qualquer queda de arrecada√ß√£o precisaria ser compensada pela Uni√£o, dizem fontes ligadas aos governadores. Isso passaria, portanto, por uma negocia√ß√£o com as secretarias estaduais de Fazenda. Representante da ind√ļstria automobil√≠stica O presidente da Stellantis, Antonio Filosa, afirmou nesta quarta-feira que o setor automobil√≠stico est√° claramente sofrendo com os juros altos. A empresa controla a Fiat, a Jeep e a Citroen, entre outras, com participa√ß√£o de 33% no mercado dom√©stico. Filosa, que afirmou n√£o ter informa√ß√Ķes sobre o pacote de medidas para baixar o pre√ßo dos carros populares, deu a declara√ß√£o ap√≥s reuni√£o com o ministro Haddad em Bras√≠lia. Atualmente, a taxa b√°sica de juros da economia, fixada pelo Banco Central para tentar conter a infla√ß√£o, est√° em 13,75% ao ano, o maior patamar em seis anos e meio. Os juros cobrados no financiamento de carros, por√©m, s√£o mais altos. De acordo com o BC, a taxa m√©dia dos bancos nessa linha de cr√©dito foi de 28,6% ao ano em mar√ßo. "O juro √© dif√≠cil de resolver de um dia para o outro. Mas √© poss√≠vel pensar em mecanismos de acesso ao cr√©dito que possam facilitar. Por exemplo, melhorando o n√≠vel de garantias reais, por exemplo usando alguns ativos que o governo tem, e assim por diante", declarou o executivo da Stellantis. Questionado por jornalistas, ele avaliou tamb√©m que "algum tipo de isen√ß√£o fiscal sempre √© bem-vindo". "Uma isen√ß√£o fiscal baratearia o carro. Claramente, existe um sacrif√≠cio que as montadoras devem fazer para gerar mais efici√™ncias", afirmou. Filosa disse ainda que o pre√ßo do a√ßo subiu muito nos √ļltimos anos, impactando o custo das montadoras.
Veja Mais

20/05 - Conheça o 'carro esportivo de luxo' que anda sobre a água a 100 km/h e está disponível para test drive em SC
Modelo que custa a partir de R$ 380 mil estar√° dispon√≠vel em Itaja√≠ at√© domingo (21). Conhe√ßa o 'carro esportivo de luxo' que anda sobre a √°gua a 100 km/h Uma embarca√ß√£o com "cara de carro esportivo de luxo‚ÄĚ que atinge at√© 100 km/h sobre a √°gua, est√° dispon√≠vel para test drive em Itaja√≠, no Litoral Norte de Santa Catarina, at√© domingo (19). A volta com a lancha n√£o tem custo, por√©m, precisa ser agendada. O modelo, segundo a empresa respons√°vel, custa a partir de R$ 380 mil. Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Telegram De acordo com a americana Seacar Vehigh, que desenvolveu o barco, "a sensa√ß√£o √© de pilotar um carro robusto, confort√°vel e veloz". Bancos de couro e painel de carro: veja como √© o 'esportivo de luxo' por dentro A velocidade √© medida em milhas. A lancha anda a cerca de 60 milhas/h. Convertida a velocidade para quil√īmetros, chega a quase 100, o que √© comum para barcos a motor, segundo a Marina de Itaja√≠. A produ√ß√£o usou a tecnologia de grafeno, material "100 vezes mais forte que o a√ßo", conforme a companhia. Embarca√ß√£o tem cara de carro esportivo de luxo Divulga√ß√£o As visita√ß√Ķes ocorrem das 10h √†s 17h deste s√°bado (20) e domingo, na Marina de Itaja√≠, e precisam ser agendadas atrav√©s do telefone (48) 4042-2643. ENTENDA: Praia de SC √© √ļnica brasileira a receber o t√≠tulo de 'Reserva Mundial de Surfe' Barco estar√° dispon√≠vel para test drive em Itaja√≠ at√© domingo (21) Divulga√ß√£o ‚Äú√Č um novo conceito n√°utico para o Brasil, ideal para quem curte experi√™ncias sobre as √°guas e adrenalina. Acreditamos que o mercado est√° carente de diferenciais em termos de embarca√ß√Ķes", informou o diretor da empresa, Alan Goes. Empresa procura dono para compartilhar iate atracado em SC avaliado em R$ 200 milh√Ķes Modelo de embarca√ß√£o custa a partir de R$ 380 mil Divulga√ß√£o V√ćDEOS: mais assistidos do g1 SC nos √ļltimos 7 dias Veja mais not√≠cias do estado no g1 SC
Veja Mais

20/05 - Governo quer anunciar no dia 25 medida para baratear carro popular; veja planos em estudo
Presidente Lula afirmou em evento no in√≠cio de maio que pre√ßo de R$ 90 mil 'n√£o √© popular'. Nesta semana, governo conversou com montadoras para desenhar alternativas. O governo federal quer anunciar no dia 25 de maio, Dia da Ind√ļstria, uma medida para baratear os carros populares. Nos √ļltimos dias, representantes de minist√©rios e do setor discutiram poss√≠veis alternativas para reduzir os pre√ßos. A inten√ß√£o de baratear carros populares foi manifestada publicamente pelo presidente Luiz In√°cio Lula da Silva durante discurso no dia 4 de maio. Na ocasi√£o, Lula disse que "R$ 90 mil n√£o √© popular". No in√≠cio da semana, representantes das montadoras se reuniram com o vice-presidente e ministro da Ind√ļstria, Geraldo Alckmin. Governo e empresas discutiram algumas op√ß√Ķes, ainda sem chegar a um formato final. Os executivos frisaram para o governo que as montadoras j√° t√™m muita pouca margem de lucro nos carros populares e que, por isso, seria dif√≠cil reduzir os pre√ßos nas f√°bricas. A margem, segundo as empresas, s√£o maiores no carros mais caros. Alckmin j√° sinalizou que o pacote tamb√©m deve incluir medidas de apoio √† ind√ļstria de caminh√Ķes. 'Carro de R$ 90 mil n√£o √© popular, √© para classe m√©dia', diz Lula Saque do FGTS O caminho defendido pela ind√ļstria √© a possibilidade de os trabalhadores poderem sacar uma parte do Fundo de Garantia por Tempo de Servi√ßo (FGTS) -- 10% ou 15%, por exemplo. E usar esse valor para trocar o carro usado por um novo. Isso poderia ser feito via medida provis√≥ria, caso haja consenso dentro do governo. O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, por√©m, j√° disse ser "radicalmente contra" o uso do FGTS para esse objetivo. Tributos Tamb√©m foi discutida uma eventual redu√ß√£o de tributos. Na reuni√£o entre governo e montadoras, foi ressaltado que o Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) -- um tributo federal -- j√° √© reduzido para carros populares. Para ser efetiva uma queda de impostos, as medidas precisariam envolver tributos recolhidos pelos estados, como o ICMS. A al√≠quota de ICMS, por√©m, tamb√©m j√° √© reduzida para carros de passeio e qualquer queda de arrecada√ß√£o precisaria ser compensada pela Uni√£o, dizem fontes ligadas aos governadores. Isso passaria, portanto, por uma negocia√ß√£o com as secretarias estaduais de Fazenda.
Veja Mais

04/05 - Lula diz que estuda como baratear carros: 'R$ 90 mil não é popular'
'Qual pobre que pode comprar carro popular por R$ 90 mil?', afirmou presidente durante a primeira reuni√£o do novo Conselh√£o. √ďrg√£o recriado pelo petista tem a miss√£o de auxiliar na elabora√ß√£o de pol√≠ticas p√ļblicas de desenvolvimento. 'Carro de R$ 90 mil n√£o √© popular, √© para classe m√©dia', diz Lula O presidente Luiz In√°cio Lula da Silva criticou, nesta quinta-feira (4), os pre√ßos atuais dos autom√≥veis e disse que o governo pretende tomar iniciativas para trazer ve√≠culos mais baratos ao pa√≠s, al√©m de garantir melhores condi√ß√Ķes de pagamento. Veja v√≠deo acima. "Qual pobre que pode comprar carro popular por R$ 90 mil? Um carro de R$ 90 mil n√£o √© popular. √Č para classe m√©dia", afirmou ele durante a primeira reuni√£o do novo Conselho de Desenvolvimento Econ√īmico e Social Sustent√°vel, o chamado "Conselh√£o". Recriado pelo petista, o √≥rg√£o tem a miss√£o de auxiliar na elabora√ß√£o de pol√≠ticas p√ļblicas de desenvolvimento (leia detalhes mais abaixo). O presidente, no entanto, n√£o deu detalhes sobre o plano para baratear os carros. No evento, Lula voltou a criticar o Banco Central e o presidente da entidade, Roberto Campos Neto, ap√≥s a decis√£o do Comit√™ de Pol√≠tica Monet√°ria (Copom) do BC de manter a taxa b√°sica de juros da economia em 13,75%. "√Č engra√ßado, √© muito engra√ßado o que se pensa neste pa√≠s. Todo mundo aqui pode falar de tudo, s√≥ n√£o pode falar de juros. Todo mundo tem que ter cuidado. Ningu√©m fala de juros, como se um homem sozinho pudesse saber mais do que a cabe√ßa de 215 milh√Ķes de pessoas", disse. A taxa de juros √© o principal instrumento do Banco Central para coordenar a pol√≠tica monet√°ria do pa√≠s. Quando os juros sobem, o empr√©stimo fica mais caro e a economia "esfria", o que ajuda a controlar a infla√ß√£o ‚Äď mas, como consequ√™ncia, reduz a expans√£o da renda e do emprego. LEIA TAMB√ČM: Em nova cr√≠tica ao Banco Central, Lula associa taxa de juros ao desemprego no pa√≠s O que o BC ainda espera para baixar os juros do pa√≠s Ap√≥s an√ļncio da taxa Selic, presidente do PT diz que Banco Central mant√©m 'juros genocidas' 'Conselh√£o' Sobre o "Conselh√£o", colegiado formado por representantes de diferentes setores da sociedade para a formula√ß√£o de pol√≠ticas p√ļblicas, Lula disse que o grupo representa a "cara da sociedade brasileira". O petista afirmou considerar uma virtude do "Conselh√£o" reunir pessoas com pensamentos diferentes e que, deste di√°logo, surgir√£o novas ideias para o pa√≠s. "Brasil n√£o mais ser√° pa√≠s do mon√≥logo, autoritarismo, pensamento imposto √† for√ßa", disse. "Aqui n√£o √© um espa√ßo para as pessoas virem falar bem do governo. Tamb√©m n√£o √© espa√ßo para s√≥ fazer diagn√≥stico. Aqui √© um espa√ßo para voc√™s ajudarem a governar esse pa√≠s, como √© que voc√™s querem que as coisas sejam feitas", afirmou. Base no Congresso Lula tamb√©m afirmou no discurso que espera que o ministro das Rela√ß√Ķes Institucionais, Alexandre Padilha, respons√°vel pela organiza√ß√£o do "Conselh√£o", tenha o mesmo √™xito na articula√ß√£o da base do governo do Congresso. "Quero reconhecer o trabalho extraordin√°rio do ministro Alexandre Padilha. Eu espero que ele tenha a capacidade de organizar e de articular que ele teve no conselho, dentro do Congresso Nacional. A√≠ vai facilitar a minha vida", disse Lula. A articula√ß√£o do governo com deputados e senadores tem sido criticada, inclusive pelo presidente da C√Ęmara, Arthur Lira (PP-AL). Na v√©spera da reuni√£o do "Conselh√£o", o governo foi derrotado na C√Ęmara com a aprova√ß√£o de um projeto para derrubar trechos de dois decretos do presidente Lula que alteraram a regulamenta√ß√£o do marco legal do saneamento b√°sico. Plano de investimentos Lula discursa na primeira reuni√£o do novo 'Conselh√£o' Ricardo Stuckert/Presid√™ncia da Rep√ļblica Lula afirmou que, ap√≥s retornar da Inglaterra, onde participar√° no fim de semana da coroa√ß√£o do rei Charles III, discutir√° com sua equipe o lan√ßamento do novo plano de investimentos em infraestrutura do governo. O presidente disse que o plano ter√° investimento direto da Uni√£o e buscar√° investimentos de empres√°rios brasileiros e estrangeiros. A proposta √© inspirada no antigo Programa de Acelera√ß√£o do Crescimento (PAC), que na gest√£o anterior de Lula e da presidente Dilma Rousseff, reuniu executou grandes obras. Trabalho por aplicativo Lula tamb√©m voltou a destacar a necessidade de incluir na legisla√ß√£o direitos trabalhistas a pessoas que trabalham por meio de aplicativos, como entregadores. Para o presidente, "cabe ao Estado garantir seguridade social" a esses trabalhadores. "Temos de trat√°-los como ser humano, temos de tentar fazer bela regula√ß√£o para que tenha trabalho mais civilizado. Eu chamo de criar novo pacto entre capital e trabalho", disse.
Veja Mais

08/04 - Após rodar 18 mil km até os EUA e percorrer 30 estados com Uno que virou motorhome, brasileiro vai fazer tour com carro na Europa
Luiz Torelli voltou ao Brasil de avi√£o na quinta-feira (6), mas o Uno Sandr√£o j√° foi enviado a Portugal, onde a pr√≥xima aventura vai ser iniciada em maio. Morador do interior de SP iniciou projeto ap√≥s depress√£o e, hoje, inspira outras pessoas que enfrentam momentos dif√≠ceis. Morador de Nova Odessa (SP) transforma Uno em motorhome e viaja at√© os Estados Unidos Em n√ļmeros, foram 18 mil quil√īmetros rodados por 14 pa√≠ses at√© chegar aos Estados Unidos, onde percorreu 30 estados durante nove meses, conquistando 346 mil seguidores no Instagram. Tudo isso a bordo de um Fiat Uno ano 2002, batizado como Sandr√£o e transformado em motorhome. Mas a aventura que o brasileiro Luiz Torelli decidiu iniciar em mar√ßo de 2022 vai muito al√©m das estat√≠sticas impressionantes. Vai al√©m porque a ideia nasceu como uma forma de enfrentar uma depress√£o, ap√≥s a perda de sua av√≥, e depois de sobreviver a uma cirurgia de risco. Vai al√©m porque ele se tornou influ√™ncia para outras pessoas que enfrentam momentos dif√≠ceis. E porque, agora, vai cruzar o oceano Atl√Ęntico e seguir na jornada mundo afora, a partir de maio. E, claro, com Sandr√£o. Veja como foi a viagem de Luiz e Sandr√£o at√© os Estados Unidos A lista de cidades √© ainda mais longa que a de estados por onde o brasileiro passou nos Estados Unidos e incluiu Chicago, Boston, Filad√©lfia, Washington, Miami, Orlando, San Diego, Los Angeles, S√£o Francisco e Las Vegas. E, em consequ√™ncia, diversos cart√Ķes postais, como o Grand Canyon, que Luiz conheceu sob neve e um frio de -7¬ļC, a Golden Gate e a regi√£o do Big Sur, trecho da estrada Highway 1, na costa da Calif√≥rnia. "A Big Sur √© uma das estradas mais bonitas do mundo. Eu vi uma cachoeira que cai no mar e eu rodei ela inteira. Fui at√© Los Angeles", conta. Luiz e Sandr√£o no Monument Valley, nos Estados Unidos Luiz Torelli/ Um a Uno Mas ele tamb√©m escolheu par√Ęmetros pessoais, por diversas vezes, para decidir seus destinos, como sonhos que alimentava h√° anos e refer√™ncias culturais e de amizade. Foi assim, por exemplo, em rela√ß√£o √† Times Square, em Nova York. "Eu tinha um quadro na minha parede [da cidade] e ficava olhando aquele quadro no meu quarto e falava: 'um dia eu vou chegar a√≠'. Mas eu nunca imaginei que eu fosse chegar l√° de Uno". Outro desejo realizado foi o de conhecer a casa onde viveu Elvis Presley, em Memphis, no Tennessee. J√° no encerramento da viagem em territ√≥rio estadunidense, antes de se organizar para voltar, decidiu fazer refer√™ncia a um cl√°ssico do cinema. "Eu queria chegar no Monument Valley, que √© um lugar onde o Forrest Gump encerra o filme, que ele fala 'vou voltar [para casa]'. E ali eu fiz at√© uma homenagem ao Jessy e Shurastey, porque eles passaram por ali tamb√©m. Dali eu decidi encerrar e voltei sentido Texas". Jesse Koz e seu c√£o Shurastey rodavam o mundo em um fusca e morreram em um acidente, em maio de 2022. A hist√≥ria deles inspirou Luiz, que mantinha contato pela internet com Jesse e iria conhec√™-lo pessoalmente no ano passado, mas n√£o houve tempo h√°bil. Initial plugin text 'Vivi o pa√≠s a fundo' Mas o principal legado que Luiz diz que vai carregar para seus pr√≥ximos destinos √© a viv√™ncia mais aprofundada no pa√≠s e o contato com diversas comunidades. "Eu vivi o pa√≠s a fundo, n√£o somente na parte tur√≠stica. [...] Conheci todo tipo de povo, desde os √≠ndios navarros no Monument Valley at√© os negros no sul da Luisiana, at√© a comunidade brasileira gigantesca. Conheci a fundo e vi que aqui tamb√©m tem seu problemas, suas dificuldades. Nenhum lugar √© perfeito no mundo". E cita exemplos de hist√≥rias de brasileiros que conheceu no pa√≠s. "V√°rias hist√≥rias de pessoal que veio pela fronteira, cruzou deserto, nadou rio para chegar aqui e venceu. Vi tamb√©m os brasileiros que vivem o sonho americano, que t√™m documento, viraram cidad√£o, que tem a casona, que tem o carr√£o. Mas a grande maioria √© a galera que vem com uma m√£o na frente e outra atr√°s, vai lutar, dinheiro que ganha vai para pagar o aluguel, para comer". Visita ao Grand Canyon ocorreu sob neve e -7¬ļC Luiz Torelli/ Um a Uno Inspira√ß√£o para outras pessoas Antes de sair do pa√≠s, Luiz contava com 19 mil seguidores em sua p√°gina @um.a.uno, que mant√©m no Instagram. Hoje, j√° s√£o 346 mil. Atualmente, ele j√° consegue viver somente do projeto, por meio de publicidade e venda de merchandising, mas diz que o mais importante e que "n√£o tem dinheiro que pague" √© a influ√™ncia positiva que tem gerado em outras pessoas. "Recebo muita mensagem de pessoas que se viram inspiradas pela gente a mudar e transformar suas vidas. [...] Eu fiz esse projeto para curar uma depress√£o que eu tinha, pela perda da minha av√≥, que foi a m√£e que me criou. E tem gente que tamb√©m est√° em depress√£o e v√™ os v√≠deos e se inspira. Faz um pouquinho do dia da pessoa melhor". Entre os relatos, est√£o os de pessoas que se inspiraram tanto que compraram carros do mesmo modelo. "√Äs vezes eu recebo foto: 'olha, por sua causa comprei um Uno. Eu e minha fam√≠lia estamos indo viajar. Obrigado por inspiurar a gente'. Muito desses relatos tamb√©m. E acho que o que mais me impacta √© de voc√™ tirar o cara de uma condi√ß√£o de tristeza e melhorar a vida do cara, melhorar o dia da pessoa. Gente com borderline que v√™ os v√≠deos e se sente calmo. Isso n√£o tem dinheiro que pague. Eu fico muito feliz". Chega de Luiz √† Times Square, em Nova York Arquivo pessoal/ Luiz Torelli Volta ao Brasil Como em muitas viagens, tamb√©m houve imprevistos, ainda mais por envolver uma log√≠stica mais complexa e apenas uma pessoa para realiz√°-la. Luiz concedeu entrevista ao g1 quando voltava de Houston para Miami, em uma viagem de 17 horas, porque a primeira maneira pela qual ele pretendia enviar seu Uno para Portugal, no conv√©s de um navio, n√£o deu certo. "Eu tenho todas as minhas coisas aqui e n√£o √© permitido viajar com coisa dentro do carro. Ent√£o, eu tive que voltar para a Fl√≥rida. Tinha at√© comprado passagem a√©rea para embarcar de Houston a Orlando e de Orlando ao Brasil. Perdi a passagem, tive que viajar tr√™s dias na correria e agora falta 100 quil√īmetros para chegar em Miami, onde vou botar o carro num cont√™iner. E, agora, finalmente ele vai desembarcar em Portugal", detalhou. A previs√£o √© de que Sandr√£o chegue na cidade de Porto em 28 de maio. Ap√≥s se separar do companheiro de quatro rodas, Luiz pegou um avi√£o e desembarcou no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), na quinta-feira (6) e seguiu para Nova Odessa matar saudades. "Volto para o Brasil para rever fam√≠lia, amigos, minha cachorrinha, que eu to morrendo de saudade". Mas o instinto aventureiro parece n√£o descansar. "Eu estava com uma ideia de arrumar um Uno no Brasil e dar um rol√™ pelo sul rapidinho e depois rifar esse Uno para levantar um dinheiro para essa trip na Europa. N√£o sei se vou fazer isso. T√° na ideia. Depende de tudo quando chegar no Brasil". Rota 66, em Illinois, nos Estados Unidos: plano de Luiz √© cruz√°-la at√© o final Arquivo pessoal/ Luiz Torelli Projeto Europa A pr√≥xima jornada, assim que Sandr√£o desembarcar em Portugal, vai passar por pa√≠ses como Fran√ßa, B√©lgica, Holanda, Alemanha, Rep√ļblica Tcheca, √Āustria e Espanha. Embora o itiner√°rio n√£o esteja totalmente definido ainda, o destino √© certo: a It√°lia. "√Č o grande sonho da minha vida. Sou descendente de italiano, tenho raiz da It√°lia, e eu n√£o conhe√ßo a It√°lia". Mas n√£o √© s√≥ isso. Luiz alimenta desde a viagem para os Estados Unidos o desejo de levar Sandr√£o at√© o "ber√ßo" do modelo, na f√°brica da Fiat em Turim. "Vai ser o primeiro Uno brasileiro a rodar pela Europa. A gente vai fazer hist√≥ria de novo". A inten√ß√£o √© realizar toda a viagem em um semestre. Mas e depois? Qual ser√° a pr√≥xima? "Depois vou ver se vou voltar com o carro para o Brasil. Depende da situa√ß√£o de como ele vai estar de mec√Ęnica. Isso influencia. E a√≠, provavelmente, se ele tiver bonzinho, aguentar, talvez √Āfrica depois, ou √Āsia. Vou pensar isso s√≥ depois da Europa". Luiz posa ao lado de tudo o que levou para uma das viagens pelo Brasil, antes de aventura internacional Arquivo pessoal/ Luiz Torelli V√ćDEOS: Tudo sobre Piracicaba e regi√£o Veja mais not√≠cias no g1 Piracicaba
Veja Mais

03/04 - Governo avalia usar fundo de petroleiras para renovar frota de carros e combater a poluição, diz Haddad
Proposta foi tema de reuni√£o entre Haddad e o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Ind√ļstria, Com√©rcio e Servi√ßos (MDIC), Geraldo Alckmin. O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse nesta segunda-feira (3) que o governo avalia um programa para renovar a frota de ve√≠culos do pa√≠s, tirando de circula√ß√£o os mais velhos e mais poluentes, numa a√ß√£o a favor do meio ambiente. Haddad deu a declara√ß√£o ao sair de uma reuni√£o com o vice-presidente e ministro da Ind√ļstria, Geraldo Alckmin. A ideia, segundo Haddad, √© indenizar os donos de ve√≠culos antigos. O dinheiro n√£o sairia do governo, mas de um fundo alimentado com recursos pagos por petroleiras. . "Eu vim tratar com o vice-presidente da possibilidade de estabelecer um programa que usa os fundos das petroleiras e dedicar esse fundo √† transi√ß√£o ecol√≥gica por meio da renova√ß√£o de frota, de carros muitos velhos que precisam ser retirados de circula√ß√£o mediante indeniza√ß√£o para que a frota seja renovada em proveito do meio ambiente", afirmou Haddad. "√Č um recurso de um fundo que j√° existe", completou o ministro, Haddad falou que vai montar uma equipe para analisar a proposta apresentada por Alckmin, mas disse que, se levada em frente, √© uma proposta de f√°cil implementa√ß√£o. Fernando Haddad defende cobran√ßa de impostos para compras eletr√īnicas O ministro n√£o deu mais detalhes de como poder√° funcionar esse programa para a popula√ß√£o. No fim do ano passado, o governo Bolsonaro regulamentou as regras do Programa de Aumento da Produtividade da Frota Rodovi√°ria (Programa Renovar). O objetivo √© o mesmo: estimular, de forma volunt√°ria, a retirada de circula√ß√£o de ve√≠culos que n√£o atendam aos par√Ęmetros t√©cnicos de rodagem ou que tenham mais de 30 anos de fabrica√ß√£o. Contudo, os benef√≠cios do Programa Renovar se aplicam somente a caminh√Ķes, implementos rodovi√°rios, √īnibus, micro-√īnibus, vans e furg√Ķes, e n√£o a carros, como citou Haddad nesta segunda-feira.
Veja Mais